Contribua para um artigo e ajude o wikitravel a crescer! Aprenda como.

Ilhas Pitcairn

Da Wikitravel
Polinésia : Ilhas Pitcairn
Revisão das 20h58min de 5 de abril de 2007 por Sylx100 (discussão | contribs)

(dif) ← Revisão anterior | Ver revisão atual (dif) | Revisão posterior→ (dif)
Ir para: navegação, pesquisa
Tedside, Pitcairn Island (by permission of Andrew Christian)
Bandeira
Pc-flag.png
Informações Básicas
Capital Adamstown
Governo Democracia parlamentarista (Colônia Britânica)
Moeda Dólar da Nova Zelândia (NZD)
Área 47 km2
População 45 (est. julho 2006)
Idioma Inglês (oficial), pitkern
Religião Adventistas
Código telefônico 872
Internet TLD .pn
Fuso horário UTC -8


As Ilhas Pitcairn [1] são um agrupamento remoto de ilhas no Pacífico Sul, longe de qualquer continente e mesmo de outras ilhas habitadas. Elas são a última Colônia Britânica no Pacífico Sul. A acidentada ilha principal foi ocupada pela tripulação amotinada do navio Bounty e pelos polinésios que os acompanhavam, sendo que a maioria dos habitantes da ilha hoje em dia são seus descendentes. Eles formam a entidade de menor população a possuir um código ISO de país.

Regiões

  • Ilha Pitcairn - a única habitada do arquipélago
  • Ilha Henderson - a maior de todas, e tombada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO devido às espécies ameaçadas de pássaros que lá habitam
  • Ilhas Oeno e Sandy - par de ilhas próximas e local de "descanso" dos locais.
  • Ilha Ducie - distante das outras, com bastante pássaros exóticos

Cidades

  • Adamstown, uma vila formada por casas dispersas, localizada no alto da Montanha da Dificuldade, acima da baía Bounty. É a capital.

Entenda

Pitcairn ou foi habitada ou visitada com freqüência pelos polinésios há muitos séculos, pois há diversas inscrições nas pedras. Foi também visitada durante curtos períodos por exploradores portugueses e britânicos, um dos quais lhe deu o nome. Permaneceu deserta até 1790, quando os tripulantes amotinados do Bounty e seus colegas taitianos se estabeleceram na ilha sob liderança de Fletcher Christian. Eles queimaram e afundaram o navio na baía que recebeu seu nome. O lugar foi escolhido por não haver outro onde o navio (ou o que restou dele) pudesse ser escondido. Foi então fundada uma vila em Pitcairn. De início era uma comunidade sem lei, dominada por bêbados violentos, até que John Adams, o único amotinado que até então evitara acidentes e assassinatos, converteu as mulheres e as crianças ao cristianismo. A população permaneceu anônima durante 24 anos, até ser redescoberta pelos britânicos, os quais permitiram a permanência da comunidade. Pitcairn foi a primeira ilha do Pacífico a se tornar colônia britânica, em 1838, e assim permanece até os dias de hoje, como o último vestígio daquele império do Pacífico Sul. O pico populacional aconteceu em 1937, quando chegou a ter 233 habitantes.

Chegar

O isolamento de Pitcairn, a irregularidade do terreno, a burocracia e a escassez de recursos se juntaram para fazer dali um lugar muito difícil de ser visitado. Qualquer um que queira ficar na ilha por qualquer período de tempo deve requerer uma licença do governador, pois a irregularidade dos transportes implica em ter que ficar na ilha por várias semanas, às vezes meses. Essas licenças exigem atestado de saúde, prova de deixar a ilha ao final da visita, como uma passagem no próximo navio, um mínimo de US$300 por semana para cobrir os custos de vida, dentre outras condições, além de uma taxa de US$100; a validade da licença é de seis meses. [2]

De avião

Não há pista de pouso nas ilhas, as quais se encontram também fora de alcance dos helicópteros de qualquer outro lugar; logo, voar não é uma opção. A única área plana do local onde caberia apenas uma pista bem curta fica na remota ilha de Henderson, mas nada pode ser construído lá, por ser santuário ecológico e lugar tombado pela UNESCO. O aeroporto mais perto fica em Mangareva nas Ilhas Gambier, a 530 km.

De barco

Bounty Bay e a vila de Adamstown, conectadas pela recém pavimentada estrada na Montanha da Dificuldade. (by permission of Andrew Christian)

A ilha principal é acessível a turistas por meio de um número pequeno navios de cruzeiro e por iates particulares. Velejando da Polinésia Francesa é relativamente prático; de qualquer outro lugar, como Nova Zelândia ou Chile, significa atravessar milhares de milhas náuticas no Oceano Pacífico.

  • Pacific Expeditions - R/V Bounty Bay, P.O. Box 3063, Rarotonga, Cook Islands, +682-52400. [3] Oferece viagens de Mangareva, nas Ilhas Gambier, para Pitcairn.
  • Ocean Voyages, 1709 Bridgeway, Sausalito, CA 94965, EUA, +1 415-332-4681 [4] agenda charters para a região.

Fale

Compre

Coma

Beba e saia

Durma

Aprenda

Trabalhe

Segurança

Saúde

Respeite

Mantenha contato

Variantes

Ações

Docentes do destino

Noutras línguas