Contribua para um artigo e ajude o wikitravel a crescer! Aprenda como.

Etiópia

Da Wikitravel
África Oriental : Etiópia
Revisão das 11h43min de 27 de março de 2009 por Tiagox2 (discussão | contribs)

Ir para: navegação, pesquisa
Quedas do Nilo Azul
Localização
noframe
Bandeira
Et-flag.png
Informações Básicas
Capital Adis Abeba
Governo República federal; ditadura de facto
Moeda birr (ETB)
Área total: 1,127,127 km2

água: 7,444 km2 terra: 1,119,683 km2

População 74 777 981 (est. Julho 2006)
Idioma Amárico
Eletricidade 220V/50Hz
Código telefônico +251
Internet TLD .et
Fuso horário UTC+3

Etiópia é um país da África Oriental.

Entenda

História

A Etiópia é um dos países com mais história no mundo. É possível que o Homo sapiens se tenha originado nesta região, segundo descobertas recentes. A região da Etiópia e dos países seus vizinhos - Eritreia, Sudão, Djibouti, Somália e Somalilândia - abrigaram outrora o reino Aksumita, com as suas origas a remontarem aos Reinos de Sabá no Iémen (referidos na Bíblia) que, na época de 1000 a.C., abrangiam todo o Corno de África e parte da Península Arábica. Os gregos referem a extrema riqueza do reino Aksumita no século I e Adulis (na Eritreia) é mencionada várias vezes como dos mais importantes portos de África. Os registos, no entanto, especificam Aksum, na Etiópia como a capital e onde se encontravam as cortes da rainha de Sabá. No século II este reino possuia direito a tributo de estados da Península Arábica e tinha conquistado o meroítico reino de Kush, no actual Sudão. Segundo registos, este reino possuia populações judaicas, núbias, cristãs e mesmo minorias budistas.

Clima

Monção tropical. O tempo pode ser frio em Adis Abeba e outras zonas de elevada altitude.

Feriados

  • 7 de Janeiro - Natal Ortodoxo
  • 19 de Janeiro - Timket
  • 2 de Fevereiro - Festim do Sacrifício (varia; data de 2005)
  • 2 de Março - Dia de Adwa
  • 21 de Abril - Nascimento do Profeta Maomé (varia; data de 2005)
  • 29 de Abril - Sexta-feira santa (varia; data de 2005)
  • 1º de Maio - Páscoa Ortodoxa (varia; data de 2005)
  • 2 de Maio - Segunda-feira de Páscoa (varia; data de 2005)
  • 5 de Maio - Dia dos Patriotas
  • 28 de Maio - Dia Nacional
  • 18 de Agosto - Buhe
  • 11 de Setembro - Ano Novo Etíope
  • 27 de Setembro - Meskel
  • 3 de Novembro - Fim do Ramadão (varia; data de 2005)

Regiões

Cidades

  • Adis Abeba - Capital da Etiópia;
  • Dire-Dawa - A segunda maior cidade da Etiópia;
  • Gondar - Onde estão alguns dos poucos castelos na África Oriental;
  • Nazret - Um destino popular para fins-de-semana (também chamada Adama);
  • Lalibela - Possui 11 igrejas escavadas na rocha.
  • Mekele - Uma pequena cidade nas terras altas de Tigray.
  • Aksum (também chamada Axum) - Com vários túmulos antigos e estelas, perto da Eritreia;
  • Bahrir Dar - Perto da nascento do Nilo Azul e do Lago Tana.

Outros destinos

  • Parque Nacional de Simien - é um parque nacional. Foi um dos primeiros sítios a ser adicionado à lista de Patrimônio da Humanidade (em 1978). Tem uma das mais espectaculares paisagens de África: as Montanhas de Simien. Outra atracção do parque é a vida selvagem. O lobo de Simien é o canídeo mais raro do mundo e pode ser encontrado nas montanhas. O Babuíno de Gelada é uma vista frequente no parque e, nas partes mais altas da cordilheira pode-se encontar ibex Walia.
  • Harar - Foi declarada Patrimônio da Humanidade em 2006. É considerada a quarta cidade santa do islão, com 82 mesquitas, três dos quais datam do século X, e 102 altares. Por séculos foi um grande centro comercial, ligada por rotas comerciais ao resto da Etiópia, todo o Corno de África, a Península Arábica e, através dos seus portos, ao resto do mundo.
  • Tiya - Tiya é bem conhecida pelo seu complexo funerário, com 36 estelas, a maior parte delas com símbolos. Foi designado Patrimônio da Humanidade em 1980.
  • Rio Awash - Uma espectacular paisagem, e um sítio arqueológico importante, visto que foi no seu vale que em 1974 encontraram o esqueleto do hominídeo mais famoso do mundo: Lucy.

Chegar

Todos os visitantes à Etiópia (excepto os quenianos e os djibutianos) tem que obter um visto de entrada. Desde 2002, turistas de 33 países (para a lista dos países, veja De avião) podem obter o seu visto de entrada no Aeroporto Internacional de Bole (em Adis Abeba) ou no Aeroporto de Dire-Dawa, à entrada no país.

De avião

Aeroporto em Adis Abeba.

A Ethiopian Airlines é uma das mais reputadas linhas aéreas em África. O Aeroporto Internacional de Bole, em Adis Abeba é o principal destino para voos da Ethiopian Airlines, embora também receba voos da Lufthansa [1], Sudan Airways [2], British Airways [3], KLM [4], Turkish Airways [5] e Emirates [6].

AVISO: Não é aconselhável chegar ao país sem dinheiro em dólares ou euros, especialmente se não obteu o visto antes da chegada. Cidadãos de 33 países (Argentina, Austrália, Áustria, Bélgica, Brasil, Canadá, China, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Israel, Itália, Japão, Coreia do Sul, Kuwait, Luxemburgo, México, Países Baixos, Nova Zelândia, Noruega, Polónia, Portugal, Rússia, África do Sul, Espanha, Suécia, Suíça, Tailândia, Reino Unido e Estados Unidos) podem obter o visto no aeroporto - mas pode durar um pouco a obtê-lo em "hora de ponta".

  • Se quiser alguns hotéis poderão mandar um veículo para ir buscar um hóspede ao aeroporto (para isto é necessário reservar quarto).
  • Existem também aeroportos internacionais em Dire-Dawa, Bahrir Dar e Mekele.

De barco

A Etiópia não tem litoral e usa o porto em Djibuti. Desde aí, a Etiópia pode ser acessada através de comboio, de autocarro ou de carro seguindo uma boa estrada até à fronteira e um caminho de terra daí para a frente.

De carro

Uma maneira de entrar no país a partir do Sudão é através da aldeia de Metema, na fronteira. Uma maneira de entrar no país a partir do Quénia é via a aldeia de Moyale (na fronteira). A estrada do Quénia para a Etiópia está em muito melhor estado que a estrada do Sudão para a Etiópia, através de Metema. No lado queniano da aldeia de Moyale a estrada é horrível e é conhecida pelos ladrões, por isso tenha cuidado e tenha a certeza que tem muito tempo, pelo menos 24 horas, para viajar desde Nairobi até Moyale.

De autocarro/ônibus

  • Os transportes públicos levam-o até à fronteira. Para/desde o Sudão ou o Quénia simplesmente ande até ao outro lado. Se chegar às cidades-fronteira de noite tente não ultrapassar a fronteira enquanto estiver escuro. Espere nessa cidade e ultrapasse no dia seguinte.
  • Desde Gedaref (Sudão) apanhe um autocarro ou carrinha (700 SDnr) até à fronteira. O lado sudnês consiste num grande número de aldeias e numa pequena cidade. Na Etiópia encontrará uma melhor (mas básica) acomodação.
  • Desde o Djibuti pode apanhar um pequeno autocarro até à fronteira (duas/três horas), onde encontrará autocarros até Dire-Dawa. A estrada é um caminho de terra e a viagem durará pelo menos meio dia. Ao cair da noite o autocarro costuma parar e prosseguir viagem no dia seguinte.

De comboio/trem

Um caminho-de-ferro liga Adis Abeba ao Djibuti. De acordo com o governo dos E.U.A.: "viajar de comboio na Etiópia é fortemente desaconselhado devido a casos de sabotagem, bombardeamentos e descarrilamento". Mesmo que este risco pareça francamente pequeno, os comboios não circulam todos os dias, e a hora de partida é frequentemente adiada para mais de meio dia da hora anunciada. A viagem é lenta e desconfortável, mas muito barata.

Circular

De avião

Os voos da Ethiopian Airlines [7] tem um preço razoável e tem uma vasta rede de voos domésticos. Os voos estão frequentemente esgotados, por isso é essencial reconfirmar os seus bilhetes pelo menos um dia antes e aparecer no aeroporto a horas. Se se esquecer de reconfirmar eles vão assumir que não aparecerá e poderão dar os lugares a outra pessoa.


De carro

Uma boa maneira de circular na Etiópia é de carro. Pode apanhar pequenos aviões para acelerar a viagem, mas apreciará melhor a viagem se fôr de carro. Quatro companhias de roteiros razoáveis são a NTO [8], a Dinknesh [9], a Focus Tours Ethiopia [10] e a Ethiopia T Jazz [11]. Estas podem levá-lo a explorar as partes menos conhecidas do país (que também não é muito conhecido) e mostrar as belezas e atracções da Etiópia.

Alugar um carro é caro (os preços comecam entre 600 e 900, dependendo da marca e da qualidade do veículo. 600 Birr por um carro barato com condutor). Os condutores aumentarão o preço se o preço do combustível aumentar. Devem-se verificar as credenciais do condutor, bem como a licença de turismo, seguro, motor (interno e externo). Se for viajar para o sul do país verifique as matrículas.

Há muitas auto-estradas na Etiópia, a grande maioria destas em boas condições:

De autocarro/ônibus

Autocarro em Adis Abeba.

Existe uma vasta rede de autocarros baratos através as grandes estradas. Autocarros que percorrem pequenas distanças geralmente partem quando estão cheios (na prática, isto quer dizer uma hora, ou por aí); quase todos os autocarros que percorrem longas distâncias saem de madrugada (6:00h pelo relógio europeu; 12:00h no relógio). Os autocarros não viajam de noite; eles pararão antes do pôr-do-sol numa aldeia ou cidade que tenha acomodamento para os passageiros, ou, entre Dire-Dawa e Djibuti, em plena natureza. Entre algumas cidades (ex.: Nazret e Adis Abeba) mini-autocarros continuam a andar após a paragem de grandes autocarros para a noite. Segundo a lei, toda a gente no autocarro deve ter um assento - isto previne o excesso de passageiros, mas, por vezes, torna difícil apanhar um autocarro num ponte intermédio de uma rota. Se está a planear viajar de autocarro, tenha em mente que os veículos são velhos e as estradas estão em mau estado. Os etiopianos não gostam de janelas abertas, por isso pode ficar abafado dentro dos autocarros à tarde.

As estações de autocarro abrem por volta das 5:00h. Se quiser apanhar um autocarro de manhã cedo deverá estar na estção às 5:00h. De manhã as estações estão caóticas, e muitos autocarros esgotarão antes da sua partida, às 6:00h. Para fazer as coisas mais fáceis, podem-se reservar bilhetes. Os bilhetes de autocarro estão em amárico, mas deve estar escrito em números reconhecíveis o número de autocarro. Em cidades pequenas pode comprar o bilhete ao motorista do autocarro quando este chega. Mesmo se já tiver um bilhete, chegue cedo e reclame um lugar. Se não tiver bilhete terá de pedir a alguém que lhe indique o autocarro (a não ser que saiba falar amárico). Neste caso, não se incomode em comprar um bilhete ao motorista - apenas empurre as pessoas até entrar no autocarro e reclame um lugar! O condutor vendêr-lhe-à um bilhete maos tarde.

Em várias rotas (ex.: Adis Abeba - Dire-Dawa; Bahardar - Adis Abeba) pode também encontrar uma espécie de carro de turistas sem hora fixa de partida; se estiver a olhar a estação de comboios pode ser abordado por alguém que lhe oferece um trajecto mais rápido, indo num carro privado; isto é muito mais caro que o autocarro normal, mas também muito mais rápido. Dar-lhe-ão um número de telefone para ligar e reservar o lugar. Estes carros podem sair antes do pôr-so-sol ou até andar à noite.

De comboio/trem

Existem um comboio lento e desconfortável entre Adis Abeba e Dire-Dawa.

De bicicleta

As condições da estrada na Etiópia variam de região para região; nalguns sítios a estrada é alcatroada e suave; em outros consiste de grande blocos de pedra. A acomodação é barata (e existente) em quase todas as aldeias e cidades (embora estes "hotéis" funcionem também como bordel e bar). Também é facil encontrar comida e água. Vai atrair muita atenção (não é invulgar as escolas esvaziarem-se porque as crianças o estão a perseguir).

Fale

Veja também Guia de conversação amárico

O amárico é a linguagem oficial da Etiópia. é uma linguagem semita relacionado com o hebreu e o arábico, por isso se souber uma destas linguagens reconhecem-se alguns cognatos. Em todas as partes do país alguém fala amárico, qualquer que seja a sua língua-mãe. Esta língua é escrita em escritura Ge'ez.

Em grandes cidades a maior parte das pessoas (com idade inferior a 40) fala inglês. Em áreas rurais encontre crianças locais das escolas que podem traduzi-lo por uma quantia mínima. (Os etiópios tem uma maneira diferente de falar inglês. Como tem muito sotaque pode ser difícil percebê-los no princípio, no entanto, quando se habituar à maneira como dizem algumas palavras em inglês, torna-se mais perceptível.)

Mais a norte, em Tigray, a linguagem principal é Tigrínia, que também é escrito em Ge'ez. No entanto, a população (quase toda) sabe falar amárico.

Nas regiões médias, o oromo é universalmente falado. A linguagem oromo usa um alfabeto latino.

Compre

Birr etiopiano.

A moeda oficial é o Birr etiopiano (ETB). Só pode exportar e importar uma quantia inferior ou igual a 100 Birr. Normalmente os hotéis e aluguer de carros tem que ser pagos em dinheiro.

Os multibancos são raros. Existem algumas em Adis Abeba, mas só funcionam com VISA.

O Banco Dashen possui 19 multibancos em Adis Abeba. As mais confiáveis são as do Hotel Sheraton e do Centro Comercial Dembel. Existem também multibancos no Hilton Adis Abeba, bem como no edifício DH Geda na Estrada de Bole.

Câmbio de moedas e Cheques de Viajante

Qualquer banco comercial no país pode fazer câmbio de moedas e emitir Cheques de Viajante. As taxas são iguais em qualquer lugar. Há dezenas de bancos comerciais em Adis Abeba, incluindo nos Hotéis Hilton e Sheraton, e na esquina do salão de reclamação de bagagem, no aeroporto. A maioria das cidades e vilas que os turistas visitam terá pelo menos um banco comercial, excepto as aldeias do vale do Omo. Dólares americanos, euros, ou libras britânicas são as melhores moedas para transportar dinheiro.

É ilegal trocar dinheiro no mercado negro e as taxas não são muito melhores do que aquilo que você consegue nos bancos.

Coma

Mulher a fazer Injera em Gondar.

O Injera é o prato nacional da Etiópia. É um pão esponjoso, de sabor picante feito à mão a partir de grão que cresce nas terras altas da Etiópia. É comido com wot (ou wat), os tradicionais ensopados feitos com especiarias e carne ou legumes. Alguns wats populares: wat de Doro (frango), wat de Key (carneiro) e wat de Asa (peixe). Outro prato popular é Tibbs, carne picante e frita em manteiga. Ela pode ser muito má (queimado e a parecer madeira petrificada) ou extremamente delicioso e suculento, como é feito em restaurantes mais populares. (O Holiday Hotel em Adis Abeba serve deliciosa tibbs)

O injera fica directamente em cima de um prato redondo grande ou bandeja e é coberto com wats colocados simetricamente em torno de um ponto central. Os vários wats são comidos com outros pedaços de injera, que são servidos num prato lateral. O injera é comido com a mão direita - rasgue um grande pedaço de injera nos pratos ao lado e use-o para pegar um dos diversos sabores de wat sobre o prato principal. Não coma com a mão esquerda! Na Etiópia, a comida é um dom de Deus respeitado e comer com a mão esquerda é um sinal de desrespeito.

Se você prefere comidas vegetarianas, experimente o wat de Shiro que é um legume cozido, servido com injera, na maioria das vezes você tem de perguntar especificamente por ela.

Kitfo é carne picada, temperada com chili. Você pode comê-lo cru (a maneira preferida dos locais comerem, mas há o risco de apanhar parasitas), leb-leb (levemente cozidos) ou totalmente cozidos. Vem com um queijo local, ayeb, e um espinafre.

Para o viajante picuinhas, em quase todos os locais na Etiópia se serve espaguete (graças à curta e vencida ocupação italiana). Em bons restaurantes, em Adis Abeba, você pode encontrar excelente espaguete, e nos lugares mais isolados é normal encontrada queimada e com muito molho de tomate.

Beba e saia

A cerimónia do café envolve beber um mínimo de três xícaras de café e comendo pipocas. É uma honra especial, ne um sinal de respeito ser convidado para a casa de alguém para a cerimónia do café.

Tej é um vinho de mel, semelhante ao hidromel, que é frequentemente bebido no bar (em particular, num tejbeit).

Uma variedade de cervejas etíopes estão disponíveis, a maior parte das quais são boas, bem como vinho etíope - tanto vermelho como branco - que não iria ganhar prêmios, mas é bebível.

Durma

Há uma grande variedade de acomodações na Etiópia. Existem um luxuoso Hotel Sheraton em Adis. No entanto, também podem ser encontrados "hotéis" que oferecem quartos que consistem numa pequena cama num quarto minúsculo, na aldeia fronteiriça de Moyale.

Para além da informação abaixo, pode consultar [12], onde pode pesquisar e reservar mais de 200 hotéis, pensões, estalagens, etc..

As áreas mais turísticas geralmente oferecem uma maior variedade de acomodação, mas os preços são também maiores. é possível negociar o preço com o dono do hotel, porque é vulgar eles cobrarem preços de "faranji" (estrangeiro), que são por vezes 20 vezes o preço normal. Nao conseguirá baixar o preço até níveis normais (perto de nada), mas pode baixá-lo muito. Isto não é possível na cadeia de hotéis "Ghion", controlada pelo governo, bem como nas cadeias de hotéis mais caras, onde os preços para estrangeiros são fixos. (Bekale Mola, por exemplo)

Vista de Adis Abeba com o Hotel Sheraton.
  • Adis: Adis tem muitos hotéis baratos. A maior parte dos turistas ficam na área da piazza, onde há muitos hotéis, desde hotéis muito baratos (1-2 euros), a moderadamente baratos (8 euros). À excepção do mais barato, a maior parte deles tem água quente corrente, e estão muito limpos. No Park Hotel os preços começam em 20 Birr por um individual e 30 Birr por um duplo. Dois grandes hotéis são o Hotel Taitu e o Hotel Wutma.
Os dois maiores hotéis em Adis são o Sheraton e o Hilton. Ambos são enormes e muito bons (do ponto de vista de um ocidental). São também bastante caros, e cobram mais de 73 euros por noite. Ambos tem piscinas, bons restaurantes, lojas de recordações e pastelarias, e os quartos são muito confortáveis.
  • Fora de Adis; Mais para norte: Em todas as cidades (Aksum, Lalibela, Bahir Dar, Gondar) podem-se encontrar hotéis de todos os preços, desde muito baratos a caros. Mas também em aldeias e vilas mais pequenas podem-se encontrar acomodações baratas, se não se importar de ficar com quartos muito básicos. Uma cidade turística como Debark, que serve de ponto de entrada para o Parque Nacional de Simien, oferece uma grande variedade de hotéis, sendo o mais famoso o Simien Park Hotel (25/30 Birr). Tem boa comida, e tem água e electricidade, para além de ser limpo e higiénico.
  • Fora de Adis; No sul: Todas as cidades (Shashemane, Wondo Genet, Awasa, Arba Minch, Jinka...) tem hotéis decentes, e baratos. Os quartos mais básicos começam em 15 Birr por um individual e 20 por um duplo. Muitos deles não tem água quente e electricidade todo o dia. Existem também três (muito caros) resorts nas costas do Lago Lanagano. Nas pequenas aldeias dentro e em volta do Vale do Omo (Weyto, Turmi, Key Afar, Dimeka, Konso, etc.) existem poucos hotéis (muito básicos), ou então nenhuns, mas se está a viajar no vale para ver as tribos existe sempre um sítio de acampamento ou um restaurante que oferece camas. Se acampar numa destas aldeias deverá contratar um guarda para guardar as suas coisas durante a noite.

Aprenda

Aqui estão alguns colégios e universidades na Etiópia (as universidades mais importantes estão a negrito):

  • Universidade de Adama (Nazret)
  • Universidade de Adis Abeba (Adis Abeba)
  • Universidade de Haramaya (Haramaya)
  • Colégio Alfa (Harar)
  • Colégio de Agricultura de Ambo (Ambo)
  • Universidade de Arba Minch (Arba Minch)
  • Colégio Adventista de Awasa (Awasa)
  • Universidade de Bahir Dar (Bahrir Dar)
  • Colégio Comercial de Adis Abeba (Adis Abeba)
  • Universidade de Hawassa (Hawassa)
  • Universidade de Gondar (Gondar; Um de dois colégios médicos no país)
  • Universidade de Jimma (Jimma)
  • Colégio de Educação de Professores de Kotoebe
  • Universidade de Mekele (Mekele)
  • Colégio Pessoa para Pessoa (Harar)
  • Colégio Teológico da Santa Trindade (Adis Abeba)
  • Colégio da Unidade (Private)
  • Escola de Telecomunicações e Tecnologias da Informação
  • Universidade de Jijiga (Jijiga)

Trabalhe

A Etiópia tem um dos desempregos mais baixos de África. A taxa de desempreço é 5 % (2005).

A economia do país é baseada na agricultura. 69% da população levam um modo de vida agrário. No entanto, em grandes cidades (especialmente Adis):

  • Existe uma grande procura de profissionais na área de Tecnologias da Informação;
  • Muitas companhias (das mais recentes) procuram indivíduos com experiência em computadores;
  • Adis tem o maior número de organizações não governamentais (ONGs) em África. Estas tem reputação de pagar elevados salários aos seus trabalhadores;
  • Muitos expatriados trabalham em ONGs e fundam empresas de tecnologias da informação.
  • Comparada com outras cidades africanas, Adis tem um grande número de escolas de informática, bem como instituições de educação governamentais e privadas.

Segurança

Travel Warning ALERTA: Em 2 de Março de 2007, dez turistas europeus foram raptados na remota parte nordeste do país, conhecida por ter rebeldes e bandidos. Embora todos os turistas tenham sido libertados e devolvidos às suas famílias em 11 de Março, viagens à região nordeste de Afar não são recomendadas.


Saúde

Respeite

Mantenha contato


Variantes

Ações

Docentes do destino

Noutras línguas

outros sites