Contribua para um artigo e ajude o wikitravel a crescer! Aprenda como.

Cracóvia

Da Wikitravel
Ir para: navegação, pesquisa
Cracóvia é uma metrópole com vários artigos de distrito, que contém listas de atracções turísticas, restaurantes, alojamento, bares e discotecas - considere imprimi-los a todos.
A Rynek Główny, Cracóvia.

A cidade de Cracóvia [1] é a capital da província de Pequena Polónia (Malopolskie), no sul da Polónia. Cobre ambas as margens do rio Wisla (ou Vístula), numa região montanhosa no sopé doa Cárpatos. É a segunda maior cidade polaca, com uma população de 756 000 (1,4 milhões incluindo a área metropolitana). Foi o primeiro Património Mundial do mundo, juntamente com outros onze sítios.

Distritos[editar]

Estes são os destinos turísticos mais populares e, se tiver pouco tempo, é melhor só visitar estes:

  • Stare Miasto — (literalmente significa "Cidade Velha") O centro histórico de Cracóvia fica a uma caminhada de apenas dez minutos da estação de comboio e é onde fica o Castelo de Wawel, numerosas igrejas, a Rynek Główny (Praça Principal),o Sukiennice, e muitos, muitos restaurantes, bares e lojas caras.
  • Kazimierz - O antigo bairro judaico, uma boa maneira de escapar à Cidade Velha, abarrotada de turistas.

Outros distritos da cidade são:

  • Kleparz - Um conjunto de maravilhosos edifícios antigos, outrora uma cidade separada.
  • Wesola - Este magnífico conjunto arquitectónico inclui o mais antigo jardim botânico da Polónia.
  • Stradom - Banhado pelo Vístula, tem muitas casas do século XIX, muito bonitas.
  • Piasek - Outra parte histórica da cidade.
  • Nowy Swiat - Encantadoras casas do século XIX.
  • Srodmiescie Krakowskie

Subúrbios[editar]

Algumas das comunidades à volta de Cracóvia dão-lhe um outro ponto de vista da vida polaca, longe dos grandes centros turísticos. A maior parte destes são destinos fora da cidade, por isso precisa de arranjar transporte para lá chegar.

  • Nowa Huta — Uma área mais recente, construída pelos comunistas (acessível de eléctrico).
  • Zwierzyniec – A área mais verde de Cracóvia, situada a oeste; inclui a floresta de Las Wolski e Kopiec Kościuszki (o Monte Kosciuszko).
  • Debniki – Uma área verde a sudoeste de Cracóvia, inclui o Mosteiro de Tyniec.
  • Bronowice – A área a noroeste de Cracóvia.
  • Podgórze — A área do gueto judeu durante a ocupação nazi. Também conhecido como Kopiec Krakusa (o Monte de Krakus)

Entenda[editar]

O Monumento a Adam Mickiewicz e a Igreja de Santa Maria.

Cracóvia é uma das mais antigas cidades polacas, com povoações nesse local desde há 20 000 a.C.. Segundo a lenda que foi construída em cima de uma caverna de um dragão que o mítico Rei Krak matou. No entanto, a primeira menção oficial do nome da cidade foi feita em 966 por um mercador judeu de Espanha, que a descreveu como um centro importante na Europa Eslava.

Através do comércio com vários governantes europeus, cresceu de uma pequena povoação em 1000 para uma grande e rica cidade, pertencendo aos vístulanos. No entanto, através dos séculos IX e X, caiu sob a influência dos morávios, depois dos boémios, antes de ser capturada pela Dinastia Piast. Em 1038, Kazimierz o Restaurador fez de Cracóvia a capital da Polónia.

Em 1241, a cidade foi quase completamente destruída pelos tártaros. Foi reconstruída segundo um desenho que permanece inalterado até aos dias de hoje. No entanto, após alguns ataques bem sucedidos pelos mongóis em fins do século XIII, Kazimierz o Grande preparou a defesa da cidade: muralhas, fortificações e o Castelo de Wawel foram adicionados à cidade. A Universidade foi também fundada. O Rei Kazimierz criou o distrito de Kazimierz para os judeus viverem sem perigo de perseguição. Esta área permaneceu judaica por vários séculos até à ocupação nazi.

O século XVI foi a idade de ouro de Cracóvia. Sob a influência da dinastia Jaguelônica, Cracóvia tornou-se um centro científico e artístico. Em 1569, a Polónia estava oficialmente unida com a Lituânia, e consequentemente a actividade governamental começou a transferir-se para Varsóvia. O Rei Zygmunt III tornou-a oficialmente capital do país em 1609.

No entanto, no século XVII, recomeçou uma era problemática para Cracóvia e para a Polónia. Depois de terem sido invadidos por russos, prússios, austríacos, transilvânios, suecos e franceses, passou por uma fase de várias formas de controlo político. Estes incluíam ser parte do Ducado de Varsóvia, estabelecido por Napoleão e tornar-se uma "cidade independente". No entanto, caiu sob a influência do Império Habsburgo, na província de Galícia.

Na I Guerra Mundial, Józef Pilsudski dedicou-se a libertar a Polónia e o Tratado de Versalhes (1919) estabeleceu um estado independente polaco pela primeira vez em mais de 100 anos. Este durou até à II Guerra Mundial, quando a Alemanha e a URSS repartiram o país entre si, sendo Cracóvia invadida pela Alemanha em 1939. Muitos académicos foram mortos e relíquias históricas e monumentos foram destruídos ou saqueados. Foram estabelecidos campos de concentração perto da cidade, incluindo Plaszow e Auschwitz. Depois da retirada alemã, a cidade escapou à destruição completa e muitos edifícios foram salvos.

No período comunista, uma grande aciaria foi construída no subúrbio de Nowa Huta. Isto foi visto como uma tentativa de diminuir a influência do anti-comunismo e das comunidades religiosas em Cracóvia. Em 1978, a UNESCO colocou Cracóvia na lista de Património Mundial. No mesmo ano, o Arcebispo de Cracóvia, Karol Wojtyla, tornou-se no Papa João Paulo II.

O Governo Comunista caiu em 1989 e Cracóvia está actualmente um período de regeneração, com edifícios antigos a serem restaurados.

Clima[editar]

noframe

Veja o estado do tempo em Cracóvia nos próximos dias: msn Meteorologia.

Existem quatro estações em Cracóvia — sendo o Verão húmido e quente (cerca de 30-35°C). O Inverno cobre sempre de neve Cracóvia com dias extremamente frios (-5 a -20ºC). Setembro pode ser muito húmido.

Chegar[editar]

De avião[editar]

Aeroporto de Cracóvia.

O Aeroporto de Balice (IATA: KRK, ICAO: EPKK) [2] é o aeroporto principal da cidade e a maneira mais fácil de nela entrar, cerca de 12km a oeste do centro. É o segundo maior aeroporto da Polónia, com voos internacionais e domésticos frequentes, bem como vários voos charter. Existem vários voos directos todos os dias de toda a Europa, incluindo Londres, Paris, Glasgow, Bruxelas, Estocolmo, Oslo, Copenhaga, Helsínquia, Belfast, Milão,, Berlim, Dublin, Edimburgo, Frankfurt, Roma, Viena, e Zurique. P. As principais companhias aéreas que servem o aeroporto são LOT (companhia aérea nacional) [3], a Austrian Airlines [4], e a Lufthansa [5]. Existem também várias companhias low cost, como a easyJet [6], a Ryanair [7], a Norwegian [8], a Germanwings [9], a Air Berlin [10]. Alternativamente, pode voar para Katowice e depois apanhar um voo para Cracóvia.

Sair do aeroporto[editar]

Para sair do aeroporto, pode apanhar um comboio até à 'Dworzec Glowny PKP' (a estação central) a cada meia-hora, desde as 4h24 às 23h24 (para mais detalhes veja o site do aeroporto: [11] - está em inglês). Pode comprar bilhetes ao empregado do comboio (8 PLN), ou através de máquinas automáticas (7 PLN). A viagem dura 16 minutos. Para chegar à estação pode caminhar até ela, fica a apenas 250 metros do aeroporto, ou pode apanhar um um serviço de autocarros grátis que passa em frente do aeroporto.

O autocarro número 292 [12] e 208 [13] vai desde o aeroporto até ao centro da cidade de hora em hora. Se precisar de chegar à estação de comboios central, saia na paragem "Dworzec Główny Wschód". Esta paragem de autocarros fica a seguir ao centro comercial "Galeria Krakowska", a aproximadamente 100 metros da entrada da estação central (Dworzec Główny PKP). A viagem demora cerca de 40 minutos.

Bilhetes básicos desde o Aeroporto de Balice até à cidade custam 3 PLN, ou 1.70 PLN para dententores de ISIC (International Student Identity Card; Cartão de Estudante Internacional). Assegure-se que compra o bilhete que é valido em duas zonas. Pode comprar bilhetes numa banca de jornais ou através de uma máquina de bilhetes no autocarro (3,50 PLN/ 1.95 PLN para detentor de ISIC).

À noite, pode apanhar a linha nocturna 902 [14] que vai do aeroporto ao centro da cidade às 23h19, 00h49, e 02h19. Os autocarros saem da estação central de comboios para o aeroporto às 00h05, 01h35, e 03h43. Bilhetes só de ida 3,00 PLN.

Existem vários táxis à saída dos terminais T1 e T2, e estes são provavelmente a melhor maneira de chegar à cidade. A viagem até ao centro não deve custar mais do que 70PLN de dia. Assegure-se que o taxímetro está ligado com a tarifa adequada. O aeroporto está fora da cidade, por isso estará sujeito à tarifa "exterior" até que passe um certo ponto, no qual o preço muda.

Pode tentar apanhar boleia, mas é difícil fazê-lo no aeroporto. Se quiser tentar, vá até à estrada principal do aeroporto.

De comboio/trem[editar]

Estação Central de Comboios.

A Dworzec Glowny PKP [15] é a estação de comboios central de Cracóvia, e situa-se muito perto da Cidade Velha. Tem conexões com outras cidades polacas e com o resto da Europa.

Todas as horas entre as 6h00 e as 20h00 existe ou um comboio Expresso (EX) ou um Intercidades (IC) entre Cracóvia e Varsóvia que não para no caminha e a viagem dura menos de 3 horas. É de longe a maneira mais conveniente de viajar entre Varsóvia e Cracóvia. Para ou desde Cracóvia, comboios IC custam cerca de 89-95 PLN por adulto, 65-72 para estudantes e qualquer pessoa com menos de 26 anos. Bilhetes de primeira classe são cerca de 25% mais caros, mas oferecem mais espaço. Comboios EX custam cerca de 105 PLN no total. Se quiser viajar economicamente pode também apanhar um comboio interregiões por 40 zł cuja duração é de três horas e meia ou os comboios pospieszny que demoram mais de cinco horas, mas custam 50 zł.

Diariamente chegam comboios internacionais desde Hamburgo, Berlim, Leipzig, Praga, Budapeste, Bucareste, Bratislava, Kosice, Lviv, Kiev, e Odessa, e daí existem conexões para o resto da Europa. Comboios-cama desde e para a Polónia são muito baratos. Uma cama numa cabine de seis camas é um luxo comparado com uma viagem num assento, por apenas €14.

A estação tem um local para meter a bagagem, sala de espera, pequenos cafés e lojas. No entanto, a comida não é muito boa, e ficaria melhor servido se saísse da estação e fosse a uma das lojas vizinhas. Existe um enorme centro comercial ligado à estação com alguns restaurantes.

Os empregados da estação não são muito prestáveis para estrangeiros que não falam polaco, pois muitas vezes esta é a única língua que falam e pode ter que ficar uma enorme quantidade de tempo numa fila para depois lhe dizerem para ir para outra fila. Se ficar confuso, tente pedir ajuda a alguém jovem, pois a maior parte dos jovens polacos sabem falar inglês e podem ajudá-lo. Os empregados no balcão de bilhetes internacionais falam inglês.

De autocarro/ônibus[editar]

Existem serviços de autocarros europeus a servir Cracóvia. No entanto, é mais barato e muito mais rápido voar, desde que reserve com pelo menos seis semanas de antecedência. Uma viagem desde Londres, por exemplo, demora 24 horas. É muito desconfortável, e não é recomendado para ninguém a não ser pessoas desesperadas e/ou amigas do ambiente.

Na Polónia, viajar de autocarro não é muito mais barato do que viajar de comboio. No entanto, é muito mais "estranho", e não é recomendado para viajar entre cidades. Durante o verão, são frequentes os autocarros sem ar condicionado, por isso traga muita água.

Rail connections from the Baltic countries into Poland are non-existent, making bus travel a more serious alternative for travelers arriving from the north.

Pode ver as conexões entre Cracóvia e outras cidades da Polónia no site da Estação Regional de Autocarros de Cracóvia [16].

Ônibus entre Cracóvia e Budapeste [17]

Ao viajar entre Cracóvia e Zakopane é recomendado apanhar o autocarro [18] [19] (viagem de duas horas) em vez do comboio (viagem de três horas e meia). Saem autocarros a cada meia-hora desde a Estação Regional de Autocarros.

Uma vez por dia (excepto segunda e terça) um autocarro faz a viagem entre Cracóvia e Wrocław [20]. O autocarro sai às 15h30 e chega a Wrocław por volta das 18h30.

De carro[editar]

O governo polaco completou a Autostrada A4 [21] desde a fronteira alemã (onde vai de encontro à Autobahn A4) até Cracóvia. isto faz viajar até Cracóvia de carro vindo do oeste muito mais fácil. O limite de velocidade é, normalmente, 130 km/h, e existe uma portagem de 8 PLN entre Katowice e Cracóvia. Conduzir de ou para Varsóvia (300 km) é mais difícil, pois a A1 ainda não está completa. A rota mais fácil é a estrada expresso S7, que o levará a Cracóvia em cerca de cinco horas.

Circular[editar]

A pé[editar]

Mapa da parte norte do centro histórico de Cracóvia.

Dependendo da sua forma, pode ver todo o centro da cidade sem precisar de qualquer transporte. Existem algumas rotas a pé pela cidade, principalmente através da Planty. Para caminhar, experimente o Caminho Real ou o jardim que rodeia o centro histórico. É muito relaxante. Existe também um jardim muito bem tratado à volta do castelo para passear.

No entanto, a neve não costuma ser removida dos passeios, resultando numa mistura de neve e lama. Traga sapatos à prova de água se planear andar a pé no Inverno.

De bicicleta[editar]

Outra opção é alugar uma bicicleta. É fácil percorrer o centro numa bicicleta, visto existirem ciclovias por todo o lado, incluindo através do Planty, que rodeia o centro histórico. Um local barato para alugar uma bicicleta é em Kazimierz, perto da Antiga Sinagoga. Custa cerca de 20PLN por dia, muito mais baratas do que as do centro. Para quem estiver preparado para gastar mais, pode fazer uma visita ao centro histórico com um Segway alugado.

Em 2008, Cracóvia introduziu o BikeOne - um sistema de bicicletas municipais a um preço razoável. Precisa de se registar e pagar em [22] e dar-lhe-ão um PIN pessoal que lhe permite pegar uma bicicleta numa das estações de aluguer (self-service). Actualmente, existem cerca de 15 dessas estações (a maior parte destas no centro), mas o número ainda vai crescer. Uma das coisas boas desde sistema é que não precisa de devolver a bicicleta na mesma estação que a foi buscar - pode deixá-la na que quiser. As bicicletas não estão disponíveis de inverno.

De transporte público[editar]

Um eléctrico na Stare Miasto.

Durante o dia, existe uma excelente rede de transporte público na cidade, composta por eléctricos e autocarros (mas não se esqueça que pode ficar muito tempo parado num engarrafamento!). As horas de ponta são entre as 7h00-9h00 e as 15h00-17h00.

Compre os bilhetes antes de subir a bordo. Os revisores são comuns e, embora as multas não sejam muito altas, é melhor ter o bilhete à mão. Há venda existem bilhetes individuais, de uma hora, diários, semanais e mensais, que podem ser comprados em quiosques. Se comprar um bilhete individual, logo que embarcar, pique-o na máquina. O bilhete tem que estar picado ou não é válido. Bilhetes diários e de uma hora só precisam de ser picados na primeira vez que o usar, mas depois não. Não pique os bilhetes semanais e mensais.

Preços: Individual 2,50PLN, uma hora 3,10PLN, diário 10,40PLN, dois dias 18,80PLN, três dias 25PLN, semanal 39PLN, bilhete de família (só nos fins-de-semana, funciona como um bilhete diário para toda a família) 10,40PLN, mensal 94PLN. Detentores de ISIC que estudam fora da Polónia conseguem um desconto, mas inferior a 50%.

Ao viajar para aldeias vizinhas e para o aeroporto, precisa de um bilhete de "aglomeração", que é apenas 0,30PLN mais caro. Precisa dele mesmo que tenha um dos passes mencionados acima (pois estes só servem para viajar dentro da cidade).

Os bilhetes individuais tem o mesmo preço durante a noite excepto em autocarros nocturnos, indicados com um sinal preto, nos quais custam 5PLN, ou pode usar um bilhete de um/dois/três dias, que também são válidos. Paragens de eléctrico e autocarros, bem como a maior parte dos quiosques podem dar-lhe mais informação sobre que rota tomar.

De carro[editar]

Táxis.

Não tente conduzir no centro histórico. Existe muito trânsito, os parques de estacionamento são raros e caros, e precisa de algum tempo para se habituar à condução na Polónia. Existem também regras nas "zonas de condução" locais que confundem mesmo os locais. Os táxis são baratos e faz muito mais sentido usar um deles.

Os táxis são confiáveis e são sem dúvida uma das melhores maneiras de transporte, especialmente ara vir do aeroporto para a cidade. O preço desde o aeroporto até à cidade custa cerca de 70PLN. Durante o dia, os preços de um táxi devem rondar os 20PLN. Todos os táxis tem que ter um sinal a dizer "TAXI" e um autocolante no vidro com os preços. Existe um custo inicial de 5-7PLN, mais 2-3PLN por quilómetro. A lista com os preços deve estar na janela do passageiro.

Alguns serviços automóveis como o iCar [23] são quase sempre menos caros que os táxis, e dizem os preços com antecedência (baseado na distância real entre o local onde está e o seu destino). Uma viagem de 8km custar-lhe-á cerca de 14 PLN.

Em algumas circunstancias os condutores cobram um preço abusivo aos turistas, especialmente os que não falam polaco. Veja num mapa quanto será o preço justo e se o preço for muito mais alto do que isso, proteste.

Veja[editar]

Castelo de Wawel.

Principais atracções[editar]

O Sukiennice na Rynek Główny, cujo primeiro andar é ocupado pela Galeria de Arte do Século XIX.
  • Rynek Główny (Praça do Mercado Principal) — Uma das maiores praças medievais do mundo no coração da Stare Miasto, que actualmente está a sofrer um período de restauração e embelezamento, cheia de igrejas, restaurantes e bares.
  • Castelo de Wawel, Droga do Zamku, Cracóvia, [24] — Também na Stare Miasto, é o antigo lar dos reis polacos é actualmente um importante museu. Tem um sistema de pagamento muito estranho, tendo você que oagar para entrar nas diferentes partes do castelo a determinadas alturas do dia, mas fora dessas horas, entrar nessas partes é grátis.
  • Kazimierz — O antigo bairro judeu a sul do Castelo de Wawel. Mais de 40 000 judeus residentes em Cracóvia e áreas circundantes morreram no Holocausto. Hoje em dis existem muito poucos judeus residentes na cidade, mas as sinagogas e outros sinais da cultura judaica permanecem em Kazimierz, que foi cena de muitas cenas de A Lista de Schindler.

Museus e galerias[editar]

Museu Czartoryski.
Teatro Nacional Stary.

Muitos dos museus de Cracóvia tem entrada grátis aos Domingos e estão fechados na Segunda.

  • Museu Czartoryski, Pijarska & Świętego Jana, Cracóvia, [25] - O antigo palácio de uma das principais famílias polacas e dono de uma das mais importantes pinturas de Da Vinci, Dama com Arminho.
  • Bunker de Arte Moderna (Bunkier Sztuki Wspolczesnej), Plac Szczepański, Cracóvia, [26] — Galeria de arte contemporânea muito perto da Rynek Główny. Tem também uma livraria e um café agradável.
  • Centro de Arte & Tecnologia Japonesa (Manggha-Centrum Sztuki I Techniki Japonskiej), Marii Konopnickiej, Cracóvia, [27] — Guarda os artefactos japoneses do Museu Nacional, consistindo principalmente na colecção de 6 500 objectos de Feliks Jasienski (1861-1929), que adorava o Japão. Está virado para o rio e para o Castelo de Wawel, que está na outra margem.
  • Museu de Arqueologia (Muzeum Archeologiczne w Krakowie), Senacka 3, Cracóvia, [28]. - Já serviu de palácio, mosteiro, prisão e hoje em dia o enorme edifício no centro histórico é o Museu de Arqueologia. Uma importante colecção de múmias agradará aos fãs do macabro, enquanto que a lendária est+atua pagã Swiatowid - tirada do fundo do Rio Zbrucz há um século atrás - é impressionante.
  • Museu Armia Krajowa (Muzeum Armii Krajowej), Bosacka 13, Cracóvia. - O Museu Armia Krajowa é o único museu polaco cuja colecção cobre toda a luta polaca contra os invasores do ocidente e oriente durante os últimos 100 anos, com ênfase na II Guerra Mundial e no nazismo. Contém uma colecção única de artefactos, incluindo armas, maoas arte, documentos, uniformes e emblemas.
  • Museu Judaico Galicja (Muzeum Galicja), Dajwór 18, Cracóvia, [29] — O Museu Galicja em Kazimierz contém uma vasta colecção de fotografais e explicações em polaco e inglês. Estas são fotos recentes de locais por todo o país associados com o Holocausto. Algumas são locais onde ocorreram os massacres; a maior parte delas são fotografias de velhas sinagogas e cemitérios judaicos com comentários sobre o respeito (ou desrespeito) pelos locais e pela sua preservação. O museu tem também uma livraria e um café e realiza viagens até Auschwitz.
  • Galeria de Arte do Século XIX (um de muitos museus nacionais/Muzeum Narodowe em Cracóvia), Sukiennice, Rynek Główny, Cracóvia, [30] — Uma das melhores colecções de pinturas do século XIX na Polónia. A colecção está guardada no primeiro andar do Sukiennice, na principal praça da cidade.

Outros[editar]

  • Universidade Jaguelônica - Espalhados por todo o centro histórico pode encontrar campus da segunda mais antiga universidade deste parte da Europa: a Universidade Jaguelônica. Pode entrar nos edifícios que quiser quando quiser, sem pagar.
  • Teatro Nacional Stary (Narodowy Stary Teatr), Jagiellońska 5, Cracóvia - O edifício principal já serviu de vários teatros diferentes, e hoje em dia conta com algumas das melhores companhias de teatro e ópera do país.

Faça[editar]

Eventos[editar]

Janeiro[editar]

O Ano Novo começa com um estouro em Cracóvia. Foguetes iluminam o céu e bandas de rock animam a principal praça da cidade, a Rynek Głowny. Mais tarde, quem não estiver a recuperar de uma ressaca pode apreciar o concerto clássico na Filarmónica.

Fevereiro[editar]

Embora não seja o mês mais festivo da cidade, existem alguns eventos, incluindo o bizarro Festival Internacional Shanty e a Quinta-feira Gorda, que, basicamente, não passa de uma desculpa para comer o mais possível.

Março[editar]

Neste mês pode apreciar dois festivais de música clássica: o Festival de Bach e o Festival do Orgão. A própria Páscoa é um atractivo da cidade. E a Semana Santa tem o seu próprio festival clássico - o Misteria Pashalia - com bandas de todo o mundo.

Abril[editar]

Maio[editar]

A cidade revela o seu lado desportivo neste mês, com a Maratona de Cracóvia. O Festival Internacional de Cinema é um dos mais antigos da cidade, ao qual se lhe junta um mais recente, o Mês de Fotografia de Cracóvia. Ambos os bilhetes são baratos. E, para os amantes da música, pode também ir ao Festival de Música Encontros com a Igreja Ortodoxa.

Junho[editar]

Festival Internacional de Bandas Militares.

O principal festival do mês é o Festival Internacional da Cultura Judaica. A este junta-se-lhe o Festival da Cidade de Cracóvia. O fim do mês é também marcado pelo ancestral costume do Wianki (Flutuar das Grinaldas), acompanhado de um concerto no Rio Vístula. Por fim, o Festival Internacional de Bandas Militares.

Julho[editar]

Existem festivais em abundância neste mês, sendo os mais importantes o Festival de Jazz do Verão, o Festival Internacional de Teatro de Rua, o Festival de Folclore Cruzamentos e o Festival de Orgãos do Verão.

Agosto[editar]

Em Agosto o ponto alto é o Festival Música na Cidade Velha, que atrai artistas clássicos de toda a Europa. Se preferir dança, vá ao Festival de Danças Antigas.

Setembro[editar]

O Festival de Música Sacro-Profano anima a cidade neste mês. A este junta-se-lhe outro festival de música clássica, a Competição Internacional de Música de Câmara Moderna. E claro, a lendária Parada Dachshund trás uma bem-vinda dose de humor canino.

Outubro[editar]

O Festival Internacional de Música Antiga é um dos acontecimentos mais populares do mês. Os amantes de literatura devem visitar a Feira do Livro de Cracóvia.

Novembro[editar]

O que resta do Outono dá as boas-vindas ás Vigílias de Todos-os-santos e dos Fiéis Defuntos (1º e 2º de Novembro). O Festival de Jazz de Zaduszki aligeira o tom melancólico. No 29 de Novembro ocorre a celebração polaca do Andrzejki, quando você pode ler o seu futuro em cera.

Dezembro[editar]

Começa o Mercado de Natal (apesar de as bancas já estarem prontos desde fins de Novembro). E, na primeira quinta-feira do mês, a famosa Competição da Manjedoura de Natal começa. Por fim, o Festival Opera Viva é também um destaque de Dezembro.

Atividades[editar]

Dragão do Castelo de Wawel.

Cracóvia, a antiga capital real, é famosa pelos seus preciosos tesouros arquitecturais e ambiente amigável. Existem várias coisas para fazer:

  • Percorra o Caminho Real todo, desde o Portão de São Floriano, descendo a Florianska, atravessando a Rynek Główny, e descendo a Grodzka para chegar ao Castelo de Wawel.
  • Ouça o Hejnał mariacki (literalmente: a alvorada de Santa Maria; um sinal de trompete) enquanto bebe um café na Rynek Główny. O sinal é tocado por um trompetista de hora em hora desde o cimo da torre mais alta da Igreja de Santa Maria e o som para abruptamente antes de acabar em memória de um trompetista morto por uma seta tártara em 1241.
  • Vagueie no Planty, o enorme parque que rodeia o centro histórico.
  • No Castelo de Wawel, relaxe e apanhe sol nas margens do rio Vístula. Vá ao Covil do Dragão, uma caverna no castelo, e veja o dragão a expelir fogo.
  • Domingo de manhã cedo, vá às compras no mercado ao ar-livre da Plac Nowy e da Hala Targowa.
  • Veja o património da cidade e visite Auschwitz e as minas de sal nos arredores da cidade com, por exemplo, a Private Krakow Tours [31].

Aprenda[editar]

Collegium Novum da Universidade Jaguelônica.
  • Universidade Jaguelônica (Uniwersytet Jagielloński), Gołębia 24, Cracóvia, [32] - A mais antiga universidade do país e a segunda mais antiga da Europa Central. É também considerada a melhor universidade do país, atraindo muitos estudantes.
  • Universidade de Economia de Cracóvia, Rakowicka 27, Cracóvia, [33] - A maior universidade de economia do país, no coração da cidade velha. Tem alguns cursos em inglês, veja o site para mais informações.
  • Universidade de Ciência e Tecnologia AGH, (Akademia Górniczo-Hutnicza), Mickiewicza 30, Cracóvia, [34]. - A segunda maior universidade de tecnologia do país.
  • Universidade de Tecnologia de Cracóvia (Politechnika Krakowska), Warszawska 24, Cracóvia, [35]. - Uma universidade no centro da cidade, estabelecida em 1946.

Trabalhe[editar]

Cracóvia é o destino turístico mais popular do país e isto suporta muito a economia local. No entanto, a Universidade, numerosos colégios locais, e a educação em geral são também importantes empregadores na cidade.

Os serviços e indústria tecnológica são também uma área forte, com muitos bancos e companhias de internet, como o Google, na cidade. Existe um grande sector manufactor, especialmente nas áreas do aço, farmacêuticos e tabaco, um legado da era comunista.

O desemprego é menor que a média (5%) do resto do país (9%).

Compre[editar]

Cidade Velha[editar]

A Florianska, parte do Caminho Real.

O centro histórico oferece excelentes lojas, especialmente para comprar roupa, jóias e arte. Pode vaguear pelo centro histórico e por Kazimierz, onde as lojas de antiguidades abundam. O centro de tudo isto é a Rynek Głowny ("Rynek" também significa "mercado"), onde encontrará as melhores lojas da cidade.

No meio da Rynek Głowny ergue-se o Sukiennice, centro do comércio na cidade por centenas de anos. Todo o rés do chão é um mercado, onde artistas locais vendem os seus artigos. Especialmente interessantes são as jóias de âmbar e os tapetes de pele de ovelha. Um local a visitar se quiser levar um pedaço autêntico de Cracóvia para casa.

Se for viciado em compras pode também percorrer o Caminho Real (Florianska - Rynek Głowny - Grodzka) e as ruas que rodeiam a Plac Nowy em Kazimierz.

Centros Comerciais[editar]

A Galeria Krakowska.

Até recentemente, Cracóvia evitou a invasão de centros comerciais. Hoje em dia, no entanto supermercados, centros comerciais e grandes marcas invadiram a cidade. Existem alguns centros comerciais em Wadowicka e Zakopiańska, com enormes supermercados anexados.

No Verão de 2006 abriu um gigantesco centro comercial de 270 lojas, a Galeria Krakowska [36], situada a seguir à principal estação de comboios, e a 5 minutos de caminhada da Rynek Głowny. Este aumentou a variedade de produtos internacionais que haviam disponíveis em Cracóvia. No centro comercial existe um supermercado Carrefour.

O segundo maior centro comercial da cidade é, provavelmente, a Galeria Kazimierz [37] (Podgorska 34). Situado no sul de Kazimierz, nas margens do Rio Vístula, oferece 36 000m2 de lojas, boutiques, e restaurantes, bem como um cinema. A Galeria Kazimierz tem também um supermercado Alma.

Outros grandes centros comerciais são M1 (Al.Pokoju 67), com um Media Markt, e Krakow Plaza [38] (Al.Pokoju 44), que inclui uma grande variedade de lojas de roupa.

Coma[editar]

A cozinha de Cracóvia tem sido influenciada pelas culturas que habitaram a Europa Central, bem como pelo Império Austro-Húngaro.

Se quiser genuína comida polaca, barata e deliciosa, vá ao Babci Maliny (literalmente "Avó de Framboesa") na Szpitalna 38 e aprecie o ambiente, onde se senta em bancos com desconhecidos e espera que chamem o seu número. O menu é em polaco, mas também existem menus em inglês - peça. O andar inferior tem uma apresentação impressionante, especialmente à noite, com refeições tradicionais servidas por empregadas com um vestido tradicional e piano ao vivo.

Se quiser provar cozinha polaca a preços baratos (uma grande refeição para uma pessoa por cerca de 8PLN), vá a um 'Bar Mleczny' (uma bar de leite - um tipo de café muito comum nos tempos comunistas, assim chamado porque não serve álcool). Estão a desaparecer rapidamente da cidade, mas pode encontrar um no lado direito da Grodzka (se estiver a vir desde a Rynek Głowny). Oferecem comida polaca clássica como o "kroketka". Recomenda-se que encontre um dicionário português-polaco antes de pedir.

Pierogi.

A Zurek é uma sopa baseada em centeio fermentado - é azeda e cremosa e muitas vezes tem pedaços de salsicha kielbasa ou de ovo cozido. A Barszcz é uma sopa feita com beterraba - muito saborosa. A Chlodnik é outra sopa de beterraba, um refrescante prato de verão servido frio. Usa a beterraba e as suas raízes, e acrescentam pepino, creme amargo e endro para lhe dar sabor. Pierogi são empadas que são enchidas com "ruskie" (com queijo curdo e batata), carne, couve, cogumelos, mirtilos, maçãs, e morangos. O Pierogis de fruta é normalmente servido com creme e açúcar.

Uma das coisas mais divertidas numa viagem à cidade é uma visita à carrinha kielbasa. Basicamente, são dois homens polacos grosseiros que, todas as noites entre as 20h00-3h00, põe uma grelha fora da sua carrinha (estacionada em frente do mercado a este da Cidade Velha perto da ponte do comboio) e grelham kielbasa. Por 7 zł, dão-lhe uma salsicha e um pouco de mostarda para comer debaixo do alpendre e conviver com os locais. é delicioso, especialmente depois de uma noite a explorar os bares da cidade.

Um genuíno restaurante vegetariano é o 'Vega' Vegetarian Bar na Sw. Gertrudy 7, perto do Hotel Monopol. Boa comida, preços razoáveis, mas não há cerveja. O 'Vega' tem também uma loja na Stare Miasto, na Krupnicza. Dentro da Stare Miasto pode encontrar o restaurante vegetariano Greenway na Mikołajska, a este de uma pequena praça do mercado (a Mały Rynek). E finalmente, existe um bar vegetariano, o Glonojad com empregados amigáveis e óptima música. Refeições vegetarianas e óptimas vistas da Praça Matejko.

Em Cracóvia, como em outras cidades polacas existe uma variedade de restaurantes chineses e vietnamitas. Muitos tem empregados polacos que não sabem o que é Pho, nenhum deles serve Pho, e quase nenhum destes serve comida vietnamita e/ou chinesa decente. Tentador, mas é melhor procurar comida polaca.

Beba e saia[editar]

Um café no Planty.

Bar e cafés são uma das maiores atracções de Cracóvia. Não só existem muitos e de qualidade, mas também estão próximos um dos outros. Diz-se que há mais de 300 estabelecimentos de comida e bebida só no centro histórico.

Graças à proximidade dos seus bares, Cracóvia é ideal para praticar maratona de bares. Muitos locais e turistas começam a "festa" na cidade velha e descem-a seguindo o Rio Vístula até ao fim de Kazimierz. A maior parte dos bares estão no centro histórico e em Kazimierz.

Nos meses mais quentes, a vida nocturna da cidade transfere-se para o exterior, para os numerosos cafés, esplanadas e cervejarias. Quando vem o Inverno, transfere-se para o subsolo, para as caves espalhadas um pouco por toda a cidade.

Muitos turistas, da Polónia e outros sítios, nunca saem da Rynek Głowny à noite. Se quiser festejar com turistas, é um óptimo local. Enquanto os turistas se reunem na Rynek, os locais dirigem-se para Kazimierz e novos bares estão a surgir todos os meses. Dirija-se para a Szeroka ou a Plac Nowy, é uma das áreas com mais bares.

Se preferir um café num local calmo, Cracóvia não só está cheia de cafés, como (alegadamente) foi o primeiro local da Europa onde se fundou um café. A maior parte dos cafés oferecem bons expressos e alguma coisa para petiscar a um preço muito razoável.

Durma[editar]

Cracóvia está actualmente a sofrer um boom turístico, com mais 60% de visitantes em 2005 do que em 2003, e a indústria hoteleira está a aumentar os preços, por isso não fique à espera de pagar o mesmo do que alguém que visitou a cidade noutro ano.

Não tente poupar muito dinheiro em alojamento. Se não quer que Cracóvia se torne a sua pior experiência, evite hotéis e motéis no distrito de Nowa Huta; a maior parte deles são antigos abrigos para trabalhadores industriais em part-time e o distrito está muito longe do centro da cidade. Existem vários motéis limpos e confortáveis perto da cidade. O custo de uma cama num dormitório é cerca de 40-60PLN, incluindo pequeno-almoço (pão, compota e queijo), lavagem de roupa, lençóis, cacifos e internet.

Um bom sítio para ficar é uma casa alugada. Existem vários sites que o ajudam a encontrar uma. O preço de um T1 no centro da cidade é o mesmo preço que um quarto num motel cheio de gente, mas num ambiente mais agradável. Existem duas agências em frente da estação de comboios que oferecem quartos e apartamentos.

Pode ver gratuitamente, na internet o Sistema de Reserva de Alojamento Oficial da Cidade de Cracóvia [39]. É um projecto conjunto do Município de Cracóvia [40] e da companhia Reception.pl. O sistema inclui apenas os alojamentos da cidade que são geridos legalmente. Os preços oferecidos pelo Sistema não são mais altos do que os preços pagos directamente ao hotel, e por vezes são até mais baratos. O serviço de cliente multilingue dá assistência dedicada a todos os seus clientes.

Mantenha contato[editar]

Segurança[editar]

Aldrabões[editar]

Como em qualquer outra cidade grande, existem pessoas que querem tirar proveito dos turistas. Golpes conhecidos são, por exemplo, quando duas raparigas levam alguém a um bar, a quem depois são cobrados preços extremos (cerca de 250 Zloty, ou 70 Euros por uma bebida). Existem também taxistas que cobram preços abusivos.

Golpe do bar[editar]

Um dos golpes mais recentes é duas mulheres (podem ser polacas ou estrangeiras, nem sempre atraentes) abordarem um homem na Rynek Główny ou numa das ruas que a rodeiam e perguntarem direcções para uma rua ou praça particular. Se responder "Não sei", elas perguntam se tem um mapa, apresentam-se e dizem: "Junta-se a nós para uma bebida?" Depois, levão-o para uma discoteca ou bar vizinho onde lhe apresentarão uma conta enorme por apenas umas quantas bebidas. Vários bares/discotecas na ul. św. Tomasza, ul. Sławkowska, Floriańska, e św. Marka tem sido ligados a este tipo de golpes, como o Club Saxon e o Hard Candy.

Golpes semelhantes ocorrem com várias formas de abordagem, incluindo meter conversa no McDonald's. Não se esqueça, é legal cobrar preços escandalosos por bebidas. O melhor que tem a fazer é verificar os preços antes de pedir alguma coisa (incluindo o preço das bebidas das raparigas) e estar atento. Se tiver o azar de lhe apresentarem uma conta muito alta, chame a polícia através do 911 ou 112, e assegure-se que o barman o ouve a dizer que vai fazer isso.

Golpe do táxi[editar]

Ao usar um táxi pergunte sempre o preço da viagem antes de partir. Estes golpes são mais vulgares junto da principal estação de comboios, mas acontecem um pouco por toda a cidade. Com táxis normais, os preços estão limitados pela lei, e a lista de preços é facilmente visível. Deve custar cerca de 2,30 PLN por quilómetro, com um preço inicial de 7,00 PLN (1º quilómetro incluído no preço). Companhias de táxis confiáveis e legais incluem: Taxi Barbakan, Taxi Dwójki e Lajkonik.

Saúde[editar]

Cotidiano[editar]

Partir[editar]

Entrada para Auschwitz.
Minas de Wieliczka.
  • Auschwitz-Birkenau - Antigo campo a 2km de distância da cidade de Oświęcim, 65 km de Cracóvia, cujo preso mais famoso é a diarista judia Anne Frank.
  • Wieliczka [41] - Uma cidade conhecida pelas suas antigas minas de sal, actualmente um museu, a 17 km de Cracóvia. Um dos 12 Patrimónios Mundiais originais e um ponto de visita obrigatória. O preço da entrada para as minas (64PLN) é alto comparado com outras atracções turísticas do país.
  • Nowa Huta — Uma cidade estalinista modelo com uma arquitectura neo-renascentista/realista socialista, acessível de eléctrico desde a cidade. Pode também fazer uma visita guiada [42].
  • Bochnia — Mina de sal histórica, mais antiga que a de Wieliczka. A 40km de Cracóvia. Um ponto de visita obrigatório
  • Tarnow — A segunda maior cidade da região com um mercado muito bonito.
  • Nowy Sacz — Uma bela cidade antiga com uma praça do mercado muito bonita.
  • Zakopane — 100km a sul nas Montanhas de Tatra, é considerada a capital dos desportos de inverno no país. Outros centros de desportos de inverno perto da cidade são Szczyrk, Zywiec, Zawoja, Korbielow, Bukowina Tatrzanska, Bialka Tatrzanska, Rabka, Szczawnica, Wisla, Koniakow e Ustron.
  • Czestochowa - 80km a norte da cidade está o mais importante ponto de peregrinação na Europa Central.
  • Wadowice - 40km a sudoeste fica a terra natal de Karol Wojtyla, mais conhecido por João Paulo II.
  • Perto da cidade ficam os magníficos castelos renascentistas em Pieskowa Skala, Nowy Wisnicz, Niepolomice, Sucha Beskidzka e Niedzica.
  • Mosteiros perto de Cracóvia são os de Tyniec e Kalwaria Zebrzydowska.
  • Termas perto da cidade são os de Krynica, Muszyna, Busko Zdroj, e Piwniczna.


Este artigo é um guia. Ele tem muita informação, incluindo listas de hotéis, restaurantes, atracções e informação sobre chegada e partida. Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!


Variantes

Ações

Docentes do destino

Noutras línguas

outros sites