Contribua para um artigo e ajude o wikitravel a crescer! Aprenda como.

Garanhuns

Da Wikitravel
Agreste : Garanhuns
Ir para: navegação, pesquisa

Garanhuns é uma cidade do agreste de Pernambuco.

Relógio de flores de Garanhuns.jpg

Entenda[editar]

Erguendo-se imponente qual Roma sobre 7 colinas - Antas, Columinho, Ipiranga, Magano, Monte Sinai, Quilombo e Triunfo -, Garanhuns é a maior estância climática do Nordeste brasileiro, contando com 129.408 habitantes (IBGE/2010). Situada a cerca de 850 m acima do nível do mar, no Planalto da Borborema, apresentando uma temperatura média de 21ºC (mínima de 4ºC, máxima de 30ºC), é nacionalmente conhecida por ser a terra-natal do ex-Presidente Lula e do músico Dominguinhos, bem como por sediar o charmoso Festival de Inverno todos os meses de julho. A exuberância de seu verde e de suas flores, espalhadas em jardins e canteiros por toda a cidade, e contrastando com a hirsutez do Agreste pernambucano, rendeu-lhe as carinhosas denominações de "Cidade das flores" e de "Suíça pernambucana".

Chegar[editar]

Garanhuns dista 233 km do Recife, 98km de Caruaru e 92 km de Arcoverde, todas em Pernambuco, bem como 172km de Maceió - AL, e 223km de Paulo Afonso - BA. Apesar de possuir uma pista de pouso, inexistem vôos regulares conectando a cidade a outros lugares do país, pelo que os aeroportos mais próximos são o Oscar Laranjeiras, de Caruaru, e o Internacional do Recife (Guararapes/Gilberto Freyre). Uma vez no Recife, o transporte regular de ônibus é efetuado a partir do TIP (Rodoviária, com uma estação homônima do metrô) pela empresa Jotude, ao preço de R$ 33 (semi-direto) e de R$ 38 (direto), e com saídas no período entre as 6h e as 23h (ônibus diretos saindo de Recife para Garanhuns, especificamente, às 8h40, 13h40, 18h). Aos que optem por ir de carro, deve-se seguir pela BR-232 via Caruaru até São Caetano (trecho duplicado e, na grande parte da via, de boa qualidade) e então pegar a BR-423 (precisa-se de atenção com animais na pista, além de buracos, mesmo com uma manutenção regular, por conta do alto fluxo de caminhões). Além da BR-423, que também a liga a Paulo Afonso - BA, a cidade é cortada pela BR-424, que a conecta a Arcoverde, e pela PE-177, que faz a ligação com o Litoral Sul de Pernambuco e com Maceió - AL (neste caso, deve-se virar à direita após Canhotinho e seguir pela BR-104).

Circule[editar]

A melhor forma de circular pelas amplas, ajardinadas e floridas avenidas de Garanhuns é à pé, apesar de a cidade dispor de serviço regular de transporte de passageiros, com várias linhas de ônibus. O circuito turístico, que se distribui em três zonas principais - Heliópolis, Centro e Guadalajara -, pode facilmente ser percorrido caminhando, localizando-se num raio de cerca de 3 km. Exceções: Castelo de João Capão e Cristo do Magano (acesso pela BR-423), Quilombo do Castainho (na Zona Rural do Município, a 6 km do Centro), Santuários de Mãe Rainha (na Colina do Triunfo) e Frexeiras (em direção a São João), Pedra do Navio (em direção a Paranatama), casa onde nasceu o ex-Presidente Lula (em direção a Caetés) e Circuito do Café (em Brejão).

Vista de uma das regiões do maciço de Garanhuns.

Veja[editar]

Tantos são os atrativos turísticos de Garanhuns que o mais prudente é reservar um mínimo de 2 dias para conhecê-los. Encontram-se os mesmos listados abaixo conforme sua localização:

Zona Heliópolis[editar]

  • Acesso Leste e Pórtico Monumental - Inaugurado em 2000, o Acesso Leste é um dos mais novos cartões-postais de Garanhuns, ao lado do Santuário Mãe Rainha. Obra do arquiteto Carlindo Lopes, a entrada do Município é um convite ao turista, consistindo num amplo projeto viário e de urbanização com viadutos, iluminação, jardins, Centro de Artesanato e, o mais importante, o famoso Pórtico Monumental com o nome de Garanhuns e a data de sua elevação à categoria de cidade, apesar do uso incorreto do termo "Fundada em" (1879). "Nenhuma outra cidade do Estado possui uma entrada tão convidativa", escreveu o Diario de Pernambuco após a inauguração.
  • Relógio de Flores - Cartão-postal por excelência de Garanhuns, à exemplo de seus símiles em Berna, Genebra e Zurique, na Suíça, e em Blumenau - SC, Cutiriba - PR e Petrópolis - RJ, foi construído em 1981 na bela Praça Tavares Correia, a qual ainda alberga um Centro de Informações Turísticas. Medindo 4 m de diâmetro, é o único do Norte/Nordeste do Brasil a funcionar com cristal de quartzo, isto é, com componentes de alta tecnologia, pelo que atrasa apenas 1 minuto por ano.
  • Mansões e vista do alto do Monte Sinai - De todas as 7 colinas de Garanhuns, a do Monte Sinai é sem dúvida a mais elegante, já que ela faz parte do bairro nobre da cidade, o residencial e aristocrático Heliópolis. Subir a Av. Rui Barbosa, no trecho após o Relógio de Flores, é uma experiência visual ímpar. Não bastasse o já enorme atrativo da deslumbrante vista que se descortina do alto, o próprio percurso é margeado pelas mais belas mansões do Agreste Meridional pernambucano, coisa de cinema! O bairro anda tão bem cotado que a especulação imobiliária já o atingiu, e, numa cidade ainda com muito espaço para crescer, já começaram a erguer-se espigões, alterando a outrora serena horizontalidade garanhuense.
  • Rádio Jornal e Residência de Duílio Tinoco - Garanhuns costuma ser considerada uma das jóias do art déco nordestino. Os edifícios da Rádio Jornal e a atual residência de Duílio Tinoco, defronte ao Hotel Tavares Correia, são, aliados ao Palácio Celso Galvão, a razão desse alarde. A sede da Rádio, pioneira no interior pernambucano, consiste no modelo posteriormente reproduzido em outros edifícios do Grupo, como nas Rádios de Caruaru, atual Shopping Difusora, Limoeiro e Pesqueira. Já a mansão, de 1936, é um exemplar de cubismo facetado, sendo visível a influência do arquiteto norte-americano Frak Lloyd Wright. Encomendada ao projetista e construtor autodidata João Francisco dos Santos, repousa entre cheios e vazios, equilibrados pela torre abarrotada de linhas escalonadas. O design inovador apresenta curvas aerodinâmicas e planos ondulatórios que proporcionam relaxamento aos olhos cansados de um sem fim de cubos.
  • Casarão Lundgren (Casarão do Eucalipto) - A antiga residência da família Lundgren, das Casas Pernambucanas, hoje propriedade do Grupo Ferreira Costa, impressiona mais pela vastidão do terreno em que se encontra inserida, densamente ocupado por eucaliptos, que pelo edifício em si. Paralelamente ao Festival de Inverno, ali ocorre o Projeto Arte no Casarão, congregando artesãos de várias regiões do Estado.
  • Parque Euclides Dourado (dos Eucaliptos) - É o principal parque urbano de Garanhuns, concentrando vários pólos artístico-culturais durante o Festival de Inverno. Antigo Horto dos Eucaliptos, a área de 8 ha foi convertida em Parque Municipal e Jardim Zoológico, o quinto mais antigo do país, na administração de Euclides Dourado, na segunda metade da década de 20. Atualmente, dispõe de quadra de futsal e de basquete, pista de cooper, rampa de skate e playground, além de abrigar o Pombal e a Biblioteca Municipal Luís Jardim.
  • Igreja do Perpétuo Socorro (Igreja Redonda) - Na esteira do entusiamo modernista ocasionado pela construção de Brasília (1960), ergueu-se em Garanhuns, entre os anos de 1957 e 1962, a Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, conforme projeto arquitetônico dos engenheiros Albert e Pierre Reithler. Devido ao seu interessante formato, foi apelidada pelos garanhuenses de Igreja Redonda ou do Cuscuz. Em seu interior, existem painéis com imagens sacras em estilo bizantino pintadas em azulejos pelo renomado artista plástico Cláudio Pastro.
  • Seminário de São José - Erguido em 1944 em tijolo aparente, o Seminário abriga os seminaristas da Congregação Diocesana. Atualmente, também funciona como hospedaria, proporcionando uma interessante experiência de contato com o estilo de vida monacal, rústico e despojado de excessos materiais, a preços bastante razoáveis.
  • Fonte Luminosa - Localizada na Praça Souto Filho, o novo polo gastronômico da cidade, é um dos mais famosos cartões-postais garanhuenses. Possui canteiros floridos e arborização acolhedora. No final da tarde, os pássaros passam pela fonte e se recolhem nas palmeiras imperiais. À noite, os refletores incidem luz verde sobre as águas da Fonte, proporcionando um espetáculo visual de singela beleza. Defronte para a Praça está o centenário Colégio Presbiteriano XV de Novembro.

Zona centro[editar]

  • Catedral de Santo Antônio - Dedicada ao dito "santo casamenteiro", padroeiro de Garanhuns, a imponente catedral diocesana com fachada em estilo eclético, construída em 1859, apresenta o atual aspecto desde 1872 e conserva os restos mortais de diversos bispos diocesanos, dentre os quais o do mártir Dom Expedito, cujo processo de canonização está sendo examinado pelo Vaticano. É lá que, durante o Festival de Inverno, acontecem as apresentações de música erudita dos virtuosi. Ao seu lado está o tradicional Colégio Santa Sofia, das Damas da Instrução Cristã.
  • Palácio Episcopal - Foi nesta residência episcopal, sede da Diocese criada pelo Papa Bento XV em 1918, que, às 18h30 do dia 1º de Julho de 1957, o 5º Bispo de Garanhuns, Dom Francisco Expedito Lopes, foi vítima de 3 disparos de tiro efetuados pelo Padre Hosana, vigário da Paróquia de Quipapá, num dos únicos 3 casos de um padre que matou um bispo em toda a História da Igreja Católica (os outros dois se deram em 1857 na França e em 1867 na Espanha). O referido padre era acusado de levar vida conjugal com uma parente e com uma empregada e, suspenso de suas atividades pelo bispo, procurou-o com o fito de assassiná-lo. Mortalmente atingido, Dom Expedito não esboçou reação e morreu em oração, perdoando o agressor. O edifício atualmente abriga o Museu Dom Expedito, conservando as relíquias relacionadas à vida do futuro santo e aos trágicos sucessos de sua morte.
Prefeitura Palácio Celso Galvão.
  • Palácio Celso Galvão - Construído em 1943, no auge da 2ª Guerra Mundial, pelo então Prefeito Celso Galvão, o edifício-sede da Prefeitura é uma obra-prima do estilo art déco, ostentando a divisão clássica de base, corpo e coroamento escalonado. Rítmica, é bloco sobre bloco, modelo inspirado na tipologia das construções maias. As fachadas, de cor escura, foram revestidas com reboco de pó-de-mica para conferir autenticidade ao projeto. Os interiores, por sua vez, apresentam escadaria em curva e paredes com os mesmos traços paralelos usados na fachada.
  • Pérola Magazine e Ferreira Costa Center - Numa cidade que cuja vida social e econômica ainda acontece no Centro, os grupos Pérola e Ferreira Costa exercem a função de verdadeiros shopping centers até a construção do futuro Shopping Garanhuns, monopolizando o comércio local e regional com seus Magazine e Home Center, duas enormes lojas de departamento. Ferreira Costa é a mais antiga delas - e bote antiga nisso! Inaugurada em 1884 como um pequeno armazém de ferragens e ferramentas, não só viu a cidade crescer como creceu com ela, sendo, desde a década de 50, a mais importante empresa comercial de Garanhuns e, com sua chegada ao Recife nos anos 90, a marca mais forte do setor de materias de construção em Pernambuco. O único Grupo capaz de fazer frente ao "império" Ferreira Costa é o Pérola, que nasceu como uma Ótica em 1962 e, notabilizando-se pela excelência em atendimento, logo inaugurou o luxuoso Magazine de 9 andares que dominou, majestático, a paisagem serrana por décadas, até a construção dos novos espigões residenciais no bairro de Heliópolis.
  • Espaço Cultural Luís Jardim - O Espaço, em plena Av. Santo Antônio, a primeira rua e atualmente principal avenida comercial de Garanhuns, é uma homenagem ao poeta, escritor, jornalista e pintor garanhuense Luís Jardim. O local, espécie de "Marco Zero" da cidade, no qual jazia a primitiva Capela de Santo Antônio frequentada por Simoa Gomes, conta, todavia, a história de Garanhuns em uma série cronológica de painéis cerâmicos em alto-relevo de autoria do artista plástico Armando Rocha, percorrendo o lapso temporal que vai desde a ocupação primitiva por parte dos índios Garanhuns, habitantes dos "Campos dos Garanhuns", passando pelo Quilombo dos Palmares e estendendo-se até a emancipação política do Município.
  • Colônia de Férias do SESC - Uma das mais antigas e bem equipadas do interior de Pernambuco, excelente opção de hospedagem para comerciários e não comerciários. Associados ao SESC estão importantes equipamentos da cidade, como a moderníssima Galeria de Arte Ronaldo White, com constantes e excelentes exposições, e o Restaurante Chá Preto.
  • Parque Ruber van der Linden (Pau Pombo) - Reserva ecológica de mata tropical em área urbana com caráter recreativo-educacional, o Parque, ainda conhecido pelos garanhuenses como Pau Pombo, sua denominação original, homenageia em seu nome atual o engenheiro, historiador, jornalista e poeta Ruber van der Linden, que o organizou quando estava à frente da Empresa de Melhoramentos de Garanhuns. É no entorno de sua famosa portada em formato de colunata dórica que acontece a maior parte dos espetáculos de música instrumental durante o Festival de Inverno.

Zona Guadalajara[editar]

  • Esplanada Cultural Guadalajara - O complexo cultural e paisagístico idealizado pelo ex-Prefeito Silvino Duarte abrange uma área de 52 mil m², espraiando-se pelas Praças da Bandeira, Tiradentes, Dom Moura e Guadalajara, esta a antiga Praça de Eventos que há mais de 20 anos recebe os mais importantes shows do Festival de Inverno. Inclui o novo Pátio de Eventos e o Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti, tudo devidamente delineado por majestosas palmeiras imperiais. Sua execução implicou a demolição da Vila Alpina, antiga vila cenográfica fixa que foi tornada móvel, mas a plena concretização do projeto esbarrou na demolição da antiga Estação Rodoviária, inicialmente prevista, mas que não chegou a ser efetuada.
  • Praça Dom Moura - Construída na segunda metade da década de 20, a Praça homenageia o 1º bispo de Garanhuns e é notoriamente conhecida pela balaustrada barroca que a contorna, bem como pelo carramanchão em formato de coreto com colunata em estilo dórico que se encontra em seu centro. Impossível também não atentar parar o incessante canto das cigarras que a habitam.
  • Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti - A antiga Estação Ferroviária de Garanhuns, inaugurada em 1887 como ponta da linha que vinha do Recife e destinava-se ao Rio São Francisco, abriga desde 1979 (portanto, 8 anos após a desativação da linha e da estação) o Centro Cultural de Garanhuns. O edifício preserva a arquitetura iglesa de influência neoclássica, característica das construções da Great Western. Sua fachada tem 3 portas e 4 janelas, todas com treliças no alto e protegidas por meia grade de ferro batido. Em seu interior, funciona o Memorial da Cidade, com um rico acervo documental, iconográfico e museográfico sobre a história da Terra de Simoa Gomes; a Casa do Artesão, onde é possível adquirir produtos os mais mimosos, confeccionados na terra; e, no que era o antigo módulo central por onde passava o trem, o charmoso Teatro Luiz Souto Dourado, a simular um vagão, sendo a sede dos espetáculos teatrais durante o Festival de Inverno. Por derradeiro, no primeiro andar está o Bar O Vagão Petisqueria, tradicional reduto da boemia garanhuense, recentemente reinaugurado e, com o perdão do trocadilho, a todo vapor...
  • Mosteiro de São Bento - A construção, datada de 1940, foi feita em tijolo aparente e lembra os mosteiros beneditinos da Idade Média. Possui claustro, cripta e uma capela moderna, com belos vitrais e um impressionante painel que faz alusão ao apocalipse, todos obras do referido artista plástico Cláudio Pastro. O Mosteiro funciona como escola de formação de monges, fabrica hóstias e hospedaria, à exemplo do que também ocorre com o Seminário de São José. Há ainda uma loja onde os beneditinos vendem sírios, ícones, pinturas e licores artesanais por eles produzidos.


Outras atrações[editar]

  • Castelo de João Capão - Dizem que todo menino é um rei, mas o eletricista João Ferreira, conhecido como João Capão, não se contentou em exercer a sua majestade apenas quando era uma criança. Tinha vontade de construir um castelo medieval e há quase 20 anos iniciou a realização de seu sonho. Já ergueu duas torres de ares medievais, um salão, um jardim com uma curiosa fonte (uma garota tomando banho, projetada por um amigo) e alguns puxados. E ainda pretende construir mais uma ou duas torres e uma muralha externa.
Escultura do Cristo no Monte Magano
  • Cristo do Magano - Em 1954, uma imagem de Jesus Cristo crucificado com 4 m de altura foi esculpida pelo artista Renato Pantaleão. Destinava-se ao Alto do Magano, uma das 7 colinas da cidade e o segundo lugar mais alto de Pernambuco, perdendo apenas para o Pico do Papagaio em Triunfo. Estando a 1.030 metros de altitude sobre um mirante em forma de fortaleza de pedra, é o Cristo mais alto do Brasil em relação ao nível do mar. Vale a visita, especialmente pela belíssima vista da cidade e de seus arredores que se descortina do alto da colina.
  • Quilombo do Castainho - Consta dos registros históricos que, quando o Quilombo dos Palmares foi destruído em 1696, o Governo da Capitania fez instalar nos Garanhuns, então Sesmaria do Ararobá, a Freguesia de Santo Antônio do Ararobá, futura Santo Antônio dos Garanhuns. A história da cidade está, pois, diretamente relacionada com o fenômeno quilombola. Há vários registros de quilombos (o do Magano, o de Curica e o Engana-Colomim em Garanhuns, por exemplo) nas redondezas da Serra da Barriga, os quais constituíam a República dos Palmares. Castainho é uma comunidade negra remanescente daquela liderada pelo herói Zumbi. A área é explorada por 183 famílias que moram em casas singelas, preservam as tradições culturais, costumes e a experiência de trabalho coletivo, produzindo gêneros alimentícios de subsistência. A cultura negra permanece no samba de côco e na Festa Mãe Preta, e durante o Festival de Inverno o povoado é sede de oficinas culturais.
  • Santuário Mãe Rainha - Erguido em 2004, é a mais nova atração turística da cidade. Consiste em uma das únicas três réplicas do Santuário de Schöenstatt, na Alemanha, existentes no Nordestre brasileiro (as outras duas estão em Olinda - PE e Salvador - BA), de um total de 21 existentes no Brasil. Importante centro de peregrinação e meditação.
  • Santuário de Frexeiras (em São João - PE) - Consta que a devoção a Santa Quitéria principiou ali quando uma antiga imagem da patrona, trazida por um dos pioneiros povoadores da região, passou a ser considerada milagrosa pelos locais, granjeando a veneração de quantos eram por ela agraciados, ou daqueles que tomavam conhecimento do crescente número de milagres alcançados mediante sua intercessão. Atualmente, traduz-se em um dos mais importantes centros de peregrinação religiosa do Estado, procurando conciliar o sacro e o pagão, alimentado pelo sincretismo do piedoso povo nordestino
  • Pedra do Navio (em Paranatama - PE) - A caminho de Paranatama encontra-se uma interessante formação granítica em formato de navio na qual foram identificados registros rupestres típicos da Tradição Agreste. Ao longo dos anos, o misticismo popular passou a associar os grafismos a lendas, como a da suposta existência de um tesouro na região, uma das famosas "botijas" do sertão, enterrada pelos holandeses. Por tal razão, aliás, a pedra chegou a ser dinamitada, e reza a lenda que, por causa desse disparate, o "navio" perdeu parte da "proa".
  • Casa onde nasceu o ex-Presidente Lula (em Caetés - PE) - Singelíssima habitação em taipa onde o futuro Presidente do Brasil viveu os 7 primeiros anos de sua vida, antes de emigrar como retirante para o Sudeste. Parcialmente restaurada quando das filmagens do longa "Lula, o filho do Brasil", baseado na obra homônima de Denise Paraná, o casebre em breve integrará um circuito cultural mais completo sobre a trajetória do ilustre garanhuense, que incluirá também um museu a ser construído em Garanhuns e já designado de Museu Casa Lula.
  • Circuito do Café (em Brejão - PE) - Nas primeiras décadas do Século XX, Garanhuns, com seu clima maravilhoso e suas terras ubíquas, chegou a ser não apenas a maior produtora de café de Pernambuco, como, especializada em cafés finos, o lugar onde se produzia o melhor café do Brasil e um dos melhores do mundo, no próspero distrito de Santa Cruz de Brejão. O Café du Brejon, que chegou a ser cotado nas principais bolsas de valores do mundo, era tão bom que recebeu uma homenagem durante um Congresso Internacional sobre o assunto, realizado em Paris (afixou-se uma placa comemorativa na cidade luz celebrando o feito). Infelizmente, a política do Instituto Brasileiro do Café foi desmantelando, aos poucos, a cultura da rubiácea no Município, pondo termo à fase áurea de outrora, mas resquícios desse período ainda podem ser encontrados nas suntuosas mansões das propriedades rurais das tradicionais famílias Brasileiro, Figueira e Notaro, impecavelmente decoradas à moda antiga. Um passeio encantador!

Faça[editar]

  • Festival de Inverno de Garanhuns (FIG) - A idéia de realização de um Festival de Inverno em Garanhuns remonta a 1977. Em realidade, fazia-se necessário um evento de grande porte, que explorasse as potencialidades da cidade, sua infra-estrutura turística e o seu clima ameno durante os dias de inverno. Amadurecida a idéia, o I Festival de Inverno de Garanhuns aconteceu em julho de 1991 e, embora visto com desconfiança durante a abertura, foi coroado de êxito, entusiasmando e encorajando sua continuidade. Atualmente, é Patrimônio Turístico e Cultural de Pernambuco (Lei nº. 679/08) e parte do Calendário Turístico do Estado, integrando o Circuito do Frio, e está entre os mais conceituados festivais realizados no país. O FIG tem a preocupação de difundir durante dez dias as diversas manifestações populares pernambucanas, assim como suas novas tendências, mesclando-as com outras vertentes da cultura através de nomes consagrados tanto nacional quanto internacionalmente.
  • Garanhuns Jazz Festival - Na contramão do Carnaval, Garanhuns celebra o seu Jazz Festival, reunindo alguns dos maiores nomes do jazz atual. Com atrações da envergadura de Magic Slim (EUA), o festival já deixou de ser apenas uma válvula de escape do período momesco para se converter no evento de maior importância do jazz pernambucano.


Compre[editar]

  • Chocolates artesanais - Se é impensável visitar Garanhuns e não dar um pulinho na 7 Colinas, impossível é não voltar de lá cheio de sacolas. Há uma infinidade de opções e de preços, desde as flocadas e barrinhas até os chocolates em formato de violão, avioezinhos e ferramentas mecânicas, etc. Aos que quiserem uma lembrança (comestível) da cidade, há as barrinhas com rótulos exibindo os pontos turísticos (R$ 3,50) e a famosa caixinha com pequenos chocolates exibindo todas as atrações (R$ 8). Pode-se adquirir, ainda, cestas de chocolate e as famosas garrafas de licor sabor, hum, chocolate!
  • Feirinha do Projeto Empreender Comunidade - Ao lado do mais famoso cartão-postal de Garanhuns, o Relógio de Flores, está a Feirinha do Projeto Empreender Comunidade, especializada em artigos para o inveno: gorros, cachecois, luvas. Os itens, indispensáveis para o frio de altitude e, em sua maior parte, de fabricação artesanal, podem ser adquiridos a preços bastante convidativos.

Coma[editar]

Se tem algo de que Garanhuns pode se orgulhar é de sua diversidade gastronômica. Dois polos concentram a mais variada gama de opções: o Polo Heliópolis e a Praça Souto Filho. São famosos:

  • Chocolate 7 Colinas - A mais famosa chocolateria artesanal do Estado nasceu no ano de 1991 junto com o Festival de Inverno. Desde então, tornou-se referência na fabricação de produtos finos com ingredientes selecionados, vendidos aos clientes nas duas unidades da empresa na cidade (Av. Santo Antônio, 209 - Centro, e Av. Ernesto Dourado, 582 - Heliópolis), ambas em casinhas em formato de chalé alpino. A famosa flocada (cocada de chocolate com flocos) sai por R$ 2,50, ao passo que o chocolate quente por R$ 3,50 e o fondue de morango com chocolate por R$ 5.
  • Estação Doçura - Imagine as sobremesas mais suculentas e apetitosas do mundo ao seu inteiro dispor, todas reunidas num mesmo lugar. Imaginou? Assim é a Estação Doçura (Av. Santo Antônio, 229), o self-service de doces mais famoso de Garanhuns. Misture as sobremesas que você mais gosta, arrisque novos sabores, enfim, aproveite o fato de que lá é tudo no peso!
  • Bar do Azevedo - Há mais de vinte anos, o comerciante Azevedo produz o cachorro quente mais famoso da cidade, incrivelmente farto e delicioso. Mas atenção, lá não tem nada desses frufrus que se põem nos hot dogs vendidos nos furgões da vida: é pão, carne e só - aliás, bota carne nisso! Localizado em plena Esplanada Guadalajara, o lugar está sempre lotado, especialmente durante os dias de Festival. O segredo do sucesso: o tempero... Um cachorro quente sai por R$ 3.
  • Amazônia Mix - A rede Amazônia Mix começou em Caruaru como uma simples lanchonete de vitaminas e energéticos à base de frutas e especiarias do Norte do Brasil e logo se expandiu, acompanhando a adequação dos hábitos alimentares de cada vez mais pernambucanos aos sabores da floresta. Com 4 unidades em Garanhuns, uma delas na Av. Rui Barbosa, a franquia serve seu famoso açaí na tigela ao preço de R$ 5 (o pequeno). Vale à pena conferir também a vitamina Mistura Tropical, à base de abacaxi, graviola e leite condensado (R$ 4), bem como as outras bombas calóricas de nomes engraçados servidas no estabelecimento.
  • Buchada do Gago - Não se deixe enganar pelas aparências: esse modesto e simpático bar na Vila do Quartel, periferia de Garanhuns, prepara uma das melhores buchadas de bode do país, citada com destaque no Guia Brasil Quatro Rodas. O recheio leva fígado, rim e coração picados, temperados com alho, cominho, coentro, pimenta-do-reito e de cheiro. Como acompanhamentos, pirão e tripa enrolada na canela de bode. De fato, um prato para estômagos fortes...

Beba e saia[editar]

A vida noturna de Garanhuns se concentra na Av. Rui Barbosa, principal via de Heliópolis, e em seu entorno. É lá que estão os principais bares, à exemplo dos badaladíssimos Alforria e Whiskonderijo, o elegante restaurante Chez Pascal, a sanduicheria Bebelu, bem como todos os estabelecimentos do Polo Heliópolis, verdadeira praça de alimentação ao ar livre, no qual também se encontram o restaurante internacional O Relojoeiro, o oriental China Polo e o Cine Eldorado, com duas salas de projeção em cartaz com os últimos lançamentos do cinema nacional e internacional.

Recentemente, a cidade ganhou um novo polo gastronômico: a Praça Souto Filho, mais conhecida como Praça da Fonte Luminosa. Nas redondezas do descolado Zanzibah (com clone de pizza de forno à lenha às quartas-feiras) instalaram-se o Vitória Doceria e Café e uma unidade da rede de fastfoods naturais Subway.

No Centro, por sua vez, estão o concorrido Bar O Vagão Petisqueria, no sobrado do Centro Cultural, e, na Rua Dom José, a Budega de Zé, ponto de encontro etílico dos garanhuenses, um dos lugares mais procurados pelos apreciadores de "cachaça temperada", com mais de 30 sabores. Tem variada programação de shows e apresentações culturais e é frequentada pelo público alternativo (bodegueiros, famosos, turistas, etc.).

Durma[editar]

Econômico[editar]

Diárias por pessoa até R$ 30

  • Diplomata Hotel - Rua Dr. José Mariano (Rua do Recife), 194 – Centro. Tel.: (87) 3761.0539
  • Hotel Universitário - Rodovia BR-423, 731 (próximo ao Pórtico de Acesso) – Heliópolis. Tel.: (87) 3763.2796
  • Hospedaria do Mosteiro de São Bento - Praça Tiradentes, 1223 - São José. Tel.: (87) 3761.1592
  • Pousada Simôa Gomes - Rua da Prosperidade, 56 (próximo à Esplanada Guadalajara) – São José. Tel.: (87) 3762.2139
  • Hotel Garoa - Praça Manoel Jardim, 110 – Centro. Tel.: (87) 3762.4320

Médio[editar]

Diárias por pessoa entre R$ 30 e R$ 50

  • Hotel Maria Eliza - Praça Dom Moura, 322 – Centro. Tel.: (87) 3762.0057
  • Figueiredo Hotel - Rua Oliveira Lima, 337, 1º andar (esquina com a Av. Rui Barbosa) - Heliópolis. Tel.: (87) 3762.3237
  • Azevedo Hotel 1 - Rua Cel. Antônio Victor, 37 (esquina com a Esplanada Guadalajara) – São José. Tel.: (87) 3762.6969
  • Alameda Hotel - Av. Santo Antônio, 429 (ao lado de Ferreira Costa) – Centro. Tel.: (87) 3762.2026
  • Colinas Hotel - Rua Dr. José Mariano (Rua do Recife), 401 – Centro. Tel.: (87) 3761.3539
  • Mael Plaza Hotel - Av. Júlio Brasileiro, 613 (próximo ao Parque Euclides Dourado) – Heliópolis. Tel.: (87) 3762.1222
  • Hotel Ipanema - Praça Manoel Jardim, 42 – Centro. Tel.: (87) 3763.1232
  • Dnyl Hotel - Praça Dom Moura, 302 – Centro. Tel.: (87) 3761.0998
  • Hotel Real - Av. Júlio Brasileiro, 6473 (próximo ao Polo Heliópolis) – Heliópolis. Tel.: (87) 3761.2160
  • Hotel Vivo - Av. Santo Antônio, 179, 1º Andar – Centro (defronte ao Palácio Celso Galvão). Tel.: (87) 3762.9080

Esbanje[editar]

Diárias por pessoa acima de R$ 50

  • Centro de Turismo e Lazer do SESC - Rua Manoel Clemente, 161 (ao lado do Parque Ruber van der Linden) – Centro. Tel.: (87) 3762.8300.
  • Hotel Rodrigues - Av. Rui Barbosa, 688 – Heliópolis. Tel.: (87) 3761.0441
  • Hotel Village - Av. Santo Antônio, 149 – Centro. Tel.: (87) 3761.3624
  • Garanhuns Palace Hotel - Av. Rui Barbosa, 626 - Heliópolis. Tel.: (87) 3761.3550
  • Hotel Tavares Correia - Av. Rui Barbosa, 296 – Heliópolis. Tel.: (87) 3762.0250

Partir[editar]

  • Sítio Arqueológico do Boi Branco - Trata-se de um assentamento agrário feito pelo INCRA, em cujas terras há a presença de um dos mais intrigantes sítios arqueológicos do Nordeste. É que em Boi Branco, ou Pedra Pintada, existe uma enormidade de figuras rupestres de beleza ímpar, classificadas como itaquatiaras e signogravuras, e que datam de mais de 6 mil anos. Mais famosas do que elas, somente as da Pedra do Ingá, na Paraíba. Em Iati-PE (50 km pela BR-423, em direção a Paulo Afonso).
  • Ermida de Santa Terezinha - Finalizada em 1941 sob os auspícios de monsenhor Alfredo Dâmaso, o qual nela se encontra sepultado atendendo a seu último desígnio, é considerada uma das mais representativas e bonitas do gênero no Nordeste brasileiro. Em Bom Conselho - PE (50 km pela PE-218, em direção a Palmeira dos Índios).
  • Parque Memorial Quilombo dos Palmares - Localizado no platô da Serra da Barriga, patrimônio histórico nacional, o Parque Memorial abrigou o maior quilombo já existente no Brasil: o Quilombo dos Palmares. Além de infra-estrutura, a exemplo de restaurante e loja de artesanato, o visitante encontrará uma autêntica casa de farinha, espaço para rodas de capoeira e espaços audiovisuais contando parte da história de resistência do primeiro grito de liberdade das Américas e templo da resistência negra do país. Em União dos Palmares - AL (100 km em direção a Maceió).


Este artigo é um guia. Ele tem muita informação, incluindo listas de hotéis, restaurantes, atracções e informação sobre chegada e partida. Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!

Variantes

Ações

Docentes do destino

Noutras línguas

outros sites