Contribua para um artigo e ajude o wikitravel a crescer! Aprenda como.

Caminhar no Corvo

Da Wikitravel
Grupo Oriental : Corvo : Caminhar no Corvo
Revisão das 17h04min de 27 de junho de 2012 por Tiagox2 (discussão | contribs)

(dif) ← Revisão anterior | Ver revisão atual (dif) | Revisão posterior→ (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

Este artigo é um itinerário.


Caldeirão.

Caminhar no Corvo pode ser uma experiência inesquecível, e, apesar de ser frequentemente reconhecida como o local habitado mais isolado em Portugal, é também uma das mais belas ilhas do arquipélago dos Açores. A sua zona montanhosa, que inclui o vulcão que deu origem à ilha, jutamente com a deslumbrante paisagem beira-mar faz desta ilha um dos mais bem escondidos tesouros de Portugal.

Entenda[editar]

Caminhos[editar]

Estes caminhos foram criados pela Câmara Municipal do Corvo.

Caminho Pedestre 1[editar]

Caminho Pedreste 1: Caldeirão-Ponta do Marco-Cancela do Pico.

O caminho desenvolve-se em duas zonas naturais: uma classificada Sítio de Interesse Comunitário do Caldeirão (SIC) e uma Zona de Interesse Especial, (ZIE) dada a rica biodiversidade, incluindo plantas endémicas à Macaronésia, constituindo um habitat único. Ao longo do trilho encontrará cones vulcânicos, e uma diversificada flora, incluindo hortênsias. Este trilho pedestre, um dos maiores criados pelo concelho, desenvolve-se ao longo do Serrão Alto e do Espigãozinho, percorrendo 5,3 km, desde o Caldeirão até à Cancela do Pico. Ambos os pontos se encontram perto de estradas (a preto no mapa).

Possui um alto grau de dificuldade, devido ao terreno montanhoso, às escarpadas falésias e arribas, que se encontram rentes ao caminho, bem como devido ao nevoeiro que surge repentinamente devido à elevada altitude. A realização deste percurso só é aconselhada pelo município na presença de um guia de campo, facto pelo qual não se encontra sinalizado. Existem muitas formações geológicas de grande interesse, principalmente os cones vulcânicos.

Caminho Pedestre 2[editar]

Caminho Pedreste 2.

Pelo caminho podem ser encontrados vários pontos de interesse, como antigos abrigos, formações geológicas de grande interesse, líquenes gigantescos, bem como cedros-do-mato, abundantes em certos locais ao longo do trilho. Para além destes, é também interesse, os bebedoiros tradicionais do gado na Ilha do Corvo, observáveis em vários lugares. O trilho encontra-se no limite de duas reservas naturais: Sítio de Interesse Comunitário e Zona de Protecção Especial. é responsabilidade comum contribuir para a sua conservação, bem como para a asseguração da biodiversidade existente neste habitat natural. Pelo caminho pode ver formações geológicas interessantes, líquenes de grandes dimensões e magníficos cedros-do-mato.

Ambiente e natureza[editar]

Das espécies florestais do Corvo, destacam-se o cedro-do-mato, a criptoméria e o loureiro. A ilha possui, no entanto, uma reduzida área florestal. No entanto, a biosfera desta ilha é muito rica, possuindo uma rica variedade de biotopos típicos da macaronésia que lhe valeram a designação de Reserva da Biosfera pela UNESCO.

Prepare-se[editar]

Beba muita água e leve muita na mochila; esta é essencial, pois após algum tempo vai começar a abrandar e a ficar com sede. Em certas alturas do ano a ilha pode ser muito húmida e fria, por isso não leve camisolas de manga-curta (embora também não seja recomendável ficar muito agasalhado - vista-se de acordo com o tempo).

O Corvo é muito montanhoso, por isso é recomendável que tenha umas boas botas de caminhada.

Chegar[editar]

Sendo uma ilha e um dos locais mais isolados do país, só é possível chegar à ilha por avião ou barco.

De avião[editar]

  • A Ilha do Corvo é servida pelo Aeródromo do Corvo (perto da Vila do Corvo), operado pela SATA Air Açores [1], que liga o aeródromo a Horta, a Flores e a Lajes. É possível chegar à ilha vindo de Lisboa (o voo dura por volta de cinco horas e meia), com escala em Lajes.

De barco[editar]

  • É possível chegar à ilha por barco desde Flores, com uma viagem de duração entre 45 minutos e hora e meia. Algumas empresas que operam este serviço são:
    • Lancha Pérola do Corvo (tel.: (+351) 292 596 207) - Com espaço para 30 passageiras, a maneira mais confortável de atravessar o canal entre as duas ilhas.
    • Lanchas Nauticorvo (tel.: 91 776 3064) - Entre 8 e 12 pessoas.
    • Lanchas Convento (tel.: 91 776 3031) - Entre 8 e 12 pessoas.
    • Lanchas Hotel Ocidental (tel.: 91 839 0189) - Entre 8 e 12 pessoas.

Caminhos Pedestres[editar]

Caminho Pedestre 1: Caldeirão - Ponta do Marco - Cancela do Pico[editar]

Lagoas do Caldeirão, ponto de início do 1º Caminho Pedestre.

Começa no Miradouro do Caldeirão, terminando na Cancela do Pico percorrendo cerca de 5,3 km e durando cerca de 4 horas. O caminho segue pelo cume do Caldeirão (ver Corvo, com magníficas vistas para o interior da caldeira do vulcão, com as suas lagoas, e para as falésias da ilha. Ao chegar à parte mais íngreme do Caldeirão, o caminho desce a encosta norte e desde aí pode-se apreciar uma vista para a Ponta do Marco (ver Corvo) e para a pequena praia ao seu lado esquerdo. Siga sempre a falésia, mas cuidado, pois o terreno é muito acidentado, e não se deve aproximar da falésia. A meia encosta existe uma bela fonte de água. Por fim, chega a um caminho com hortênsias de ambos os lados, que acaba na Cancela do Pico, onde acaba o caminho.

Caminho Pedestre 2: Cara do Índio[editar]

Panorâmica da Vila do Corvo, ponto final do 2º Caminho Pedestre, com a Ilha das Flores ao fundo.

Este percurso começa na Cova Vermelha, e termina em Vila do Corvo, durando cerca de 2 horas e 3,5 km . O caminho seque antigas “canadas” ladeadas de muros feitos de rocha, indo em direcção à costa e passando por um miradouro com uma majestosa vista da vila. Chegando á falésia, vira-se à direita para chegar ao ponto desde o qual é observável a Cara do índio (ver Corvo), na rocha da falésia. Após ver a Cabeça, volta pelo mesmo caminho, mas continue sempre junto à arriba. Siga os sinais e encontrará à frente uma velha canada, que deve seguir, descendo sempre até Vila do Corvo.

Segurança[editar]

O crime na Ilha do Corvo é praticamente nulo. No entanto, algumas partes dos percursos são bastante perigosos, devido aos fortes ventos e devido ao facto de estarem à beira das falésias. O Caminho Pedestre 1, é muito perigoso (devido às falésias), e portanto só pode ser realizado com a ajuda de um guia (mesmo que quisesse tomar o risco e ir sozinho, o caminho não está sinalizado, por isso não é muito fácil).

O nevoeiro pode surgir repentinamente em locais mais altos; se tal acontecer, pare e espere que desapareça. Alguns dos caminhos podem ser muito perigosos com baixa visibilidade.

Não siga atalhos; pode perder-se.

Partir[editar]

O Corvo tem mais algumas atracções, como os moinhos da ilha e o Morro dos Homens. Próximo à ilha está a ilha das Flores, com as suas atracções naturais e vilas principais (Santa Cruz das Flores e Lajes das Flores). Pode também visitar outras ilhas do Grupo Central e Grupo Oriental dos Açores, bem como as ilhas da Madeira. Localizados a meio do Atlântico, os Açores estão muito próximos de Portugal Continental, mas também da América do Norte.



Este artigo é um guia. Ele tem muita informação, incluindo listas de hotéis, restaurantes, atracções e informação sobre chegada e partida. Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!

Variantes

Ações

Docentes do destino

Noutras línguas