Contribua para um artigo e ajude o wikitravel a crescer! Aprenda como.

Triunfo

Da Wikitravel
Ir para: navegação, pesquisa
Triunfo.jpg

Triunfo é uma cidade em Pernambuco.

Entenda[editar]

E eis que, em meio à aridez do Sertão do Pajeú, a 1.004 m de altitude, ergue-se, no alto da Baixa Verde, a pequenina cidade de Triunfo, a mais alta de Pernambuco, com 15.770 habitantes no Município (IBGE/2009) e temperatura média de 25ºC, chegando a mínimos 5ºC durante o inverno. Tudo em Triunfo parece ter sido talhado com primor: o açude, margeado pelo imponente Cine-Theatro Guarany e por sobre o qual passeia um teleférico; as torres das seculares igrejas e dos tradicionais conventos sobrepondo-se ao belo casario colonial do Século XIX; as antigas edificações em pedra perfazendo o caminho para os rústicos engenhos de cachaça e rapadura. As flores são um atrativo à parte, a brotarem viçosas nos canteiros e jardins da cidade. É tudo tão lindo que o lugar, carinhosamente apelidado de o "Oásis do Sertão", parece, em verdade, uma cidade cenográfica.

Chegar[editar]

Triunfo dista 443 km do Recife, 373 km de Petrolina e 30 km de Serra Talhada, todas em Pernambuco, bem como 234 km de Juazeiro do Norte - CE. Inexiste aeroporto no lugar, pelo que os mais próximos são, sucessivamente, os de Juazeiro do Norte (Orlando Bezerra de Menezes), e os Internacionais de Petrolina (Nilo Coelho) e do Recife (Guararapes/Gilberto Freyre). Há vôos diários e diretos conectando a cidade de Juazeiro do Norte a Fortaleza (Gol e Ocean Air), Recife (Gol) e Brasília (Ocean Air); e a de Petrolina a Recife (Gol e Ocean Air) e Salvador (Trip). Uma vez no Recife, o transporte regular de ônibus é efetuado a partir do Terminal Integrado de Passageiros - TIP (estação homônima do metrô) pela empresa Progresso, com duas saídas diárias às 5h50 (semi-direto, 9h de viagem) e às 23h30 (direto, 6h de viagem), ambas ao preço de R$ 47. Aos que optem por ir de carro, deve-se seguir pela BR-232 até Serra Talhada e então pegar a PE-365. De Petrolina, deve-se seguir pela BR-428 até o Trevo do Ibó, então pegar a BR-316 até Salgueiro, depois a BR-232 até Serra Talhada e então a PE-365. De Juazeiro do Norte, pela CE-223/CE-297 até São José do Belmonte - PE, depois pela PE-430/BR-232 até Serra Talhada, e então até Triunfo pela PE-365.

Circule[editar]

O circuito turístico urbano de Triunfo pode ser facilmente percorrido a pé. Para os roteiros rurais - Cachoeira dos Pingas, Casa Grande das Almas, Engenho São Pedro e Pico do Papagaio -, faz-se necessário transporte especial. Os hotéis e pousadas costumam facilitar os passeios. Em vãs particulares, com capacidade para 6 a 8 pessoas, costumam sair ao preço de R$ 40. Maiores informações com os condutores de turismo: Euclides Neto (87) 9921-2379 / 8841-0421 (Email: euclides_neto123@yahoo.com.br) e Herculano Jr. (87) 8807.5139.

Veja[editar]

  • Pórticos de Acesso da PE-365 e da PE-350 - Estão entre as mais recentes intervenções turísticas de Triunfo. Em estilo bávaro, repetem a fórmula de sucesso consagrada pelas "Mecas" do turismo serrano brasileiro, as cidades da Serra Gaúcha. Do Pórtico da PE-365, a rodovia que faz a ligação com Serra Talhada, no chamado Mirante do Belvedere, descortina-se uma impressionante vista da cidade.
  • Açude João Barbosa - É o cartão-postal por excelência de Triunfo. Construído em 1850, rompeu em 1952, quando foi reconstruído. Ao seu redor, desenvolveu-se a cidade e se estabeleceram os principais edifícios públicos, com destaque para a Matriz de Nossa Senhora das Dores e para o Cine-Theatro Guarany, que dominam a paisagem. É entre o Guarany e o "Lago", na Praça Carolino Campos, o badalado passeio público que contorna o Açude e no qual se instalou um belo coreto, que acontecem os principais eventos da cidade, como a "cinquentona" Festa do Estudante. Por sobre o Açude desloca-se o teleférico, o único de Pernambuco. É possível andar de pedalinho sobre suas águas e, uma vez lá, contemplar uma das mais belas vistas de Triunfo.
  • Cine-Theatro Guarany - A construção do Guarany começou em 1919 por iniciativa dos irmãos Manoel e Carolino Siqueira Campos, prósperos comerciantes da cidade. Em estilo eclético, o Cine-Theatro foi inaugurado em 1922, com a peça "Cenas Mudas", conquanto a principal estrela fosse mesmo o imponente edifício. Infelizmente, o esplendor durou pouco, acompanhando o declínio político e econômico do Município. Ainda na década de 20, mudou de proprietário e passou a funcionar como bar. Em 1988, foi comprado pela Fundarpe, tombado pelo Patrimônio Estadual e posteriormente reformado.
  • Teleférico - Conectando a Rodoviária ao Centro de Turismo e Lazer do SESC, o Teleférico de Triunfo foi projetado para atender a, inicialmente, 200 usuários/hora, num percurso de cerca de 625 m, com um desnível entre estações de 95 m. É um equipamento que utiliza tecnologia de última geração, contando com controles computadorizados, velocidade multi-speed e sistema hidráulico de tensionamento do cabo rotativo, sistema único no Brasil nesse tipo de equipamento.
  • Matriz de Nossa Senhora das Dores - Esta bela construção em estilo eclético que domina a paisagem triunfense foi construída em 1926, em substituição à primitiva capela mandada erguer pelo missionário Frei Ângelo, fundador da cidade. Uma curiosidade: no lugar normalmente reservado ao pináculo (parte externa traseira do templo, bem no alto), ergue-se uma imensa imagem da Virgem das Dores "rezando por Triunfo".
  • Stella Maris - Inaugurado em 1939 e reestruturado em 1946, o belo e imenso conjunto paisagístico, conhecido por sua imponente alameda de palmeiras imperiais, ocupa o Sítio Horta, ao lado da Matriz de Nossa Senhora das Dores, funcionando como Colégio, Centro Pastoral Diocesano, Seminário Diocesano e Hospedaria, a preços bastante razoáveis. As irmãs e os seminaristas também produzem e comercializam doces, licores, geléias, flores e frutos cultivados em sua horta orgânica.
  • Casario Colonial - A razão do charme de Triunfo é, em certa medida, o fato de a cidade meio que haver parado no tempo, polarizada que foi a região por Serra Talhada. Recôndita em meio à Baixa Verde, a cidade se manteve distante da explosão demográfica característica dos anos 70, vindo a ser redescoberta pelo turismo. Assim, as construções do final do Século XIX e do início do Século XX mantiveram-se intactas, constituindo um de seus maiores atrativos. Andar pelas ruas de Triunfo é uma agradável experiência. O conservado casario, percorrido durante o carnaval pelos famosos "caretas", é mencionado até pelo prestigiado Guia Brasil Quatro Rodas.
  • Museu do Cangaço - Nem só de neblina serrana, ecoturismo e engenhos de cachaça e rapadura vive Triunfo. Muito pelo contrário: a cidade trava, há décadas, uma disputa com Serra Talhada pelo título de cidade natal de Virgulino Ferreira da Silva, o temido Rei do Cangaço. Polêmicas à parte, o Museu, fundado em 1975, reúne mais de 500 objetos, entre fotos, armas e vestimentas usados por cangaceiros e fazendeiros, bem como alguns pertences pessoais de Lampião. Trata-se de um dos museus mais importantes do Sertão pernambucano, e certamente um melhores do gênero no país.
  • Cachoeira dos Pingas - Assim chamada pela sucessão de pingos em que se converte durante a estiagem, o complexo de 6 quedas d'água, a mais alta delas com 60 m, está a 4,5 km do núcleo urbano. Balneável, é ideal à prática de esportes radicais. Uma escadaria leva ao alto, de onde se descortina uma incrível vista da região da Baixa Verde.
  • Casa-Grande das Almas - Localizada no Sítio das Almas, justo na divisa com o Estado da Paraíba, é uma construção do final do Século XIX com 14 cômodos, erguida pelo alferes João Timóteo de Lima. O curioso é que metade do casarão fica em território pernambucano e a outra metade em solo paraibano. Por essa razão, foi um dos abrigos preferidos por Lampião, que era amigo do alferes. Quando a polícia pernambucana chegava ali, Lampião se instalava nos cômodos do lado paraibano, onde os policiais pernambucanos não podiam atuar, e quando era a polícia paraibana que chegava, Lampião fazia o contrário. A casa conserva sua rústica estrutura original em pedra e cal e ainda guarda vários objetos de seu primeiro proprietário.
  • Engenhos/Engenho São Pedro - Triunfo também é nacionalmente conhecida como a "Capital da rapadura". Atualmente, existem no município 50 engenhos em atividade, produzindo 1,5 mil toneladas de rapadura por ano. O Engenho São Pedro, parte de um complexo rural que inclui a Pousada Baixa Verde e o Parque Aquático Águas Parque, é o mais famoso deles, fabricando a famosa Cachaça Triumpho. Destilada em alambique e envelhecida em barris de carvalho, possui características singulares de aroma e sabor propiciadas pelo ritual de cultivo e produção da cana em regiões altas.
  • Pico do Papagaio - Situado a 9 km do centro urbano, com acesso precário por estrada calçada de pedras e trechos de terra batida, é o ponto mais alto do Estado de Pernambuco, estando a 1.260 m acima do nível do mar. Em meio à caatinga, ergue-se como uma curiosa formação rochosa que parece desafiar a gravidade. Do alto, a bela vista do vale do Pajeú contempla 6 cidades: Afogados da Ingazeira, Carnaíba, Flores e Triunfo, em Pernambuco, e Princesa Isabel e São José da Princesa, na Paraíba.

Faça[editar]

  • Carnaval dos Caretas - O nonagenário folguedo dos Caretas de Triunfo consiste numa manifestação em que a estética, expressão de emoção e sensibilidade, apresenta-se como elemento simbólico que possibilita o envolvimento entre as pessoas. O estalido dos chicotes, o desenho das máscaras, as cores da indumentária, as mensagens trazidas nas tabuletas, o som dos chocalhos, o movimento dos corpos encobertos, o silêncio enigmático dos brincantes, tudo isso desperta sentidos e provoca emoções. O medo, a curiosidade e o orgulho formam uma tríade de elementos recorrentes que, marcando as lembranças dos indivíduos envolvidos na brincadeira, dão vida e sustentação ao Carnaval triunfense.
  • Festa do Estudante/Circuito do Frio - Tradicional festa realizada durante 8 dias todos os meses de julho e que reúne cerca de 150 mil pessoas em torno de atividades artístico-culturais e de lazer, com atrações de peso do cenário local e nacional. A festa, realizada desde 1958 na Praça Carolino Campos, à beira do Açude João Barbosa, faz parte do Calendário Turístico do Estado, integrando o Circuito do Frio.
  • Natal Triunfo - Com o objetivo de transformar o Natal de Triunfo no melhor do Nordeste, a Prefeitura Municipal e o SESC uniram esforços. Durante os mais de 30 dias de festa, apresentam-se nos 2 pólos do evento, as Praças Carolino Campos e José Veríssimo Jr., atrações como pastoris, reisados, côco, cantatas, orquestras e shows populares. Os momentos mais marcantes, contudo, são a abertura, com um coral infantil cantando da sacada do Cine-Theatro Guarany, show pirotécnico e serenata pelas principais ruas da cidade; e a chegada do Papai Noel no dia 24, com a Ópera Triunfo apresentando-se de um palco flutuante sobre o Açude João Barbosa.


Compra[editar]

  • Cachaça e rapadura - No Engenho São Pedro, é possível degustar e comprar a famosa Cachaça Triumpho, além de outras (entre R$ 13 e 17), bem como rapadura comum e batida (R$ 1,50 a caixa) e outras iguarias locais (alfenim, licor de cana-de-açúcar e doce de laranja).

Coma[editar]

  • Restaurante Café do Brejo - No Mirante do Belvedere, às margens da PE-365 e do Pórtico de Acesso (via Serra Talhada), encontra-se este aconchegante restaurante, integrante da Pousada Café do Brejo e no qual é possível saborear diversas receitas da culinária local à base de bode, todas devidamente acompanhadas de um bom vinho.
  • Restaurante do SESC - Duas iguarias fazem a fama do restaurante do Centro de Turismo e Lazer do SESC: a linguiça de bode e o mousse de licor de cana-de-açúcar, especialidades da terra. Melhor do que isso, só o fato de a chegada ao local ser via teleférico.
  • Restaurante Baixa Verde - Citado pelo Guia Brasil Quatro Rodas, é o melhor da cidade, integrando a Pousada Baixa Verde, um verdadeiro Hotel Fazenda. Especializado em culinária regional, serve um completo e delicioso café da manhã e ainda apresenta a vantagem de estar ao lado do Engenho São Pedro, no qual é possível degustar e comprar produtos típicos.

Beba e saia[editar]

Triunfo é uma pacata cidade interiorana, portanto não espere uma noite agitada. À tardinha, os moradores costumam esparramar-se em cadeiras colocadas nas calçadas e jogar conversa fora. À noite, a pedida é ir passear na Praça Carolino Campos, às margens do Açude, onde a juventude costuma se reunir para papear.

Durma[editar]

Econômico[editar]

  • Pousada Stella Maris - Sítio Horta, 05 - Centro. Tel.: (87) 3846.1705

Médio[editar]

  • Pousada Café do Brejo - Chácara Kelé (saída p/ Serra Talhada), km 1,5. Tel.: (87) 3846.1623
  • Ostellin Triumph - Rua Dr. Teodolino Rodrigues, 92 - Saudade. Tel.: (87) 3846.1244
  • Pousada Panorâmica - Av. Waldemar Lopes Ferraz, 129 - São Cristovão. Tel.: (87) 3846.1790

Esbanje[editar]

  • Pousada Baixa Verde - Rua Manuel Paiva dos Santos, 114 - Centro. Tel.: (87) 3846.1103


Partir[editar]

  • Roteiro do Cangaço - Controvérsias à parte, foi no vizinho Município de Serra Talhada que nasceu Lampião, mais precisamente no Sítio Passagem das Pedras, localizado a 42 km da "Capital do xaxado" (acesso pela estrada p/ Floresta) e palco da disputa entre os Ferreira e os Saturnino/Nogueira que tanto marcou o menino Virgulino, forjando o futuro cangaceiro. Além da réplica de sua casa no Sítio, vale à pena visitar o Museu do Cangaço, já no núcleo urbano, que funciona na antiga Estação Ferroviária e disponibiliza o completo acervo da atuante Fundação Cabras de Lampião, incluindo, dentre outras preciosidades, cartas de Lampião escritas de próprio punho e laudos médicos e raios-x das cabeças dos cangaceiros decepadas pela polícia.
  • Pedra do Reino - A composição de duas grandes rochas (uma com 30 e outra com 33 metros de altura), na Serra do Catolé, Município de São José do Belmonte (a 87 km de Triunfo, pelas PE-365/BR-232/PE-430), é o destino final de uma cavalgada que acontece todos os anos e que relembra o movimento sebastianista liderado por João Antônio dos Santos, em 1838. No local, o auto proclamado Rei João Antônio formou uma comunidade de fiéis seguidores, prometendo um reino de justiça, liberdade e prosperidade, no qual os pobres ficariam ricos e até os pretos renasceriam brancos. Em 1971, o escritor Ariano Suassuna publicou o livro "O Romance da Pedra do Reino", resgatando e dando notoriedade ao episódio, que virou até minissérie da Rede Globo. Situado à Praça Pires Ribeiro, 34, no Centro de São José do Belmonte, fica o Memorial da Pedra do Reino, expondo quadros, livros, documentos, fotos e fatos que se relacionam com o movimento.

Variantes

Ações

Docentes do destino

Noutras línguas