Contribua para um artigo e ajude o wikitravel a crescer! Aprenda como.

Guajará-Mirim

Da Wikitravel
América do Sul : Brasil : Norte : Rondônia : Guajará-Mirim
Ir para: navegação, pesquisa

Guajará-Mirim é uma cidade da Rondônia, na divisa com a Bolívia.

Entenda[editar]

Guajará-Mirim faz fronteira com a cidade de Guayaramerin, departamento de Beni, Bolívia. É banhada pelo rio Mamoré e estação final da antiga Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. Possui um campus da Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Hoje, a cidade é uma área de livre comércio (zona franca). Além disso, a partir da Pérola do Mamoré, como é carinhosamente chamada, pode-se fazer compras de produtos importados com isenção de tributos na cidade vizinha.

Chegar[editar]

  • De Porto Velho, pela BR-364 (194 km) e BR-425 (mais 120 km)
  • De Guayaramerin, 5 minutos de barco cruzando o rio Mamoré
  • Outras distâncias terrestres: Cuiabá (MT) 1.836 km; Campo Grande (MS) 2.770 km; Goiânia (GO) 2.530 km; Brasília (DF) 2.969 km; Rio Branco (AC) 450 km
  • Existe um aeroporto com pista asfaltada de 1.350 m mas não há vôos regulares. No local funciona um base do SIVAM.

Circule[editar]

  • A cidade é bem pequena; pode-se percorrê-la a pé. Oferece ruas largas e planas. Como qualquer cidade pequena, é grande o número de bicicletas.

Veja[editar]

  • UNIR, tel. (69) 3541-2078

Faça[editar]

  • Um passeio interessante é o tour pelos Rios Mamoré-Guaporé em embarcações grandes, com acomodações bem agradáveis. No Rio Guaporé, apreciam-se a natureza e a fauna abundantes, além da possibilidade de pescaria esportiva. Visitam-se o Distrito de Surpresa, Costa Marques e o Forte Príncipe da Beira, marco histórico de Rondônia.
  • Um outro passeio muito interessante é o encontro das águas, ou seja, o encontro dos rio Pacaas Novos, com águas de tons escuras e o rio Mamoré, de tons claras, a cerca de trinta minutos da cede do municipio.

Compre[editar]

  • Produtos importados em Guajará Mirim.
  • Produtos importados em Guayaramerin, Bolívia (existe cota pessoal para isenção de imposto).
  • Artesanato indígena dos Pacaás Novos (wariís) na Casa do Índio (em frente ao Museu Municipal).
  • Casa do Artesão, com ítens como biojóias, reciclagem, rendas, biscuit e outros (Av XV de Novembro, na praça Mario Correia).

Coma[editar]

  • Salteña (tradicional "pastel" de frango, típico da Bolívia).
  • Tacacá (servido na cuia, é um caldo com jambú, camarão e goma).
  • Sucos de Açaí, Cupuaçu, Patoá e Abacaba.
  • Pato no Tucupi.
  • Qualquer peixe da região (surubim, tucunaré, jatuarana, tambaqui, dourado, etc).
  • Galinha Caipira

Beber e sair[editar]

Existem diversas opções na cidade. Desde restaurantes a bares mais simples. Uma boa opção é circular pelo centro da cidade onde, certamente, encontra-se fácil um local para petiscos e bebidas. Especialmente nos dias de eventos (abaixo listados) e feriados prolongados, a cidade recebe muitos turistas que aproveitam para fazer compras na Bolívia e se divertir nos bares, boates e restaurantes, à noite.

  • Carnaval da Fronteria (um dos melhores de RO).
  • Aniversário da Cidade (10 de abril).
  • Festival Folclórico de Boi Bumbás (O Duelo da Fronteira).
  • Feira Multisetorial.
  • Exposição Agropecuária.
  • Festival de Praia (3, 4 e 5 de setembro), no Rio Pacaás Novos
  • Independência da Bolívia (06 de agosto).
  • Encontro de Filhos e Amigos de Guajará-Mirim

Durma[editar]

  • Pakaas Palafilas Lodge [1], localizado no encontro dos rios Mamoré com Pacáas Novos, a 30 minutos de barco da cidade, tel. (69) 3541-3058
  • Balneário do Célio [2], localizado na estrada do Palheta, km 25, Rio Pacaás Novos.

Partir[editar]

Este artigo está delineado e precisa de mais conteúdo. Ele já segue um modelo adequado mas não contém informações suficientes. Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!

Variantes

Ações

Docentes do destino

Noutras línguas

outros sites