Contribua para um artigo e ajude o wikitravel a crescer! Aprenda como.

Costa do Marfim

Da Wikitravel
África Ocidental : Costa do Marfim
Ir para: navegação, pesquisa
noframe
Localização
noframe
Bandeira
Iv-flag.png
Informações Básicas
Capital Yamoussoukro, no entanto Abidjan permanece o seu centro administrativo.
Governo República presidencialista
Moeda Franco CAF (XOF)
Área 322.460 km2
População 17.654.843 (est. julho 2006)
Idioma Francês (oficial), 60 dialectos indígenas, sendo o Dioula o mais falado
Religião Cristãos (20-30%), muçulmanos (35-40%), crenças indígenas (25-40%)
Eletricidade 220V/50Hz
Código telefônico +225
Internet TLD .ci

Costa do Marfim é um país da África Ocidental.

Travel Warning ALERTA: A Costa do Marfim está a passar por um período de instabilidade política e violência, e seria melhor evitar viagens desnecessárias ao país nesta altura.


Entenda[editar]

História[editar]

As populações indígenas estiveram política e socialmente isoladas até épocas muito recentes. Os antecessores da população atual se instalaram na área entre os séculos XVIII e XIX. Os exploradores portugueses chegaram no século XV e iniciaram o comércio de marfim e escravos do litoral. No século XVII estabeleceram-se diferentes Estados negros, entre os quais se destacou o dos baules por suas atividades artísticas. No final do século, os franceses fundaram os entrepostos de Assini e Grand-Bassam e, no século XIX, celebraram uma política de pactos com os chefes locais com o objetivo de estabelecer uma colônia. Em 1887 iniciou-se a penetração para o interior. A região se tornou uma colônia autônoma em 1893. Em 1899, passou a fazer parte da Federação da África Ocidental Francesa. A ocupação militar ocorreu entre 1908 e 1918, enquanto se construía a linha férrea entre o litoral e Bobo-Dioulasso, hoje pertencente a Burkina Faso.

Em 1919, a parte norte da colônia se tornou independente. Abidjan permaneceu sob jurisdição francesa durante a Segunda Guerra Mundial, embora a França estivesse ocupada pelos alemães. Em 1944, foi criado o Sindicato Agrícola Africano, que deu origem ao Partido Democrático da Costa do Marfim (Parti Démocratique de la Côte d'Ivoire). Entre 1950 e 1954, foi construído seu porto. Em 1958, foi proclamada a República da Costa do Marfim, como república autônoma dentro da Communauté française (Comunidade Francesa) e, em 1960, alcançou a independência plena.

Foi eleito presidente Félix Houphouët-Boigny, líder do Parti Démocratique de la Côte d'Ivoire--Rassemblement Démocratique Africain, até 1990 foi a única agremiação política legal no país. Com um alinhamento político pró-ocidental, a Costa do Marfim esteve em foco na década de 1970, ao tentar intervir pela via das negociações na resolução do apartheid na África do Sul.

As eleições de 1990, a primeira em que houve uma disputa real pelo poder, foram disputadas por todos os partidos políticos já legalizados, tendo o presidente Houphouët-Boigny sido reeleito para um sétimo mandato. Também em 1990 o Papa João Paulo II visitou a Costa do Marfim, onde consagrou, em Yamoussoukro, uma suntuosa basílica, oficialmente construída às expensas do presidente. Houphouët-Boigny, apesar de numerosas tentativas de golpes de estado e da instabilidade social provocada por crises econômicas, manteve-se no poder desde a independência até dezembro de 1993, quando faleceu.

O antigo presidente da Assembléia Nacional (Parlamento), Henri Konan Bedié, assumiu a presidência da República em 1993 e foi confirmado no cargo em 1995. No dia 24 de dezembro de 1999, um golpe de Estado, comandado pelo general Robert Guel (Robert Guéï), destituiu o presidente Konan Bedié, que se refugiou na Embaixada da França e depois no Togo. O general Guel convocou todos os partidos políticos para formarem um governo de transição e prometeu que o retorno à democracia seria rápido. Esse foi o primeiro golpe de estado no país desde a sua independência em 1960.

Robert Guéï foi assassinado durante um levantamento encabeçado pelo Movimento Patriótico da Costa do Marfim em 2002. Foi sucedido por Laurent Gbagbo.

A Costa do Marfim desempenha importante papel na África e dentro da Entente.

Guerra civil da Costa do Marfim (2002-2004): O norte se rebelou. 10.000 boinas azuis da ONUCM (Força de Paz da ONU na Costa do Marfim), dentre os quais 4600 soldados franceses da Licorne (operação militar francesa para a Costa do Marfim) foram posicionadas entre os beligerantes.

Clima[editar]

A região tem um clima tropical ao longo da costa, e semiárido no norte do país. Duas estações: quente e seco (Novembro-Maio), quente e húmido (Junho a Outubro). Durante a estação das chuvas, as inundações são possíveis.


DADOS PRINCIPAIS: Nome oficial: República da Costa do Marfim (République de Côte-d'Ivoire). Nacionalidade: marfinense. Data nacional: 7 de dezembro (Independência). Capitais: Abidjan (sede do governo), Yamoussoukro (administrativa). Cidades principais: Abidjan (2.168.000) Bouaké (329.850) Daloa (121.842), Korhogo (109.445), Yamoussoukro (106.786).



Governo: República Presidencialista Divisão administrativa: 19 regiões subdivididas em departamentos.


GEOGRAFIA: Cidades Principais: Yamoussoukro, Abidjan, Bouaké, Daloa e Korhogo Clima: tropical Composição da População: baulenses (23%), betes (18%), senufos (15%), mandingas (11%), outros (33%).

Regiões[editar]

Mapa das regiões da Costa do Marfim
Lagunes (Abidjan)
as lagoas costais ao redor da capital de facto Abidjan
Savana do Norte (Bouaké, Comoe National Park)
área de predominância muçulmana controlada recentemente pelos rebeldes "New Forces"
Florestas do Sudoeste (Taï National Park, Mount Nimba Strict Nature Reserve)
área de floresta tropical, habitada pelo povo Kru, na fronteira com a Libéria
Plantations do Leste (Yamoussoukro)
área parcialmente cultivada entre o Lago de Kossou e a fronteira com Gana








Cidades[editar]

  • Abidjan, a capital de facto do país. Embora Yamoussoukro seja a capital oficial, Abidjan é o centro administrativo do país, e muitos países mantém aí a sua embaixada.
  • Korhogo, o quartel-general dos rebeldes.
  • Aboisso
  • Bouaké, a segunda maior cidade.
  • Dabou
  • San-Pedro, o segundo porto mais importante do país.
  • Yamoussoukro, a capital oficial do país.
  • Grand-Bassam, uma cidade costeira cheia do charme colonial.

Outros destinos[editar]

Patrimônios da Humanidade[editar]

Chegar[editar]

De avião[editar]

Companhias como Airfrance Emirates

De barco[editar]

De carro[editar]

De autocarro/ônibus[editar]

De comboio/trem[editar]

Circular[editar]

De avião[editar]

De barco[editar]

De carro[editar]

De autocarro/ônibus[editar]

De comboio/trem[editar]

Fale[editar]

Compre[editar]

Coma[editar]

Beba e saia[editar]

Durma[editar]

Aprenda[editar]

Trabalhe[editar]

Segurança[editar]

ATENÇÃO: A Costa do Marfim está a passar por um período de instabilidade política e violência, e seria melhor evitar viagens desnecessárias ao país nesta altura.

Saúde[editar]

Respeite[editar]

Mantenha contato[editar]


Variantes

Ações

Docentes do destino

Noutras línguas

outros sites