Contribua para um artigo e ajude o wikitravel a crescer! Aprenda como.

Níger

Da Wikitravel
África : Saara : Níger
Ir para: navegação, pesquisa


A última girafa selvagem da África Oriental.
Localização
noframe
Bandeira
Ng-flag.png
Informações Básicas
Capital Niamey
Governo Junta Militar
Moeda Franco CAF (XOF)
Área total: 1.267.000 km2
água: 300 km2
terra: 1.266.700 km2
População 11.665.937 (Julho 2006)
Idioma Francês (oficial), hausa, djerma
Religião Muçulmanos 80%, crenças nativas 20%
Eletricidade 220V/50Hz (plugue europeu)
Código telefônico +227
Internet TLD .ne
Fuso horário UTC+1


Travel Warning ALERTA: A área perto da fronteira com o Mali está praticamente na anarquia, e viajar junto da fronteira é FORTEMENTE desaconselhado. Vários turistas ocidentais foram raptados recentemente, incluindo um casal que desapareceu (só se descobriu o seu veículo), e um bretão que foi executado em Junho de 2009 pela Al-Qaeda depois de ser raptado em Janeiro com outros turistas ocidentais. Agadez é o centro da rebelião tuaregue (em Junho de 2009) e viajar à cidade é PERIGOSO E DESACONSELHADO.


Níger é um árido país do Saara com uma população de 12 milhões. faz fronteira com a Argélia, o Mali, o Burkina Faso, o Benin, a Nigéria, o Chade e a Líbia. É uma antiga colónia francesa que ganhou a sua independência em 1960. O território é principalmente constituído por planícies desérticas e dunas, com alguma savana no sudeste.

Entenda[editar]

História[editar]

O Níger foi incorporado na África Ocidental Francesa em 1896. Em 1922, foi transformado numa colónia. Em 1958, torna-se república autónoma da comunidade francesa e, em 1960, proclama a independência, abandonando a comunidade. Desde então, os militares dominam o país, estando em conflito constante com os tuaregues. A descoberta de urânio nos anos 70 aumenta o desenvolvimento do país, que declina com a descida dos preços do urânio nos últimos anos. Só em 1993, 35 anos depois da independência da França, é que o Níger realizou as suas primeiras eleições. Um acordo de paz em 1995 acabou com a insurgência tuaregue no norte. Golpes em 1996 e 1999 foram seguidos pela criação de um Concílio Nacional de Reconciliação que resultou numa transição para um regime civil em Dezembro de 1999. Em 2009, um golpe de estado depôs o governo eleito, e o Níger é actualmente regido por uma junta militar.

Economia[editar]

O Níger é um dos países mais pobres do mundo, cuja economia se centra na agricultura de subsistência, na criação de gado e na reexportação de produtos, bem como, cada vez menos, na extracção de urânio, principal produto de exportação desde os anos 70. A desvalorização do Franco CFA em 2004 impulsionou as exportações de feijão, cebola, e da pequena indústria de beneficiamento e tecelagem de algodão do país. O estado depende de várias ajudas, bilaterais e multilaterais - suspensas após o golpe de estado de 1999 - para gastar e fazer investimentos públicos.

Clima[editar]

O clima subtropical do Níger é geralmente quente e seco na maior parte do país. No extremo sul existe uma zona de clima tropical nos limites da bacia do rio Congo.

Regiões[editar]

Regiões do Níger
Norte
Ocupa a parte do território que é ocupada pelo deserto do Saara.
Sul
Ocupa a parte do território ocupada pelo Sahel.
Sudoeste
A parte mais a oeste e mais a sul, estendendo-se pela províncias de Tillabére e Dosso, bem como pela capital Niamey. É na sua maior parte constituído por savana









Cidades[editar]

  • Niamey — Capital e centro comercial, possivelmente a capital mais calma da África Ocidental.
  • Agadez — A Meca do comércio, ao longo das rotas trans-saarianas, durante cinco séculos, onde existe um magnífico palácio e várias mesquitas, servindo também como porta de entrada para as Montanhas de Air.
  • Ayorou — Tem um dos melhores mercados do Níger, e é ponto de começo de viagens para Gaya.
  • Diffa — Uma cidade entre dunas, servindo de porta de entrada para o Sudeste do país e para o Lago Chad.
  • Dosso — Tem um pequeno museu étnico, um mercado colorido e um ainda mais colorido palácio.
  • Maradi — Centro de agricultura (especialmente amendoins), com um colorido palácio e perto de rios sazonais que causam rochas de formas interessantes no sul.
  • Tahoua — Paragem na rota para Agadez
  • Zinder — A capital cultural do Níger, tendo também o mercado mais colorido de todos, bem como um museu regional e um palácio do sultão.

Outros destinos[editar]

  • Koure — Veja a última manada de girafas selvagens na África Ocidental; uma das mais fantásticas atracções do país.
  • Mercado de Baleyara — A duas horas de Niamey, um dos maiores mercados de animais de África, bem como um conjunto colorido de outros mercados tradicionais.

Património Mundial[editar]

Chegar[editar]

Precisa de um visto para entrar no país. Um visto de múltipla entrada de um ano custa €80,80. Precisa de um certificado de vacinação contra a Febre Amarela, prova da compra do voo de ida e volta, e um certificado do banco a assegurar que tem $500 (405€) na sua conta.

De avião[editar]

Existem dois aeroportos internacionais no país: em Niamey e Agadez.

Existem algumas companhias privadas (como a SIMair) com voos charter desde Niamey em pequenos aviões.

De barco[editar]

Existe um barco que liga Ayorou a Gao no Mali (CFA14, dois dias) às segundas.

De carro[editar]

Pode chegar ao Níger por terra através de estradas desde o Mali, o Burkina Faso, o Benin e a Nigéria. Algumas pessoas atravessam o Saara desde o norte (Argélia), mas esta área não é segura.

A fronteira com a Argélia em Assamakka/In Guezzam está aberta, mas tem que viajar com uma companhia de viagens licensiada em ambos os lados.

Pode usar uma moto (CFA500) para atravessar a fronteira com o Benin em Gaya/Malanville. Quando estiver do outro lado, pode usar o transporte público.

Pode atravessar a fronteira para o Burkina Faso em Foetchango, a sudoeste de Niamey. Pode também atravessar via Téra, a noroeste de Niamey.

A fronteira com a Líbia só está aberta para entrar no Níger, e precisa de estar na companhia de uma agência de viagens licenciada nigeriana.

Pode atravessar a fronteira para a Nigéria em três pontos: Gaya/Kamba, Birni N’Konni/Illela, Maradi/Katsina and Zinder/Jibiya. Desde Niamey, o mais fácil é atravessar a fronteira em Gaya/Kamba.

De autocarro/ônibus[editar]

Existem autocarros entre Niamey e Cotonou no Benin, demorando 14 horas a fazer a viagem. Atravessa-se a fronteira em Gaya/Malanville. Existem também autocarros e mini-autocarros até Ouagadougou no Burkina Faso, demorando cerca de 10 horas. Atravessa-se a fronteira em Foetchango, a oeste de Niamey. Para além destes, existe um serviço de autocarro entre Niamey e Gao no Mali, demorando mais de 20 horas.


Circular[editar]

De avião[editar]

O país tem 27 aeroportos/pistas de aterragem, 9 das quais são pavimentadas.

De barco[editar]

De meados de Dezembro a Março o Rio Níger é navegável por cerca de 300km, desde Niamey até Gaya, na fronteira com o Benin.

De carro[editar]

Uma estrada perto de Niamey.

Dos 10000 km de auto-estradas, só cerca de 2000 km estão pavimentados, e está-se a fazer um esforço para se melhorar secções da rede de estradas. Pode viajar desde Ouagadougou no Burkina Faso até Diffa, perto do Lago Chade em estradas num estado razoável. A estrada desde Niamey até ao Parque Nacional W, no sul, está pavimentada. A rota Zinder-Agadez está a ser repavimentada depois de ser deoxada ao abandono por vários anos. A estrada que percorre Birni Nkonni-Agadez-Arlit está em más condições.

Alugar um carro[editar]

É quase impossível alugar um carro, embora haja desde 2005 uma Hertz em Niamey, que aluga Toyota RAV4s. Também pode alugar um cat-cat (4x4 todo-o-terreno; do francês: quatre-quatre) com um consutor/guia, mas na maioria dos casos vai ter que arranjar uma companhia que organize expedições.

  • Tidene Expeditions, BP 270 Agadez, +227 440568, fax: +227 440 578

De autocarro/ônibus[editar]

O governo nigeriano criou recentemente uma serviço de autocarros ao longo das principais rotas do país. Embora andar de carro seja interessante, este são perigosos, muito quentes e caros. Para além disso, são forçados a encostar depois da meia-noite devido ao banditismo. Os grandes autocarros são Mercedes novinhos em folha e andam com um soldado durante a noite, por isso podem andar durante roda a noite. Para além disso, devido ao seu tamanho, podem andar por cima de buracos que destruiriam as carrinhas mais pequenas.

Fale[editar]

O francês é a "lingua franca" em todo o país, e a língua "oficial" para o governo, serve de segundo linguagem para quase toda a população. Quase todos os turistas devem conseguir comunicar usando o francês. Existem oito linguagens "nacionais", que são as línguas maternas dos nigerianos nas várias regiões do país. O Hausa é a linguagem mais falada regionalmente; perto de 50% de todos os nigerianos falam Hausa como sua língua-mãe, principalmente no centro sul e no sudeste do país. O Zarma é a segunda mais falada, com 2 milhões de falantes (incluindo 25% dos nigerianos) no sudoeste do país. Tamajeq, a linguagem dos tuaregues, é falado por quase 10% de todos os nigerianos no norte do país.

Zarma[editar]

Frases essenciais do Zarma:

  • Fofo: Olá
  • Mate ni go? (má-tei ni gou?): Como estás?
  • Sah-mai (sóm-ai): Bem
  • Mano...?: Onde é...?
  • Ai ga ba...: Eu quero...
  • Wo-nae: Aquele
  • Toe: OK.
  • Ai MAH fah-ham: Não percebo.
  • Ka-LA-tone-tone: Adeus

Hausa[editar]

Frases essenciais do Hausa:

  • Sannu: Olá
  • Kana LA-hiya: Como estás?
  • LA-hiya LO: Está tudo bem.
  • Na GO-day: Obrigado.
  • Sai ANjima: Adeus.

Compre[editar]

O artesanato nigeriano inclui:

  • Caixas de couro com impressões intrincadas (indo desde pequenas caixas de 5cm a enormes baús)
  • Outros produtos de couro
  • Joalharia de prata
  • Coloridos lençóis tecidos à mão
  • Coloridos tapetes de palha
  • Tecido (a marca Enitex só é feita no Níger, mas existem outras marcas que também são boas)

A moeda usada é o Franco CFA (FCFA — XOF).

Pode encontrar um multibanco no Banque Atlantique em Niamey. Os cartões de crédito quase nunca são aceites.

Não se aceitam dólares americanos ou qualquer outro tipo de moeda estrangeira, apenas para fazer câmbio via um banco ou mercado negro. Excepção: perto da fronteira com a Nigéria, aceita-se a moeda nigeriana, o naifa.

Negociar o preço é essencial e espera-se que o faça. É melhor ter um preço mínimo e um preço máximo em mente antes de começar a negociar. Se o preço for mais alto do que queria, diga obrigado e vá-se embora: se estivesse a oferecer um preço justo, é chamado outra vez. Se estivesse a oferecer um preço muito baixo, não vai ser chamado outra vez, mas pode voltar mais tarde e oferecer um preço mais alto.

Coma[editar]

Cuscuz.

A comida tradicional local inclui:

  • uma papa de painço com um molho de quiabo, um molho picante, um molho de tomate ou um molho de abóbora por cima, por vezes com vegetais e alguns pedaços de carne.
  • arroz com os molhos acima referidos
  • macarrão mole com um molho vermelho gorduroso
  • arroz e feijão
  • cuscuz de milho misturado com folhas de moringa, feijão-frade, e molho (chamado dumbou em Djera/Zarma, e só disponível nas regiões de Djerma/Zarma).

A disponibilidade destes pratos varia com a região, mas pode tentar as seguintes especialidades, normalmente disponíveis como comida de rua:

  • dumbou (ver acima)
  • kilishi: jerked beef (carne de vaca salgada, curada e dessecada) que vem em três sabores: normal, sabor a amendoim, e sabor a pimenta
  • masa: deliciosas panquecas de comidas com um molho castanho ou um tempero com sabor a amendoim, pimenta ou gengibre.
  • fari masa: bolas de farinha fritas servidas com uma salsa de tomate ou abóbora ou açúcar
  • chichena: do género do fari masa acima, mas feito de farinha de feijão em vez de farinha de milho
  • koudagou (Djerma/Zarma): pedações de batata doce fritos com molho

Menos exótico, mas também saboroso:

  • brochettes — kebab de carne feito de carne de vaca, cordeiro ou cabra
  • sanduíches de omelete
  • mangas: se estiverem na sua época, ficam maiores e mais suculentas do que qualquer outra nos países ocidentais
  • iogurte: pasteurizado, doce, e disponível em qualquer frigorífico
  • sanduíches de peixe frito
  • sanduíches de carne de hambúrguer
  • pratos de feijão verde com sabor a alho ou ervilhas (normalmente disponível em bares e restaurantes)

Cuidado com as saladas - normalmente não devem ser comidas por turistas ocidentais, mesmo na cidade.


Beba e saia[editar]

Beba muita água filtrada ou água engarrafada, pois é provável que fique desidratado na viagem. ÀS vezes é difícil encontrar água engarrafada, mas pergunte por "Purewater" (pronunciado pure-wata), que vem em sacos de plástico selados, normalmente por 25F (50F em locais muito isolados). Também vai ter que repor os níveis de sal mais frequentemente do que está acostumado.

Beber álcool é geralmente proibido na cultura muçulmana, por isso tenha cuidado para esconder sinais de uma bebedeira.

A cerveja nacional chama-se, muito apropriadamente, Biere Niger. A outra cerveja produzida localmente é um franchise da French West-African Flag. A Biere Niger é decente. Ambas são feitas com os mesmos ingredientes, a única diferença é a quantidade de malte que põe. Todas as outras cervejas, vinhos engarrafados e licores são importados.

As bebidas não-alcoólicas locais são deliciosas. Estas bebidas normalmente são boas na capital, mas, dependendo da qualidade da água, podem fazer mal nas áreas rurais. Estas são vendidas por mulheres foras das suas casas, por jovens raparigas com tabuleiras nas suas cabeças, ou por jovens rapazes que andam por aí a arrastar refrigeradores. Estas bebidas incluem:

  • lemu-hari: uma bebida doce com sabor a limão e gengibre
  • bisap: uma bebida vermelho escura feita de folhas de hibisco
  • apollo: uma bebida grossa, cor-de-rosa escura feita de fruta de baobá
  • degue: iogurte doce com pequenas bolas de milhete (parecido com tapioca)

Durma[editar]

É difícil encontrar alojamento e é melhor fazer reserva se ficar num dos grandes hotéis de Niamey. Existem bons hotéis em Agadez, Ayorou, Maradi, Niamey, La Tapoa e Zinder. Existem também parques de acampamento em Agadez, Boubon, Namaro e Tillabéri. Os hotéis locais podem ser um pouco básicos. Para mais informações, contacte o Secretariado Nacional de Turismo (Avenue du Président H Luebke, Niamey; tel.: 732 447).

Aprenda[editar]

Trabalhe[editar]

Segurança[editar]

O Níger é politicamente instável, e portanto existem vários territórios sem lei. O último golpe de estado em inícios de 2010 aumentou a instabilidade da situação e todos os viajantes devem seguir as notícias do país atentamente e manter contacto com a sua embaixada. Para além disso, a Al-Qaeda está presente no Níger e já raptou e assassinou turistas, por isso é essencial que conheça as regiões perigosas e as evite.

Na região a norte de Agadez, já houve muitos roubos de carros, raptos e assaltos nos últimos anos. O problema continua até hoje, e esta área está praticamente na anarquia. Não se deve aventurar para além de Agadez, mesmo com um guia e um jipe, a não ser que saiba o que está a fazer. As estradas para além deste ponto são horríveis e os bandidos são abundantes.

Evite conduzir no meio da noite num veículo privado. Ocasionalmente aparecem bandidos armados perto da cidade de Galmi (Centro) e por volta de Dosso-Doutchi (no Oeste), bem como na estrada para Gao, Mali na região de Tillabery. Normalmente, existem polícias nas principais auto-estradas, o que limita o crime durante o dia.

O nível de segurança em Niamey é melhor. Se ficar fora de mercados à noite, usar táxis e tiver MUITO cuidado para evitar os locais onde as ruas atravessam ravinas, você não deve ter problemas. Nos mercados existe o risco do carteirismo, mas é mais provável perder dinheiro ao negociar mal.

Andar com uma mochila e uma câmara, parecendo um turista, e principalmente ser branco, vai atrair alguma atenção indesejada. A maior parte desta atenção é de pessoas que tentam ficar com o seu dinheiro legalmente, seja implorando ou vendendo escovas de dentes, mas existem sempre pessoas menos honetas.

Saúde[editar]

O Centro para Controlo de Doenças [3] é um excelente recurso para pedir conselho sobre assuntos de saúde.

Beba muita água enquanto estiver no país porque o calor seco vai desidratá-lo e não o vai perceber. É a melhor prevenção que pode tomar. Água engarrafada ou selada num saco (called pure-wata) está disponível na maioria das cidades; a água da torneira das cidades tem muito cloro. Não beba água de poços, de nascente, e água rural.

Repor os seus sais é tão importante como repor os seus líquidos.

Use roupas conservadoras, grandes chapéus e muito protector solar. Se estiver na dúvida, vista o mesmo que os locais.

A malária é um problema, e é resistente à cloroquina no Níger [4]. Tome as suas profilaxias, use repelente de insectos forte (DEET é a melhor opção), e considere andar com uma rede mosquiteira para por quando for dormir.

A Giardia e a Disenteria Amoébica são comuns. Tenha cuidado com a comida à venda na beira das estradas, a menos que a compre acabada de sair da grelha. Mesmo alimentos fritos podem fazê-lo doente se o óleo tiver sido usado muitas vezes e for velho. É melhor evitar saladas e vegetais crus. Nunca beba água não filtrada (incluindo gelo).

A esquitossomose está presente na maior parte dos corpos de água do Níger, por isso os turistas devem evitar todo o tipo de água — excepto piscinas com cloro [5].

Caso não tenha conseguido ficar saudável, a Clinique Pasteur (situada em frente do Lycée Fontaine) tem instalações limpas, agulhas esterilizadas e médicos competentes e simpáticos. A Clinique Gamkalley e muitas outras clínicas ficam na zona, mas tem que se preocupar com agulhas sujas, empregados agressivos e excesso de medicamentos.

Respeite[editar]

Os turistas são muito bem tratados (devido a um provérbio do Alcorão), mas não abuse da hospitalidade que lhe dão. Tente aceitar todos os presentes e simpatias que lhe dão (chá, refrigerantes, pequenos presentes, etc.) que lhe oferecem durante a viagem. Não é boa ideia recusar tudo e não pense "estas pessoas são demasiado pobres para me dar estas coisas". Isto é ofensivo, pois tomar conta dos convidados é uma questão de honra e dá grande prazer às pessoas. Não comente quando vir pobreza ou coisas desgastadas e não lembre os nigerinos como o seu país é pobre.

Vista-se conservadoramente, o que significa não vestir calções nem saias acima dos joelhos, nem tops. Para as mulheres, vestir "reveladoramente" é muito ofensivo, mesmo em Niamey. Vista-se bem, pois as roupas determinam a forma como falam consigo.

Evite comportamentos de bebedeira, pois o álcool é proibido na religião muçulmana e é muito mal visto no Níger.

Pergunte sempre, especialmente a pessoas a andar em camelos, a vendedores de mercados, e aos mais velhos, antes de tirar uma fotografia. Muitos nigerinos ainda o acham ofensivo.

A escravatura ainda é relativamente comum nas áreas centrais, longe das cidades. Pode distinguir escravos pelas braceletes de tornozelo em ambos os pés, que parecem algemas e podem servir esse propósito. A menos que se sinta particularmente corajoso, discutir o assunto com as vítimas ou o dono de escravo é melhor ser evitado.

Mantenha contato[editar]

O código de telefone do país é o 227 (não existem códigos de área). Existem acordos de roaming com algumas companhias de telemóvel internacionais. A cobertura está limitada a áreas urbanas.

Pode encontrar internet nas principais áreas urbanas.

O correio aéreo para a Europa Ocidental demora mais de duas semanas. Geralmente o posto de correio está aberto: 07h30-12h30 e 15h30-18h00.

Este artigo é um guia. Ele tem muita informação, incluindo listas de hotéis, restaurantes, atracções e informação sobre chegada e partida. Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!

Variantes

Ações

Docentes do destino

Noutras línguas

outros sites