Contribua para um artigo e ajude o wikitravel a crescer! Aprenda como.

Marrocos

Da Wikitravel
Norte da África : Marrocos
Revisão das 20h45min de 15 de abril de 2012 por 187.7.103.23 (discussão)

Ir para: navegação, pesquisa
Al Hoceima Morocco.jpg
Localização
noframe
Bandeira
Mo-flag.png
Informações Básicas
Capital Rabat
Governo Monarquia constitucional
Moeda Dirham Marroquino (MAD)
População 32.444.555
Idioma Árabe (oficial), Dialetos Bérberes, Francês
Religião Muçulmanos 99%, Cristãos 1%
Eletricidade 127-220V/50Hz (tomada da Europa)
Código telefônico +212
Internet TLD .ma
Fuso horário UTC

Marrocos (المغرب al-Maghrib, « O Poente ») é um país do norte da África. Com os seus vários oásis e belas cidades, é um dos países mais antigos de África. Marrocos é um dos mais fascinantes destinos do mundo, com um pouco de tudo, desde esqui nas montanhas, a antigas cidades cheias de história e a praias.

Entenda

A grande luta pela independência da França terminou para Marrocos em 1956. A cidade internacional de Tânger passou a pertencer a Marrocos no mesmo ano. Marrocos anexou o Saara Ocidental durante fins dos anos 70, e, embora o estatuto do território permaneça indeterminado, Marrocos considera-o parte integrante do seu território.

Reformas políticas nos anos 90 resultaram na criação de uma legislatura bicameral em 1997, embora o rei ainda possua o poder político. A impressa é relativamente livre, embora exista alguma censura em relação ao caso da Saara Ocidental.

Feriados

Feriados
Data Nome em português Nome em árabe
1 de Janeiro Ano Novo السنة الجديدة
2 de Março Independência عيد الاستقلال
1 de Maio Dia do Trabalhador عيد العمال
23 de Maio Dia da Nação يوما للأمة
9 de Julho Dia da Juventude يوم الشباب
13 de Julho Coroação do rei Mohammed VI يوم تتويج الملك
30 de Julho Festa do Trono L´Aïd el Arch الطرف على العرش
14 de Agosto Dia da Lealdade أيام المعرض
20 de Agosto Aniversário do Rei الذكرى السنوية للملك

O maior evento no calendário marroquino é o Ramadão, durante o qual os marroquinos fazem jejum durante o dia e festejam durante a noite. A maior parte dos restaurantes fecham para almoço (excepto aqueles que são para turistas). Viajar durante esta época é possível, e as restrições não se aplicam aos não-muçulmanos, mas é educado respeitar os costumes, e conter-se de comer, beber ou fumar em público. No fim do mês, o feriado de Eid al-Fitr, quando quase tudo fecha por quase durante uma semana e os transportes estão todos cheios, pois toda a gente está a voltar à sua terra natal.

Regiões

Mapa do Marrocos
Marrocos Mediterrâneo
Tem todos os tipos de cidades, incluindo vários enclaves espanhóis e alguns portos importantes.
Costa Norte-Atlântica
A parte norte da costa marroquina é a região da capital, Rabat, bem como uma das mais importantes cidades do país, Casablanca, e algumas cidades costeiras.
Costa Sul-Atlântica'
Tem muitas e fantásticas cidades costeiras, tais como Agadir e Essaouira.
Alto Atlas
Com as Montanhas do Alto Atlas e as áreas que as rodeiam, tais como Marrakech.
Médio Atlas
Com as montanhas do Médio Atlas e as áreas que as rodeiam, tais como Fez e Meknès.
Marrocos Saárico
A vasta área desértica de Marrocos, incluindo a fronteira com a Argélia. Safaris com camelos e a paisagem desértica são as principais atracções desta região.
Anti Atlas
A parte sul, desde Tarouddant até ao Saara Ocidental.






O Saara Ocidental, apesar de ocupado por Marrocos, será tratado como um país independente, no seu próprio artigo

Cidades

Mesquita Hassan II, em Casablanca.
  • Rabat – A capital de Marrocos; muito calma, as atracções incluem uma torre e minarete do século XII.
  • Casablanca – Esta moderna cidade costeira (a maior do país) é o ponto de partida para os visitantes que voam para este país. Se tiver tempo, não perca a medina histórica e a moderna mesquita (a segunda maior do mundo), que merecem uma boa visita.
  • Fez – Fez, a antiga capital de Marrocos, é uma das maiores e mais antigas cidades medievais do mundo.
  • Marrakech (ou Marraquexe) – Marrakech é a combinação perfeita do velho e do novo Marrocos. Planeja ficar alguns dias nesta maravilhosa cidade, com os seus vastos souqs e a medina histórica. A grande Djemaa el-Fna, amaior atracção da cidade, merece uma visita.
  • Meknès – Uma moderna cidade que oferece uma pausa bem-vinda da vizinha e muito turística cidade de [[Fez]
  • Ouarzazate – Considerada a Capital do Sul, é um óptimo exemplo de preservação e turismo que não destruiu o sentimento maravilhoso desta fantástica cidade antiga.

Outros destinos

Chefchaouen.
  • Agadir – Agadir é conhecida pelas suas praias. É um bom exemplo da Marrocos moderna. Apanhe um autocarro por alguns cêntimos e vá a duas ou três aldeias a norte, onde há mais praias
  • Amizmiz – Com um dos maiores souqs berberes no Alto Atlas todas as terças, Amizmiz é popular entre viajantes há procura de uma viagem de um dia. Fica a cerca de uma hora de Marrakech.
  • Chefchaouen – Uma cidade de montanha perto de Tânger, cheia de casas brancas, rruas serpenteantes, portas azuis, e oliveiras, Chefchaouen é um bom sítio para escapar à agitação de Tânger, fazendo lembrar uma ilha grega.
  • Essaouira – Uma antiga cidade costeira, recentemente redescoberta pelos turistas. Desde meados de Junho até Agosto as praias estão cheias, mas no resto do ano estão praticamente desertas. é a cidade costeira mais próxima de Marrakech.
  • Merzouga e M'Hamid – Desde qualquer uma destas povoações nos limites do Sahara, pode viajar de camelo ou de jipe através do deserto e dormir uma noite (ou uma semana) entre as dunas e debaixo das estrelas.
  • Tinerhir – Esta cidade é um bom ponto de partida para aceder ao Canyon de Todra.

Chegar

Brasileiros e portugueses não precisam de visto para entrar no país e ficar por até 90 dias, conforme informa o próprio governo[1], embora precisem de um passaporte válido.

Para turistas que precisem de um visto para entrar no país, precisa de ir a uma Embaixada Marroquina. Eles cobram o equivalente a cerca de 19 euros por uma entrada individual e cerca de 29 euros por uma entrada múltipla. Os vistos são geralmente válidos por três meses. Os requerimentos para um visto são: a candidatura preenchida, quatro fotos tipo passaporte com menos de seis meses de idade, um passaporte válido com pelo menos uma página em branco; só pode pagar através de correio; é preciso também uma fotocópia de todos os voos reservados e uma fotocópia da reserva do hotel. Pedir um prolongamento do visto pode ser um processo frustrante (é preferível ir para Ceuta ou Melilla, controladas por Espanha e reentrar em Marrocos com um novo visto). Certificados de vacinação anti-cólera podem ser precisos, se vier de uma área onde esta doença prevale e animais de estimação precisam de um certificado de saúde com pelo menos dez dias de idade, e um certificado anti-raiva com pelo menos seis meses.

De avião

Existem voos desde Nova York, Montreal, e várias cidades europeias até Casablanca e, ocasionalmente, Agadir.

  • Easyjet [2] — Voos baratos desde Londres até Marrakech e Casablanca.
  • Ryanair [3] — Faz voos para Marrocos desde Girona, Reus, Bremen, Frankfurt-Hahn, Londres. Voos para Fez 3 vezes por semana. Voos para Marraquexe estão também disponíveis a partir do Porto às Terças, Quintas e Sábados, desde o final de 2010. Existem também voos desde Bérgamo até Tânger.
  • Royal Air Maroc [4] — A companhia aérea nacional, com preços altos.
  • Atlas Blue [5] — Uma chamada companhia low-cost que pertence à Royal Air Maroc, mas mesmo assim ainda é cara.
  • Jet 4 You [6] — Uma nova companhia low-cost com voos muito baratos para a França e a Bélgica.
  • Aigle Azur[7] — Uma pequena companhia norte-africana com preços razoáveis.
  • Thomson fly [8] — Voos para Marrakech desde Manchester com um preço razoável.
  • Binter Canarias [9] — Voos desde as Canárias até Marrakech.

Muitos visitantes voam até Gibraltar ou Málaga (que é muitas vezes mais barato) e vão de ferry desde Algeciras, Tarifa ou Gibraltar até Tânger. Não é recomendável nos verões, pois milhões de marroquinos residentes na Europa usam esta passagem durante as férias de verão.

De barco

Existem vários ferrys até Marrocos, principalmente desde Espanha. Algeciras é o principal porto e serve Ceuta e Tânger.Um ferry entre Algeciras e Ceuta demora cerca de 40 minutos, e menos de duas horas para chegar a Tânger. Também pode chegar a Tânger desde o pequeno porto de Tarifa, na ponta mais a sul de Espanha continental. Só demorará cerca de 35 minutos. Algumas companhias ligam Algeciras e Tarifa de autocarro, grátis (25 minutos). Outros portos marroquinos com ligações para Marrocos são Málaga e Almeria, que ligam Melilla e a cidade de Nador. Existem também ferrys desde França até Tânger, desde o porto de Sète perto de Montpellier e Port Vendres perto de Perpignan. No entanto, estes ferrys são um pouco caros. As cidades italianas de Génova e Nápoles também fazem ligações directas até Tânger. A colónia britânica de Gibraltar está ligada a Tânger através de um serviço de barcos de alta-velocidade.

De carro

É possível chegar ao país de carro a partir da Mauritânia e dos enclaves espanhóis de Ceuta e Melilla. A fronteira com a Argélia está fechada há mais de uma década. Pode guiar até Algeciras e atravessar (com o carro) de ferry até Ceuta ou Tânger. Desde Tarifa pode também atravessar para Tânger, e esta é a rota mais curta e rápida, só 35 minutos.

Também é possível entrar desde a Mauritânia de carro, desde Dakhla. A maior parte das pessoas precisam de um visto para entrar na Mauritânia, que pode ser comprado por €20 at the border por viajantes com passaporte da UE.

Pode ser difícil entrar em Marrocos com um veículo comercial. Autocaravanas são aceites, mas outros veículos comerciais podem ser revistados e detidos de continuar a viagem. Se quiser levar um veículo comercial, e se houver mais do que uma pessoa a viajar, pode ser útil saber francês.

Circular

De avião

As principais companhias que atuam no país são a Royal Air Maroc e a Atlas Blue, que oferecem um bom serviço, mas caro. Há também actualmente a TAP que voa diáriamente para Casablanca 2 vezes por dia e desde o final de 2010 que a Ryanair opera uma ligação directa para Marraquexe a partir do Porto.

De barco

Todos os anos a companhia de cruzeiros Classic International Cruises organiza cruzeiros, em que a lingua a bordo é o Português, a Marrocos com partidas de Lisboa. É uma forma segura de obter uma primeira abordagem do país. Os destinos tradicionais são: Agadir, Casablanca (Rabat & Marraqueche) e Tânger. Para mais informações www.cic-cruises.com . Numa só viagem pode visitar vários portos Marroquinos.

De carro

As estradas principais estão em boas condições, no entanto, podem ser muito estreitas.

As principais cidades estão ligadas por auto-estradas com portagens, que ainda estão a ser expandidas.

  • A auto-estrada entre Casablanca e Rabat (A3) foi terminada em 1987.
  • Foi expandida desde Rabat até Kénitra em 1995 e actualmente chega até ao porto de Tânger (A1).
  • Outra auto-estrada (A2) vai para este desde Rabat a Fez, cerca de 200 km. Compreende parte da planeada auto-estrada transmagrebina, que continuará até Tripoli.
  • A sul de Casablanca está a A7. Está planeado chegar a Agadir em Dezembro de 2009, mas actualmente só chega até Marrakech, 210 km a sul de Casablanca.
  • Por volta de Casablanca e costa abaixo fica a auto-estrada A5, que liga Mohammedia e El Jadida.
  • Começou em 2006 a construção da A2 entre Fez e Oujda na fronteira argeliana, que estará completada em 2010.

Na região rural não é muito comum o combustível, por isso planeie com antecedência e arranje um bom mapa. As estradas são variadas e misturadas com vários ciclistas, peões e carroças.

A sinalização está em árabe e francês, e o código rodoviário é semelhante ao da maior parte da Europa, mas cede-se passagem para a direita. Tenha muito cuidado, pois muitos condutores não respeitam os sinais a não ser que esteja um polícia perto. Veículos maiores do que o seu devem ser prioritários: carrinhas, autocarros e mesmo grand taxis.

Alugar um carro

Nas grandes cidades existem muitas companhias de aluguer de carros. A maior parte das companhias de aluguer de carros tem escritórios em Marrocos. Existem também várias companhias locais. Estas oferecem preços mais baixos, mas veja a condição dos veículos: um pneu furado, etc.

De autocarro/ônibus

Os autocarros de luxo são uma boa hipótese, cobrindo quase todo o país. A CTM, a Supratours e algumas companhias menores dão conforto com preços razoáveis. A Supratours oferece bilhetes especiais que combinam um bilhete de autocarro e um de comboio. Todas as companhias de autocarros cobram separadamente pela bagagem.

Os autocarros públicos são também uma boa escolha para o viajante resistente. Podem ser muito lentos, pois pararão para qualquer pessoa, onde quer que seja. Nenhum dos autocarros tem ar condicionado (e os locais odeiam abrir janelas), e também não são muito confortáveis.

Quase todas as cidades tem uma estação de autocarros central onde pode comprar bilhetes para viajar de região em região.

De comboio/trem

Os comboios (operados pela ONCF [10]) são normalmente a melhor hipótese por causa da sua velocidade, frequência e conforto, no entanto a rede de caminhos-de-ferro é pequena.

A única desvantagem dos comboios marroquinos é que muito frequentemente estão atrasados, por isso, se estiver com pressa, não conte com os horários.

As estações de comboios em pequenas cidades estão frequentemente mal marcadas, mas os locais estarão mais do que felizes de lhe indicar onde está e quando deve sair. Espera-se que cumprimente (Salam) novos passageiros que entrem no seu cumprimento, e se tiver trazido fruta, bolo, etc., é comum oferecer aos outros passageiros algo.

Disponibilidade

As maiores cidades, Marraquexe, Meknès, Fez, Tânger, Rabat, Casablanca, etc., estão todas ligadas por comboio. Existem normalmente vários comboios por dia para ou desde qualquer das grandes cidades.

Comboios ligam Marraquexe e Tânger via Casablanca e Rabat, três vezes por dia, com uma linha secundária até Oujda desde Sidi Kachem, ligando Meknès e Fez á linha principal. Há noite, os comboios entre Marraquexe e Tânger oferecem beliches por uns 100 DH extra. É a única opção se quiser dormir durante a viagem, pois é difícil dormir nos assentos.

Custo

Os comboios são muito baratos (comparados com os da Europa). Por exemplo, um bilhete individual desde Tânger até Marraquexe custa cerca de 200 dh (cerca de 18 euros) em segunda classe, ou 300dh (cerca de 26 euros) em primeira classe.

De táxi

Viajar de táxi é comum em Marrocos. Existem dois tipos:

  • Petit taxi, usado dentro da área de uma cidade
  • O grand taxi pode ser usada para viagens entre cidades, e para grupos maiores

Existem Grands Taxis (ou táxis partilhados) que operam entre cidades; o custo é partilhado por todos os passageiros. Existem seis assentos por carro (se for um Mercedes, porque um Peugeot tem 8/9 assentos). Espera-se que duas pessoas partilhem o lugar da frente, com quatro atrás. Se quiser sair imediatamente ou se quiser mais espaço pode pagar por mais lugares. Grands taxis custam normalmente menos que um autocarro de luxo, mas mais do que um autocarro público. Espere pagar mais à noite do que ao dia, e espere também pagar todos os lugares do táxi, pois é provável que não apareça mais ninguém com quem partilhar.

Os preços para petit taxis são razoáveis e está na lei que os táxis da cidade tem que ter um taxímetro - embora eles não estejam sempre ligados. Insista para que o condutor ligue o taxímetro. Se não, pergunte quanto irá custar a viagem antes de entrar (mas será mais caro).

Fale

Um homem berbére observa o mar em Tânger.
  • O Árabe Marroquino é um dialecto do árabe magrebe. A linguagem é muito diferente do arábico tradicionalmente falado no Médio Oriente, e é também ligeiramente influenciado pelo francês ou pelo espanhol, dependendo da parte do país em que está. Este dialecto está também relacionado com o espanhol, pois o espanhol foi muito influenciado pelo árabe marroquino, antes da expulsão em 1492.
  • O Berbere, ou linguagem Amazigh, é falado pela população berbere de Marrocos. Nas regiões montanhosas do norte, o dialecto é Tarifit, na região central o dialecto é Tamazight, e no sul do país o dialecto é Tachelheet.
  • O Francês é bem percebido em Marrocos, e é a linguagem não-arábe mais útil de conhecer.
  • Embora nos centros turísticos hajam pessoas que falem inglês e espanhol, muitos destes poderão ser touts e falsos guias. Alguns donos de loja e hotéis nos centros urbanos falam também inglês, mas excluindo isso o inglês não é bem conhecido.

Compre

O país é barato para brasileiros. R$1 vale quase Dh4,5 O Euro também é aceite. Um euro equivale quase a 11Dh.

Embora o dirham é a única moeda oficialmente aceite em Marrocos, alguns hotéis podem aceitar não-oficialmente dólares americanos.

Há muita quinquilharia, tapetes e artesanato que fazem brilhar os olhos dos mais consumistas. Barganhe!

Câmbio de moeda

É ilegal trazer dirhams para dentro do país, portanto tem que as trocar no país. Por lei, as taxas de câmbio tem que ser iguais em todos os bancos e casas de câmbio oficiais. Tome nota das taxas exactas para ter a certeza que está a fazer um bom negócio.

Não espere ver bancos em souqs ou medinas, embora nas grandes cidades existam por vezes multibancos nos principais portões, e talvez um ou dois nos souqs maiores. Pode ser também que encontre pessoas nos souqs ou medinas que troquem euros ou dólares por dirhams.

Multibancos

Pode encontrar multibancos perto de hotéis turísticos e na ville nouvelle. Certifique-se que o multibanco aceita cartões estrangeiros (olhe os logótipos) antes de inserir o cartão.

Que comprar?

Curtumes em Fez.

Para além dos souvenirs turísticos clássicos, como postais e bugigangas, mas aqui estão algumas coisas únicas desta região:

  • Tâmaras: 10 Dh por uma caixa é um preço justo.
  • Vestuário de couro: Marrocos tem uma grande variedade de artigos em couro. Os mercados estão cheios de modelos medíocres e lojas de marca são difíceis de encontrar. É fácil encontrar curtumes por cidades em todo o país.
  • Óleo de Argania e produtos feitos a partir dele, tais como sabão e cosméticos.
  • Tagines: Pratos tradicionais para cozinha marroquina feitos de barro. Pratos marroquinos à base de óleo e de água ficam melhor se preparados nestes pratos.
  • Birad: Chaleiras marroquinas.
  • Djellabah: Túnica clássica marroquina com um capucho. Muitas vezes ricamente decoradas. Algumas destas são mais finas para tempo quente e outras, mais grossas, para tempo frio.

Se está à procura de T-shirts, considere objectos de design por Kawibi - muito mais interessantes que as T-shirts tradicionais. Estas podem ser encontradas em aeroportos, no Hotel Atlas Airport perto de Casablanca e em outros sítios.


Coma

Temperos no souq de Casablanca

A cozinha marroquina é famosa em todo o mundo, com vários pratos. Um dos pratos mais conhecidos é o tabule (que é diferente do libanês, amplamente difundido no Brasil). I

Como em toda culinária árabe, os temperos são exóticos e geralmente deliciosos.

Cozinha tradicional

  • Cuscuz, feitos de sêmola de cereais e cozido a vapor num prato conhecido como couscoussière. É um dos alimentos básicos para a maior parte dos marroquinos, e é provavelmente o prato mais conhecido de Marrocos. Pode ser servido como acompanhamento de um guisado ou tagine, ou misturado com carne e vegetais e servido como prato principal. Quase todos os restaurantes marroquinos servem cuscuz nas sextas.
  • Tagine, um picante guisado de carne e vegetais. Os restaurantes oferecem dezenas de variantes (desde Dh 25 num restaurante económico), incluindo tagine de galinha, com limão e azeitonas, carne de vaca ou carneiro, tagine de peixe e camarão com um molho picante de tomate. Existem muitas variações deste prato.
  • Uma popular contribuição berbere para a cozinha marroquina é a kaliya, uma combinação de carne de cordeiro, tomate, pepinos e cebola, e servida com cuscuz ou pão.
  • Um popular prato marroquino é a Pastilla, feita com farinha, carne (frango ou carneiro, ou pombo) e amêndoa.
  • Por vezes os marroquinos começam as suas refeições com uma taça de harira (francês: soupe marocaine), uma deliciosa sopa feita de lentilhas, grão-de-bico, cordeiro, tomates e vegetais.
  • As sopas são também um pequeno-almoço tradicional em Marrocos. Bissara, um caldo espesso feito de ervilhas e azeite. Pode ser encontrada a fervilhar perto de mercados e nas medinas de manhã.

Muitos cafés oferecem um petit déjeuner, que basicamente incluem tea or coffee, sumo de laranja (jus d'Orange) e um croissant ou pão com marmelada desde Dh 10.

Snacks e comida rápida

Abundam as lojas de Rotisserie chicken, onde pode ter um pedaço de frango com batatas e saladas por cerca de Dh 20. As sanduíches (desde Dh 10), servidas em lojas de rotisserie chicken ou em bancas de rua, são também populares. Estas podem estar recheadas com atum, frango, brochettes e uma variedade de saladas. Normalmente isto é coberto com batatas fritas e maionese.

Pode também ver vendedores ambulantes a vender uma variedade de nozes, bem como favas e milho.

Beba e saia

É recomendável beber apenas água mineral, fervida ou esterelizada.

Vende-se álcool em restaurantes, garrafeiras, bares, supermercados, discotecas e clubes nocturnos. Alguns marroquinos gostam de beber, embora seja desaprovado em locais públicos. A variedade local de cervejas inclui a Cerveja de Casablanca. É boa com a cozinha tradicional. As duas outras principais cervejas marroquinas são a Flag Special e a Stork. Também pode encontrar vodka judo-berbere, anis com sabor e feitas de figos.

Não beba água da torneira em Marrocos, mesmo que seja em hotéis, pois contém números de minerais mais elevados do que a água europeia. Isto não é problema para os locais, pois estão habituados a este ripo de água, mas para viajantes de lugares tais como a Europa, beber água da torneira pode levar a uma doença. Geralmente isto não é sério, o único sintoma será uma dor de estômago. A água engarrafada está disponível em todo o país. Marcas populares incluem Oulmes e Sidi Ali, Sidi Harazem e Ain Saiss DANONE.

Quase todos os viajantes receberão uma oferta de chá de menta pelo menos uma vez por dia. Embora na maior parte das vezes seja para atrair para uma loja em vez de um gesto simpático, é educado aceitar. Antes de beber, olhe o anfitrião nos olhos e diga 'bi saha raha'. Significa disfrute e relaxe, e impressionará qualquer local com as suas capacidades linguísticas.

Durma

Existem hotéis em Marrocos para todos os orçamentos, desde 1 estrela(simples) a 5 estrelas (luxo), e são classificados como auberge, riad, as rurais gîtes d'étape ou hotéis. As estadias normalmente incluem pequeno-almoço, e muitos incluem jantar.

Lugares para ficar

Pode encontrar Auberges nas áreas rurais ou em pequenas aldeias, e são construídas a partir da tradicional lama (kasbah), muitos dos quais com lareiras e terraços para tomar refeições. Os Auberges são muito confortáveis, pequenos e normalmente são operados e pertencidos por famílias locais.

Uma riad em Marraquexe.

Em Marrakech, Essaouira ou Fez, ou em qualquer outro lugar com uma medina (centro histórico), existem pequenos hotéis em casas antigas renovadas, chamadas riads. As riads são normalmente pequenas (cerca de seis quartos ou menos), limpas e muito bonitas, muitas vezes com um pequeno jardim num pátio interior ou num terraço, onde se serve o pequeno-almoço. As riads são normalmente demasiado pequenas para ter uma piscina, mas pode ter uma piscina pequena e pouco profunda, para arrefecer o ambiente durante os meses de verão. Algumas riads estão em antigas casas ou palácios de comerciantes e podem ter jardins e quartos opulentos.

As Gîtes d'étape são simples pensões, onde os caminhantes podem tomar um duche quente, uma boa refeição, e uma cama para dormir.

Os bivouacs de deserto são tradicionais tendas de nómadas, feitas de lã, com um colchão, lençóis e um cobertor. Pode tomar um duche no auberge, onde também pode tomar pequeno-almoço

Para além disso, existem os habituais hotéis modernos, encontrados em quase todas as grandes cidades e grandes vilas em Marrocos. Para aqueles com menos dinheiro, existem pousadas da juventude, que podem ser encontradas nas maiores cidades (camas de dormitório por cerca de Dh 50), enquanto que os hotéis económicos, mais baratos (quartos individuais por Dh 65) se localizam normalmente na medina. Estes hotéis podem ser muito básicos e muitas vezes não tem chuveiros nem água quente, enquanto que outros cobram entre Dh 5 e Dh 10 por um duche com água quente. Em vez disto, considere os hammams, banhos públicos, pois há muitos destes na medina e em áreas rurais.

Mais novos, mais limpos e ligeiramente mais caros são os hotéis de preço médio (individuais por Dh 75) espalhados pelas ville nouvelles, em cidades marroquinas.

Muitos hotéis, especialmente os que se localizam na medina, tem maravilhosos terraços, onde pode dormir se o clima for muito quente. Se não precisar de um quarto, pode alugar um colchão no terraço por Dh 25.

Para aqueles que quiserem acampar, quase todas as vilas e cidades tem um parque de acampamento, embora possam ser um pouco fora do centro. Muitos destes tem água, electricidade e cafés. Em áreas rurais e aldeias, alguns habitantes locais podem deixá-lo acampar na sua propriedade; mas assegure-se que antes pergunta.

Aprenda

A maior parte dos estrangeiros a querer estudar em Marrocos procuram cursos de linguagem de árabe ou francês. Todas as grandes cidades tem centros de linguagem, e algumas podem arranjar uma estadia na casa de uma família árabe durante o curso.

  • Centro para Estudos Árabes de Qalam wa Lawh [11], 31 Rue Qadi Ben Hamadi Essenhaji, Souissi Rabat. Tel.: (37) 75 57 90, arabic@qalamcenter.com. Oferece cursos de Árabe Moderno Básico, Árabe Marroquino Coloquial, Cultura Marroquina e de História Islâmica.
  • Centro Subul Assalam para a Linguagem árabe (SACAL) [12], Meknes way, Lotissement Al Hadika, Lote nº Q4/008, Fez. Tel: (+212) 35 65 07 06, sacal_fez@yahoo.com. Oefrece cursos de Árabe Moderno Básico, Árabe Marroquino Coloquial e uma série de cursos em inglês sobre o Islão e sobre Marrocos.
  • O Instituto para Estudos da Linguagem e da Comunicação [13], 29 Oukaimeden St, Agdal em Rabat. Tel: (37) 67 59 68, Fax: (37) 67 59 65, ilcs.adm@ilcs.ac.ma. O Instituto tem cursos intensivos e rápidos começando por volta dos Dh 3 000.
  • O Instituto da Linguagem Árabe em Fez (ALIF) [14], B.P. 2136, Fez 30000, Marrocos. Tel.: (212/35) 62 48 50, Fax: (212/35) 93 16 08, info@alif-fes.com Esta escola oferece cursos de Árabe Marroquino e Árabe Moderno Básico.
  • Dar Loughat - Cross-Cultural Language Center [15], Tel: +212 66 66 8 77 88, info@cclc-morocco.org - O Dar Loughat é um centro de linguagem em Marrocos dando cursos intensos para todos os níveis de Árabe Moderno Básico e Árabe Marroquino Coloquial durante todo o ano.
  • Speak Moroccan Arabic: Arabe Marroquino. [16]

Segurança

Como qualquer outro país, Marrocos tem os seus problemas, que podem ser evitados se seguir o senso comum. Evite ruelas escuras. Sempre que possível viaje em grupo. Esconda o dinheiro e passaportes ou ponha-os no cofre do seu hotel. Não perca de vista a sua carteira e/ou mochila. Assegure-se que não tem cisas importantes nos bolsos de trás ou à mostra.

Se sozinhas, as mulheres poderão sofrer de assédio quase constante, mas normalmente não é nada com que se deva preocupar. Não sinta a necessidade de ser educada em casos como esses. Os óculos escuros tornam mais fácil evitar o contacto visual. Se alguém não o/a quiser deixar em paz, procure famílias, uma loja movimentada, ou uma mulher local, e não tenha medo de pedir ajuda. Se quiser pode usar um hijab (lenço que se usa na cabeça), mas isto não é necessário. Marrocos pode ser um país muito liberal, e muitas mulheres marroquinas não usam um hijab. No entanto, as mulheres devem sempre vestir-se conservadoramente (sem calções, nem tops curtos), por respeito à cultura que está a visitar. Em cidades, as mulheres podem usar roupa mais reveladora, mas devem seguir o exemplo das mulheres locais. Os locais assumem que mulheres marroquinas que vão à ville nouvelle aos bares ou clubes nocturnos sozinhas são prostitutas à procura de clientes, e, embora isto não se aplique a mulheres estrangeiras, as não-locais podem também ser abordadas.

Tenha cuidado para não ser drogado, especialmente se estiver a viajar sozinho. O GHB só dura três horas e, após sete horas, é indetectável no corpo, por isso, se for atacado tome acções imediatamente.

Nos locais turísticos, sobretudo em Tanger, existe muita abordagem a fim de se vender algo, levar a algum lugar, explicar uma coisa que não se entende, chegando a ser mesmo incoveniente. O conselho é agradecer e seguir adiante. Estas pessoas normalmente são vigaristas, que só querem o seu dinheiro. Existem alguns guuias turísticos legítimos, mas saiba que o seu guia recebe uma comissão de tudo o que comprar enquanto estiver com ele, por isso não se deixe convencer a comprar alguma coisa que não queira.

Embora sejam cada vez menos frequentes, ainda existem ocasionalmente confrontos armados na zona do Saara Ocidental entre as forças governamentais e a frente polisário. Não ande fora do caminho batido, pois esta região é fortemente minado.

Saúde

  • Vacinas - Não são necessárias nenhumas vacinas em particular para entrar em Marrocos, em circunstâncias normais, mas verifique o site da CDC [17] para ver se existiram alguns surtos recentes. Como na maior parte das viagens, faz sentido ter uma vacina do tétano recente. Dependendo dos lugares onde pretende comer, talvez deva tomar uma vacina para a Hepatite A.
  • Comida e bebida - Evite frutas e vegetais não cozidos que não pode descascar. Evite toda a comida que não está preparada quando a pede (como por exemplo buffets, etc). Normalmente alimentos fritos e cozidos são considerados seguros. Alguns viajantes tiveram também problemas com certos condimentos (como a maionese) usados em restaurantes de comida rápida.
  • Água - é aconselhável beber água engarrafada (Verifique se a tampa nunca foi aberta - algumas pessoas podem tentar vender garrafas de água já usadas reenchidas com água da torneira). Tenha cuidado com gelo e outros artigos que possam ser feitos com água. Alguns hotéis oferecem água engarrafada grátis aos seus clientes e é aconselhável manter uma garrafa no seu quarto, para não se sentir tentado a beber água da torneira.
  • Sapatos - Guarde as suas sandálias para a praia. As ruas marroquinas assemelham-se a gigantescos depósitos de lixos, e você não quer ficar com cabeças de peixe nem pedaços de frango presos nos seus pés.
  • Malária - Presente nas áreas costeiras do norte do país, mas não é um grande problema. Tome as precauções habituais contra a malária (roupa clara, repelente de insectos, etc) e se estiver preocupado consulte o seu médico antes da partida.

Respeite

  • Saudações. Entre amigos próximos e família (mas raramente entre homens e mulheres!) normalmente usa-se três beijos na bochecha. Em outras circunstâncias normalmente usa-se um aperto de mão. A seguir ao aperto de mão, toque no seu coração, isto representando respeito e sinceridade.
  • As mãos esquerdas são tradicionalmente consideradas 'impuras' na religião muçulmana e nas culturas nómadas árabes, pois costumavam ser usadas para higiene nas sanitas. Como em muitas culturas pode ser considerado má-educação dar um aperto de mão, dar dinheiro, oferecer ou aceitar alguma coisa com a esquerda.
  • Idosos. Os marroquinos ainda tem a tradição de respeitar os seus idosos e os doentes. Se um deficiente ou alguém mais velho que você passar por si, pare, e deixe-o passar. Se um táxi chegar e estiver à espera com um idoso, espera-se que deixe o idoso ir primeiro que você. Não se espera que os turistas façam isto, mas os turistas são mais respeitados quando aderem às tradições marroquinas.

Mantenha contato

Telefone

Pode encontrar telefones públicos nos centros de cidades, mas as teleboutiques ou telekiosques são também usadas frequentemente. O prefixo telefónico internacional (para ligar desde fora do país) é +212, mas o preço destas chamadas é relativamente caro.

Números úteis Polícia: 19; Bombeiros: 15; Serviço de Emergência das Auto-estradas: 177; Informação: 160; Informação Internacional: 120; Telegramas e telefones: 140; Intercidades: 100.

A rede telemóvel GSM em Marrocos pode ser acessada através de duas grandes operadoras: Meditel [18] ou Maroc Telecom [19]. Pode comprar cartões pré-pagos. Mais informações sobre os serviços disponíveis, cobertura e outras coisas em: GSMWorld [20].

é muito fácil e barato comprar um cartão pré-pago local da GSM numa das numerosas lojas telefónicas com o sinal da Maroc Telecom. Um cartão SIM (carte Jawal) custa só 30 DH (3 euros).

Correio

O serviço postal marroquino é normalmente confiável e oferece um serviço de post restante nas maiores cidades por uma pequena quantidade de dinheiro. Vai precisar de identificação (preferivelmente um passaporte) para receber o seu correio.

E-mail e internet

Os marroquinos usam muito a internet. Os Internet cafes estão abertos até tarde e são numerosos em cidades e pequenas vilas com muitos turistas. O preço é de cerca de 4 - 10 dirhams por hora e estão normalmente situados perto, abaixo ou acima dos telekiosque.


Variantes

Ações

Docentes do destino

Noutras línguas

outros sites