Contribua para um artigo e ajude o wikitravel a crescer! Aprenda como.

Diferenças entre edições de "Timbuktu"

Da Wikitravel
África : Saara : Mali : Timbuktu
Ir para: navegação, pesquisa
(Partir)
m (Revertidas edições por 201.51.150.92 (disc) para a última versão por Texugo)
 
(Uma edição intermédia de um utilizador não apresentada)
(Sem diferenças)

Edição atual desde as 00h28min de 31 de maio de 2011

Mesquita de Djingareiber.
Timbuktu (também chamada Tombuctu ou Timbuctu) é uma cidade tuaregue à beira do rio Níger no Mali.

Índice

Entenda[editar]

  • Tenha cuidado para não tirar fotografias às casernas dos militares.
  • Não é má ideia levar uma criança como guia, previne que seja muito assediado.
  • Visite os Correios de Timbuktu, para que ponham um selo de Timbuktu no seu passaporte.
  • Tenha cuidado com os gatos pendurados nos postes telefónicos. Estão pendurados porque tem que se secar o pêlo antes de serem comidos.

História[editar]

Timbuktu foi fundada por volta de 1100 na proximidade com o Rio Níger, com o propósito de servir as caravanas que traziam sal das minas do deserto do Saara para trocar por ouro e escravos, trazidos do sul por aquele rio. Em 1330, Timbuktu era parte do Império do Mali, que controlava o negócio do sal por ouro em toda a região, estando ligada a Yenné através do comércio do sal, cereais e ouro, e a sua função comercial é acompanhada de uma função militar. Dois séculos mais tarde, Timbuktu atingiu o seu auge, governada pelo Império Songhay, tornando-se uma importante cidade universitária e a capital religiosa dos finais da dinastia Mandingo Askia (1493-1591). Timbuktu, que foi habitada por muçulmanos, cristãos e judeus durante centenas de anos, foi sempre um centro de tolerância religiosa e racial. As culturas locais - songhai, tuaregue, árabe e moura – misturaram-se, mas conservaram as suas distintas tradições. O seu apogeu chegou ao fim no século XVI, quando o exército marroquino destruiu o Império Songhay. O domínio do comércio com África pelos navegadores europeus foi mais uma razão para o declínio de Timbuktu.

A desertificação e a acumulação de areia trazida pelo vento seco “harmattan” já destruiram a vegetação, o abastecimento em água e muitas estruturas históricas da cidade. Depois de Timbuktu ser inscrita na Lista do Património Mundial em Perigo em 1988, a UNESCO iniciou um programa para conservar e proteger a cidade.

Chegar[editar]

Aeroporto de Timbuktu.

De barco[editar]

Pode apanhar um dos muitos pinasses para turistas vindos de Mopti, que duram três dias e são muito confortáveis. Durante a época turista haverão muitas pessoas à procura de pinasses, por isso pode unir-se a outra pessoa para pagar o pinasse. Existem também barcos locais que sobem e descem os rios regularmente, que estão um pouco cheios, mas são muito baratos.

De avião[editar]

Pode chegar ao Aeroporto de Timbuktu voando a partir de Bamako ou Mopti, embora seja extremamente difícil reservar bilhete desde fora do país e o sistema de reserva de bilhetes seja extremamente mau e duvidoso.

De carro[editar]

Uma viagem de carro desde Mopti dura entre 12 e 24 horas.

Circule[editar]

Existem táxis, camelos, e burros - e poucos mais são os modos de transporte disponíveis. Facilmente se pode andar de uma ponta da cidade à outra em menos de uma hora. Todas as mesquitas ficam na cidade velha e estão a pouca distância umas das outras.

Veja[editar]

Portas da mesquita de Sidi Yéhia.
  • Grand Marché - Um mercado de dois andares, com lojas e bancas a venderem de tudo. Merece uma visita nem que seja para ver a incrivel vista que se tem do topo do mercado, avistando-se toda a cidade e o deserto.
  • Chama da Paz - É um monumento ao cessar-fogo da rebelião tuaregue. Fica a nordeste do Petite marché. Embora seja novo já está a cair aos bocados.

Museus[editar]

  • Museu de Timbuktu - Tem uma interessante mistura de artefactos e arte local contemporânea, embora seja um pouco poeirento.

As casas dos exploradores ocidentais que descobriram Timbuktu pela "primeira" vez estão bem preservadas e existem placas comemorativas bem visíveis em todas elas. Os exploradores são Alexander Gordan Laing, o primeiro ocidental a conseguir chegar à cidade, René Caillié, o primeiro ocidental a conseguir chegar à cidade e voltar, Heinrich Barth, Oscar Lenz e Berky.

  • Casa de Heinrich Barth - A única casa que é usada como museu, todas as outras são habitadas. O museu inclui algumas fotos antigas.

Mesquitas[editar]

A maior atracção de Timbuktu são as mesquitas da cidade (fechadas durante as horas de culto; grandes mesquitas estão fechadas a visitantes). Existem três principais mesquitas em Timbuktu:

  • Mesquita de Djingareiber - Um Patrimônio da Humanidade, e provavelmente a maior e mais impressionante. Infelizmente, está em reparações (Abril de 2007).
  • Mesquita de Sankoré - Merece uma visita, tem um impressionante minarete.
  • Mesquita de Sidi Yéhia - Não tão impressionante como as outras.

Faça[editar]

  • Pode alugar um camelo e um tuaregue, no entanto, as "visitas ao pôr-do-sol" são muito pequenas para realmente apreciar os arredores da cidade, pois os campos dos tuaregues ficam a apenas algumas centenas de metros da cidade. No entanto é interessante visitar um destes campos (geralmente constituídos apenas por uma família) e vêr o pôr-do-sol no deserto. Mesmo se não visitar um destes campos, um passeio nas dunas é sempre interesante. Uma viagem de vários dias é, no entanto, muito mais fascinante. Pode fazer uma viagem de 40 dias aos campos de sal. Negocie com os próprios tuaregues e não com os chamados "guias".

Compre[editar]

  • Sal
  • Facas e sabres tuaregues

Negocie o preço e pode conseguir uma quantia muito inferior à proposta originalmente. Normalmente, em vez da quantia. Normalmente, a regra é oferecer cerca de um terço do preço proposto pelo comerciante, e depois negociar o preço até conseguir metade do preço original. Os comerciantes já sabem disto, por isso começam com um preço demasiado alto. No entanto, os artigos vendidos são normalmente de boa qualidade e óptimos souvenirs.

Existe uma loja (chamada 'objets artes boutique' ou uma coisa do género) que vende souvenirs aos vendedores que se vem por toda a cidade. Se se dirigir para norte desde o Hotel Colom, virar à esquerda no cruzamento e seguir em frente cerca de 100-200 metros, a loja está ao seu lado esquerdo. Os artigos são por vezes 10 vezes mais baratos, e pode receber um pequeno desconto (5-10%) por comprar vários artigos.

Coma[editar]

  • Gato (ver Entenda).
  • Restaurante do Hotel Le Colombe (☎ 292 14 35; 4000 CFa).
  • Existem restaurantes/bares por toda na cidade, incluindo um no topo do Grand Marché.

Beber e sair[editar]

É melhor evitar as bebidas, visto que são feitas com água da torneira.

Durma[editar]

  • Hotel Le Colombe (Bd Askia Mohammed, ☎ 292 14 35) - Oferece quartos decentes, com ar-condicionado. Existe um anexo mais abaixo na estrada, o Colomb II que oferece acomodação mais barata. 20000CFa (Ago. 2007).
  • Hotel Campement Bouctou (292 10 12)
  • Sahara Passion (292 12 85)
  • Hotel Hendrina Khan (292 16 81)
  • Hotel Azalai (292 11 63).

Partir[editar]

Este artigo está delineado e precisa de mais conteúdo. Ele já segue um modelo adequado mas não contém informações suficientes. Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!


Variantes

Ações

Docentes do destino

Noutras línguas

outros sites