Contribua para um artigo e ajude o wikitravel a crescer! Aprenda como.

Mauritânia

Da Wikitravel
Saara : Mauritânia
Ir para: navegação, pesquisa
Mesquita Central de Nouakchott.
Localização
noframe
Bandeira
Mr-flag.png
Informações Básicas
Capital Nouakchott
Governo República
Moeda Ouguiya (MRO)
Área total: 1.030.700 km2
terra: 1.030.400 km2
água: 300 km2
População 3.177.388 (Julho 2006)
Idioma Árabe (oficial), Pulaar, Soninke, Wolof, Francês
Religião Muçulmanos 100%
Eletricidade 220V/50Hz (tomada européia)
Código telefônico +222
Internet TLD .mr
Fuso horário UTC


A Mauritania é um país na região do Saara. Parte do Magrebe, a Mauritânia faz fronteira com a Argélia, o Senegal e o Mali, bem como com o território disputado do Saara Ocidental.

Entenda[editar]

A Mauritânia é basicamente constituída por deserto e oceano. Não é de surpreender que as principais atracções para turistas sejam o deserto, nas áreas de Adrar e Tagant (em volta de Atar), e o oceano, no Banco de Arguim (uma reserva natural cheia de dunas, com milhões de aves e protegida pela UNESCO). A região de Adrar é exactamente como imagina o Saara: ergs (dunas) sem fim e regs (deserto pedregoso) com pequenas montanhas. A maior parte dos turistas ficam na costa oeste do país, embora hajam algumas atracções no interior do país (por exemplo, as formações rochosas de Aioun). Se decidir viajar para essas regiões, é bom que tenha muito tempo.

A Mauritânia é uma República Islâmica. Não se deixe intimidar pelo estatuto político - a maior parte dos mauritanos não são extremistas, ainda que a maior parte da população do norte do país seja muito conservadora e reservada. A parte meridional está cheia de gente simpática, e muito hospitaleira, ainda que não esteja habituada a turistas.

Viajar para a Mauritânia já foi mais fácil, com voos desde França até Atar durante o Inverno, embora hoje estejam suspensos. Guias e agências de turismo são fáceis de encontrar. No entanto, a Mauritânia não esta conectada ao sistema bancário internacional. Um cartão Visa só funcionará em alguns multibancos internacionais, como Atijari ou a Société Générale em Nouakchott e Nouadhibou. Para além destes, os cartões de crédito não são aceites em quase mais nenhum lado. É facil fazer o câmbio de euros, dólares e CFA para ouguiya em Nouakchott, no entanto.

Clima[editar]

O clima caracteriza-se por temperaturas extremas e por precipitação irregular e escassa. As variações da temperatura anual são pequenas, embora as variações diurnas possam ser extremas. O harmattan, um vento quento seco e por vezes poeirento, vem do Saara durante a longa estação seca e é o vento predominante, excepto ao longo da costa, que é influenciada por ventos oceânicos. A maior parte da chuva cai durante a curta estação chuvosa (hivernage), desde Julho a Setembro, e a precipitação anual varia de 500 a 600 milímetros no extremo sul a menos de 100 milímetros no norte, cerca de dois terços do país.

Feriados[editar]

Data Nome
01/01 Dia de Ano Novo
20/01 Ano Novo Islâmico
31/03 Aniversário do Profeta
01/05 Dia do Trabalhador
25/05 Dia de África
13/10 Eid al Fitr (Fim do Ramadão
28/11 Dia da Independência
20/12 Eid al Adha (Festa do Sacrifício)

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Regiões[editar]

Mapa da Mauritânia.
Mauritânia Costeira
A estreita faixa costeira, com a capital e uma fantástica linha costeira.
Mauritânia Saheliana
Região semi-árida no sul incluindo o magnífico vale do rio Senegal.
Mauritânia Saariana
Um enorme deserto no norte do país, a maior parte deste muito vazio.









Cidades[editar]

  • Nouakchott, a capital e maior cidade da Mauritânia. Entre os pontos importantes da cidade incluem-se o Museu de Nouakchott, vários mercados, como o Mercado da Prata de Nouakchott, e as praias.
  • Atar - Conhecida como ponto de entrada para visitar as antigas cidades mouras de Ouadane e Chinguetti (ver abaixo), é também uma importante paragem no rali Dakar.
  • Chinguetti
    Parque Nacional do Banco de Arguim.
    - Juntamente com Ouadane, Oualata e Tichit, é património mundial desde 1996. É um antigo ksar, ou cidade mercante medieval, centro das rotas trans-saarianas. Continua a atrair visitantes que veem ver a sua arquitectura, as suas antigas librarias e o seu ambiente exótico.
  • Nouadhibou, um grande centro pesqueiro e porto industrial, bem como a segunda maior cidade do país. As atracções turísticas de Nouadhibou incluem a Table Remarquable, vários mercados, um cemitério de barcos e as focas-monge-do-mediterrâneo.
  • Tichit, uma cidade parcialmente abandonada conhecida pela sua antiga arquitectura. A pequena cidade tem também um museu.

Outros destinos[editar]

  • Parque Nacional do Banco de Arguim - Um parque nacional na costa mauritana, que serve de habitat a várias espécies de aves (que, aliás, constituem a principal atracção do parque. Fica próximo a Nouadhibou e é Património Mundial da UNESCO.
  • Ouadane e Oualata - Juntamente com Tichit e Chinguetti (ver acima) constituem um Património Mundial da UNESCO, devido à sua importância como antigas cidades mercantes. Nelas se encontra um bem conservado património histórico.

Chegar[editar]

Todos os cidadãos de nações ocidentais precisam de visto para entrar. Pessoas que possuam passaportes da África Ocidental não precisam de visto.

Em 2009, vistos para a Mauritânia não podiam ser comprados à chegada, por isso estrangeiros tem que os arranjar fora do país (por exemplo, Rabat). Um visto de entrada única custa 37 euros, dupla entrada é 52 euros. São necessárias duas fotos de tamanho passaporte, bem como uma cópia das páginas de informação do passaporte. Os vistos estão disponíveis no dia seguinte.

Para a maior parte das pessoas não são precisas vacinas para viajar para a Mauritânia. Só pessoas que vem de zonas endémicas de febre amarela é que precisam de apresentar um certificado de vacina.

De avião[editar]

O Aeroporto Internacional de Nouakchott é o único aeroporto internacional do país e base da Mauritanian Airways [1], que realiza voos desde Paris (aproximadamente cinco horas), Dakar, Abidjan e Nouadhibou. Também recebe voos desde Argel através da Air Algérie [2] e desde Paris através da Air France [3]. Existem opções por Tunes ou Las Palmas. Outra alternativa é apanhar um voo charter, que custa cerca de €400.

De barco[editar]

O principal porto é Nouadhibou e existe também um pequeno porto em Nouakchott, enquanto que St. Louis no Senegal também serve a Mauritânia.

De carro[editar]

Fronteira entre a Mauritânia e o Saara Ocidental.

Pode-se entrar na Mauritânia por via terrestre atravessando as fronteiras com o Saara Ocidental, Mali ou Senegal. Estas fronteiras podem ser atravessadas através de veículo próprio ou de bicicleta.

A estrada desde o Saara Ocidental/Marrocos entra no país perto de Nouadhibou. A estrada está toda pavimentada até ao posto fronteiriço marroquino de Fort Guerguarat, onde tem que atravessar cerca de sete quilómetros numa estrada sinuosa e pedregosa, ainda que simples até chegar à fronteira mauritana, onde a estrada alcatroada começa de novo. Embora a viagem seja simples, é preciso ter cuidado para não sair da estrada entre os dois postos fronteiriços, porque a região é um campo de minas. Este perigo está ainda presente até passar a linha de comboio, já no lado mauritano.

Existem numerosas estradas que atravessam a fronteira entre a Mauritânia e o Mali. A melhor escolha é a que liga Nara, no Mali a Ayoun al Atrous na Mauritânia. As formalidades fronteiriças no Mali são realizadas em vários edifícios à volta de Nara (crianças locais levam-o à polícia ou à alfândega em troca de um pequeno presente). As formalidades mauritanas são realizadas numa série de edifícios a o longo da estrada fronteiriça.

Uma rota alternativa vai directamente da Mauritânia até Timbuktu, Mali. Viaje até à estrada a sudeste de Néma, que está no fim de uma estrada alcatroada que vem de Nouakchott. Esta estrada continua até Bassekounou antes de ultrapassar a fronteira perto de Léré, Mali, indo daí até Niafunké e continuando até Timbuktu.

De autocarro/ônibus ou taxi colectivo[editar]

  • Desde Marrocos: Não existem de momento autocarros, embora a CTM (a companhia de autocarros nacional está a planear estabelecer um serviço desde Dakhla até Nouakchott. Actualmente, o acesso desde Marrocos só está disponível apanhando boleia (pode tentar no Camping Moussafir a norte de Dakhla) ou pagando a passagem com comerciantes mauritanos (que podem ser encontrados a norte de Dakhla), custando entre 250-380Dhs (negociável). A viagem deve começar bem cedo e demorará a maior parte do dia, e o posto fronteiriço está fechado de noite. Carros guiados por motoristas com experiência podem ser reservados no Hotel Sahara. Isto custa cerca de 250Dhs por pessoa. Seja cuidadoso e evite um motorista com uma óbvia desordem na pigmentação facial. Tem fama de ser agressivo para os passageiros.
  • Para Marrocos: Carros com motoristas podem ser arranjados para cruzar o campo de minas desde a Mauritânia até ao Saara Ocidental em hotéis em Nouadhibou.
  • Desde o Senegal: Pode apanhar um taxi colectivo desde Dakar (6,000 CFA) e Saint-Louis (2,000 CFA) (entre outros) até Rosso, onde um ferry faz a viagem através do Rio Senegal, e outros taxis colectivos podem ser apanhados até Nouakchott (cerca de 2,000 UM). Tenha cuidado com taxis colectivos que oferecem negócios que parecem bons demais para serem verdade. Pode haver taxis ilegais e que podem ser um meio de transporte perigoso. Provavelmente haverá alguns motoristas à espera. Pergunte e descubra a taxa normal. Outros pontos fronteiriços com o Senegal incluem a Barragem de Diama a norte de Saint-Louis.
  • Desde o Mali: Existem carrinhas que saem de Kayes para Selibaby diariamente. Também é possível entrar em Nema, e atrvés da fronteira sul em vários pontos.

De comboio/trem[editar]

Não existem comboios entre a Mauritânia e os seus vizinhos.

Circular[editar]

De avião[editar]

A Air Mauritanie (MR) [4] realiza voos entre Nouakchott e Nouadhibou.


De carro[editar]

Existem boas estradas que ligam Nouakchott com Rosso no sul do país, Néma no sudeste e Akjoujt no norte. A Route de l’Espoir, uma auto-estrada pavimentada vai de Nouakchott até ao Mali. Todas as outras rotas são estradas de poeira. Em algumas regiões durante e depois da estação chuvosa as estradas podem ser impassíveis. Na estação seca os caminhos podem ser obscurecidos pela areia; um guia é altamente recomendado, se não essencial.

Recomenda-se que tenha uma Licença Internacional de Condução, embora não seja legalmente necessário.

Os turistas não devem tentar fazer uma viagem no deserto sem um conjunto de partes suplentes e sem um equipamento essencial de segurança. A Direction du Tourisme em Nouakchott, parte do Ministère du Commerce de l'Artisanat et du Tourisme [5], pode dar mais informações e conselhos sobre viagens deste tipo.

Aluguer de carros[editar]

Disponível em Nouakchott, Nouadhibou e Atar. Pode alugar veículos 4x4 e estes são recomendados, embora sejam caros.

De autocarro/ônibus[editar]

Várias companhias (El Bouragh, El Gavileh, Global, Al-Moussavir, As-Salaam, Somatir, Sonef e LTM) operam a rota Nouakchott-Nouadhibou, a maior parte destas fazendo uma viagem por dia.

De comboio/trem[editar]

Existe apenas uma linha de comboio no país, ligando Nouadhibou, Choum e Zouerat, que é uma atracção tuurística por si só. Diz-se que o comboio é o mais comprido no mundo, com mais de 150 carruagens e tendo mais de dois quilómetros. É usado para transportar minério de ferro desde a mina de Zouerat até ao porto de Nouadhibou.

Existe apenas uma carruagem de passageiros, mas pode viajar numa das carruagens que leva o minério de ferro (o que é aconselhável, uma vez que a carruagem de passageiros está apinhada). O preço do bilhete é de 1500 ougiyas se for na carruagem de passageiros, enquanto que se for numa das outras carruagens é de graça. Lembre-se de levar um lenço para cobrir a cara, pois existe muita poeira no ar.

Fale[editar]

O Árabe Hassaniya é a linguagem da maioria mourisca, enquanto que outras linguagens são faladas por africanos negros do sul, incluindo Pulaar, Wolof, e Soninke (especialmente na região de Guidimakha em volta de Selibaby). O francês é a segunda língua oficial e é falado por muitos, principalmente perto de cidades. No campo, as pessoas falam muitas vezes várias línguas mas não francês.

Considera-se educado dizer Salaam aleikum quando se entra num táxi, escritório ou quando se cumprimenta alguém. É o cumprimento para muitas dos dialectos da região.

Veja[editar]

  • Aldeias tradicionais do interior do país, como Ouadane, Oualata, Tichitt e Chinguetti - No interior do país pode encontrar aldeias antigas, esquecidas pelo tempo e que pouco se alteraram com o passar dos séculos. São uma das maiores atracções do país, e vale a pena visitar.
  • Deserto - O deserto é um dos elementos mais característicos do país, e ao pôr-do-sol as dunas ganham uma nova gama de cores, e ficam muito mais belas. Muito bonito, um dos pontos de visita obrigatória, principalmente nas partes mais frescas do dia (amanhecer e anoitecer; claro que podia ir á noite, mas não via nada).
  • Aldeias de pescadores - Espalhadas um pouco por toda a costa, estas aldeias tem um carácter único. Veja os homens a puxar o peixe e compre o marisco mais fresco do país. Não se esqueça de regatear!

Faça[editar]

Compre[editar]

Pode comprar lembranças no Marche Capital ou Marche Sixieme em Nouakchott, ou em lojas turísticas no Adrar. Vende-se tecido em boutiques por todo o país, mas Kaedi é famoso pela sua técnica de tingimento.

No geral, a qualidade da maior parte dos souvenirs mauritanos não é tanta como se podia esperar. Pode encontrar produtos de couro, cachimbos, caçolas de madeira, bules e jóias de prata, entre outras coisas (cuidado com a qualidade das jóias). O tecido, no entanto é tingido à mão é pode ser muito bonito. O tecido vai ser vendido como uma mulafa (véu) - normalmente transparente - ou como material para uma boubou, com duas peças separadas, para uma saia e uma parte de cima. O tecido custa entre 1500 UM a 8000 UM, dependendo da qualidade e do trabalho envolvido.

Quando comprar qualquer coisa na Mauritânia, tente negociar o preço. Por vezes o preço inicial pode ser até três vezes mais que o preço real. Seja simpático, mas não se preocupe se insultar alguém ao pedir por um preço mais baixo.

Coma[editar]

Existe uma variedade decente de restaurantes em Nouakchott com pratos que vão dos 1000 aos 2500 UM. A maior parte dos restaurantes na capital oferecem praticamente o mesmo menu - pizzas simples, hamburgueres, sanduíches, e saladas. Existe um conjunto de restaurantes na estrada desde o Stade Olympique até à Embaixada Francesa. Alguns bons restaurantes nesta estrada são: Pizza Lina, Cafe Liban, e Le Petit Cafe. O Sahara Cafe, no outro lado do estádio, é também um bom sítio para pizza, sanduíches ou comida lebanesa, e tem alguns dos preços mais razoáveis da cidade. Perto do Marche Capitale, existe uma rua de lojas de sanduíches que oferecem menus quase idênticos, a melhor das quais é a Prince (que os taxistas conhecem de nome).

Fora de Nouakchott, é possível encontrar hambúrgueres em Atar. Para além disso, só tem pratos tradicionais para escolher: peixe e arroz (chebujin) no sul e carne com arroz ou cuzcuz no norte. Mechui, ou ovelha grelhada, é também delicioso, embora um pouco mais caro. Alguma fruta pode ser encontrada na maioria das capitais regionais. A maior parte dos restaurantes fora de Nouakchott não tem grandes condições sanitárias, por isso tenha cuidado. Se quiser, na ausência de um restaurante pode pagar a uma família para lhe preparar a comida, o que deve ser relativamente barato (não mais do que 1500 um), ainda que demore um bocado (cerca de duas horas para comprar a comida e prepará-la).

Água engarrafada pode ser comprada por 200 UM e é uma boa ideia para pessoas que não estejam acostumadas a África.

Se nenhuma das ideias lhe agradar, pode ir a um supermercado e comprar pão, bolachas e bebidas.

Serve-se chá normalmente depois de uma refeição, mas não vem incluido com a refeição num restaurante. Se lhe oferecerem chá na casa de alguém, não é educado sair até pelo menos a segunda ou terceira chávena.

Beba e saia[editar]

Apesar de ser um país islâmico existem alguns bares divertidos na capital. Beber pode ser caro, no entanto: cervejas podem cutar cerca de 4,50 euros! Existe um clube nocturno dentro do complexo da Embaixada Francesa. Pode também tentar o Salamander ou o Club VIP. A seguir a este fica o Casablanca, um bar com música viva nos fins-de-semana.

Nota: É ilegal importar alcoól

Durma[editar]

Pode encontrar acomodação de todos os tipos, embora só existam hotéis de classe mais alta em Nouakchott e Atar. "Auberges" e parques de campismo podem alugar camas/mattresses por cerca de 1500 ouguiya no Adrar e em Nouadhibou.

Normalmente existe pelo menos um hotel em todas as capitais regionais, embora possam ser caros. Se possível, torne-se amigo dos locais e tente ser convidado para ficar com a família. Desde que não se importe de a)dormir no chão ou num colchão de espuma b)dormir/comer perto de animais, provavelmente vai ter uma estadia memorável.

Aprenda[editar]

  • Université de Nouakchott - Nouakchott [6].
  • Instituto Mauritano para a Pesquisa Oceanográfica e Pescas - Nouadhibou (Tel.: (+222) 574 51 24; (+222) 574 84 49; (+222) 501 27 49) /Nouakchott (Route de la Plage; tel.: (+222) 501 27 41) /Kaédi (Tel.: (+222) 533 50 92) [7]


Segurança[editar]

A área perto do Saara Ocidental é um campo de minas, e viajar por esta zona é altamente desaconselhável. As zonas fronteiriças com a Argélia e o Mali são conhecidas pelo número de salteadores. Em outras áreas, deve evitar mostrar dinheiro ou coisas caras. Embora possa intimidar, um pouco de pesquisa e senso comum garantem uma boa viagem à Mauritânia.

Procure conselhos na sua embaixada ou consulado. Devido ao aumento do número de ataques a ocidentais nos últimos anos, a maior parte das nações orientais aconselham grande cuidado.

Saúde[editar]

Para a maior parte dos ocidentais, a água local não é segura para beber. Os turistas só devem beber água engarrafada se não tem acesso a um tipo de sistema de filtração ou de purificação de água. O Saara é um clima muito seco. Pode ficar desidratado muito facilmente, e nem se aperceber disso. Na parte mais quente do ano poderá ter que beber vários litros de água por dia.

O sul do país é uma zona endémica de malária, e os turistas devem sempre usar uma rede mosquiteira nessa área. Os mosquitos são menos comuns no deserto seco do norte do país, mas existem durante todo o ano no sul, embora hajam menos na estação seca (Dezembro-Maio).

Respeite[editar]

Aprenda a dizer Salaam alaykum e cumprimente assim as pessoas. Se for homem, não tente apertar a mão de uma mulher, e vice-versa (algumas mulheres africanas não tem problema em apertar a mão a um homem, mas é melhor não tentar iniciar contacto). Pode, no entanto, dizer olá e tocar com a mão no coração.

Tenha cuidado para comer com a mão direita, principalmente fora de Nouakchott, pois aí podem não lhe oferecer talheres. Como em outros sítios no mundo árabe, a mão esquerda está reservada para a casa-de-banho. Se for canhoto... tente mais.

Cobrir a cabeça não é necessário, mas é educado. Os ocidentais, especialmente mulheres, podem ser alvos de atenção indesejada e assédio. Saiba, no entanto, que muitos mauritanos, tanto homem como mulher, pensam que olhar nos olhos é um convite sexual.

Se estiver a viajar com alguém do sexo oposto, evite tocarem-se em público. É muito mais comum ver dois homens com as mãos dadas que um homem e uma mulher. Quanto a roupas, quanta mais pele se mostrar, mais atenção negativa se recebe. Em Nouakchott, as mulheres podem vestir calças, mas evite tops e saias até ao joelho. Saias longas são a melhor escolha para mulheres. Também é boa ideia cobrir os braços.

Se for mulher não há NENHUMA razão não-sexual para ficar em privado com um homem. Se pedirem para entrar num escritório, ou para ir para as traseiras da loja, ou algo do género, não vá. Se ficar em privado com um homem, por muito breve que seja o tempo, toda a gente vai assumir que vão ter sexo, e vão julgá-la por isso.

Se for gay ou lésbica, não revele a sua sexualidade a nenhum mauritano. Eles reagiriam muito duramente a isto. Não faça nada em público que implique que o é, ou será condenado à morte.

Se for branco, Nasrani, Toubac e Toubab são palavras referentes a si. Crianças pequenas, e por vezes adultos malcriados, podem referir-se a si por este nome. Nasrani significa pessoa de Nazaré. Visto que os cristão seguem os ensinamentos de Cristo, e Cristo é de Nazaré, todos os cristãos são nazarenos.

Tenha cuidado com pessoas que se aproveitam da sua boa educação para fazer uma venda. Saiba que em mercados, quase toda a gente tentar ser seu amigo para lhe vender algo por um preço mais elevado. Tentaram vários truques para o convencer a comprar (incluindo "dar como presente"), e alguns podem mesmo acusá-lo de não gostar de africanos se não quiser olhar para a sua loja.

Mantenha contato[editar]

Existem duas operadores de rede GSM: a Mattel [8] e a Mauritel Mobiles [9]. Par mais informação sobre cobertura e roaming, pode ver no GSM-World [10].

Se for numa viagem através do desero, onde não há rede pode usar um telefone satélite. Thuraya, Iridium ou Inmarsat. Thuraya é a mais barata e mais fácil de usar. O equipamento está também disponível para aluguer.

Pode encontrar internet cafes com internet DSL em Nouakchott e Nouadhibou por 200-300 UM a hora. Existem também "cybercafes" com internet mais lenta espalhados pelo país.




Este artigo é um guia. Ele tem muita informação, incluindo listas de hotéis, restaurantes, atracções e informação sobre chegada e partida. Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!

Variantes

Ações

Docentes do destino

Noutras línguas

outros sites