Contribua para um artigo e ajude o wikitravel a crescer! Aprenda como.

Chaves

Da Wikitravel
Ir para: navegação, pesquisa
Chaves - Ponte Trajano
Chaves [1] é uma cidade de Portugal. É uma cidade termal, muito turística, com magníficos monumentos, muitos deles com mais de 300 anos.

Entenda[editar]

Chaves é uma cidade portuguesa no Distrito de Vila Real, Região Norte e sub-região do Alto Trás-os-Montes, com cerca de 19 300 habitantes.

É sede de um município com 590,42 km² de área e 44 186 habitantes (2006), subdividido em 51 freguesias. O município é limitado a norte pela Espanha, leste pelo município de Vinhais, a sueste por Valpaços, a sudoeste por Vila Pouca de Aguiar e a oeste por Boticas e Montalegre.

História[editar]

Chaves já era habitada antes da época do Império Romano, desde a pré-história. Há cerca de dois milénios os romanos ocuparam o local, construíram monumentos como a ponte de Trajano e puseram o nome Aquæ Flaviæ à cidade. Mais tarde os Suevos, Visigodos e Alanos, provenientes do leste europeu, puseram fim à ocupação romana. Com os árabes, também o islamismo invadiu o espaço outrora ocupado pelo cristianismo. Chaves foi reconquistada mais tarde, no século IX por D. Afonso, rei de Leão. Mas, em princípios do século X Chaves foi conquistada novamente pelos mouros, até que, no século XI, D. Afonso III, rei de Leão, a resgatou, mandou reconstruir, povoar e cercar novamente de muralhas.

Por volta de 1160 que Chaves integra Portugal. Pela sua situação fronteiriça, Chaves era vulnerável ao ataque de invasores e como medida de protecção D. Dinis mandou levantar o castelo e as muralhas que ainda hoje dominam grande parte da cidade e a sua periferia.

A 12 de Março de 1929 Chaves foi elevada à categoria de cidade.

Chegar[editar]

De avião[editar]

  • Chaves dista de Vila Real apenas 50 Km por autoestrada e têm voos regulares nacionais diáriamente. Chaves possui também um aerodromo com voos essencialmente de recreio ou particulares.

De barco[editar]

  • Pode usufruir de belos passeios pelo rio Tâmega em barco a remos alugados junto à Ponte Romana.

De combóio[editar]

Não há linha de comboio até Chaves

De autocarro[editar]

Desde Porto e Lisboa:

AutoViação do Tamega: www.avtamega.pt

Rodonorte: www.rodonorte.pt

De automóvel[editar]

Pela N2 desde Vila Real. Pode também usar a A24 ou a A7.

Veja[editar]

  • Biblioteca (Largo de Camões - Chaves)
  • Museu da região Flaviense (Paço dos Duques de Bragança - Chaves) - Tem grandes colecções de arqueologia do período romano, bem como alguma etnografia da região.
  • Castelo de Chaves - Da bem-conservada Torre de Menagem tem-se uma magnífica vista de Chaves e das terras circundantes. Parte da muralha do castelo subsistiu também. No meio há um belo jardim onde são expostas algumas peças do museu militar instalado na torre.
  • Museu Militar
  • Termas de Chaves (Largo Flávio Vespasiano - Chaves) - São mundialmente famosas e pelo menos tão velhas como a ocupação romana. As águas bicabornatadas, sódicas e hipertermais saem a 73º C, sendo das mais quentes da Europa.
  • Ponte Romana ou de Trajano - Construída entre o século I e II d.C., tem doze arcos visíveis e quatro soterrados pelos aluviões. É feita de granito e é um Monumento Nacional.
  • Capela de Nossa Senhora de Loreto ou Capela da Santa Cabeça (Praça de Camões - Chaves) - Junto da Câmara Municipal de Chaves, tem uma fachada de granito e altas pilastras. É encimada por um frontão curvo. Construída em 1696, diz a tradição que aqui está sepultado o Mártir São Bonifácio.
  • Igreja da Misericórdia (Praça Caetano Ferreira - Chaves) - É por muitos considerada a mais bonita igreja da cidade. Tem fachada barroca do século XVII com plintos e capitéis muito trabalhados. O interior de uma só nave apresenta paredes revestidas por painéis de azulejos e motivos bíblicos.
  • Igreja Matriz (Praça de Camões - Chaves) - É um templo românico, alterado no século XVI e tendo, portanto, características renascentistas.
  • Igreja da Madalena ou Igreja de São João de Deus (Rua São João de Deus - Chaves) - Fica na margem esquerda do Tâmega. Remonta ao século XVIII, sendo o estilo dominante o renascentista eo barroco. Devido à sua cúpula, é facilmente reconhecida de longe. O interior é de uma só nave, sendo a planta octogonal.
  • Forte de São Francisco (Alto da Pedisqueira - Chaves) - Construído entre 1658 e 1662, tem uma planta quadrangular. No interior manteve-se a igreja de S. Francisco. Actualmente é um hotel.
  • Forte de São Neutel - Apresenta uma estrutura semelhante à do Forte de São Francisco. Tem uma muralha exterior. Isto deve-se ao forte não estar ligado ao sistema defensivo de Chaves. As muralhas são espessas e tem 10 metros de altura. Dentro do forte mantem-se a Capela de Nossa Senhora das Brotas.

Faça[editar]

  • Um percurso pelo rio Tâmega em barcos a remos
  • Beba água nas Termas de Chaves
  • Visite o centro histórico e as recentes descobertas arqueológicas em plena cidade.

Aprenda[editar]

Trabalhe[editar]

Compre[editar]

  • Rua Direita - Tem muitas lojas de comércio tradicional.

Coma[editar]

Gastronomia de Chaves[editar]

Económico[editar]

Dos pratos típicos de Chaves e Alto Tâmega encontramos, o famoso presunto de Chaves e Barroso, o salpicão, as linguiças, as alheiras, a posta barrosã, o cabrito assado ou estufado, o cozido à transmontana, a feijoada à transmontana, os milhos à romana, as trutas recheadas com o saboroso presunto, os Pasteis de Chaves e o Folar, especialidade de massa fofa com carne de porco, presunto, salpicão e linguiça. Outra especialidade é o Pão de centeio, o mel e o seu vinho apaladado..

Esbanje[editar]

Secos e curados ao fumo das lareiras, tanto o presunto como os enchidos adquirem assim o seu inconfundível sabor, na confecção do Folar de Chaves, bem como dos Pastéis de Chaves. Os pratos de peixe mais típicos são do rio Tâmega, nomeadamente as trutas que são recheadas com presunto local. Destacamos também o cabrito estufado, bem como a feijoada e o incomparável cozido à transmontana, os famosos milhos e as típicas rabanadas.

Restaurantes[editar]

Económico[editar]

Médio[editar]

  • A Talha (Rua Comendador Pereira da Silva, 6 - Chaves) - Tel.: (+351) 276 342 191
  • Adega do Faustino (Travessa do Olival - Chaves) - Tel.: (+351) 276 322 142

Esbanje[editar]

Beba e saia[editar]

Durma[editar]

Económico[editar]

Médio[editar]

  • Hotel Aquae Flaviae, Praça do Brasil, Chaves, (+351) 276 309 000 (fax: (+351) 276 309 010), [2].  editar
  • Hotel Forte de São Francisco, Forte de S. Francisco, Chaves, (+351) 276 333 700 (fax: (+351) 276 333 701), [3].  editar

Esbanje[editar]

Mantenha contacto[editar]

O código para a área de Chaves é 276.

Segurança[editar]

Saúde[editar]

Para além de um moderno Hospital Chaves possui serviço de urgência 24 horas, e de emergência médica prestada pelos Bombeiros e INEM. Possui médicos e especialistas em todas as áreas da medicina, farmácias de serviço, tudo no centro da cidade. Uma moderna estância balnear que é O SPA do Imperador no Jardim do tabolado (Caldas) onde pode beneficiar das propriedades terapêuticas da água e da hidromassagem bem como dos especialistas.


Quotidiano[editar]

Partir[editar]

Mosteiro de São Miguel de Refojos de Basto.
  • Alturas do Barroso - Típica aldeia na serra do Barroso, com um pequeno museu rural e uma curiosa igreja matriz.
  • Pitões das Júnias - Aldeia tradicional, na borda do Parque Nacional da Peneda-Gerês, onde predominam as casas de granito, cobertas de madeira e colmo
    • Mosteiro de Santa Maria das Júnias - Estabelecido pelos monges de Císter, num local de difícil acesso, restam apenas a igreja românica e vestígios do claustro.
  • Mosteiro de São Miguel de Refojos de Basto - Mosteiro do século XVIII da autoria do arquitecto André Soares. A fachada da igreja distingue-se pelas suas enormes dimensões, dos lados direito e esquerdo estão colocadas as estátuas em tamanho natural do fundador da Ordem de São Bento – São Bento de Núrcia, e de Santa Escolástica. Fica nas proximidades de Cabeceiras de Basto.
  • Castelo de Monforte do Rio Livre - Reconstruído por D. Afonso Henriques, quando este o reconquistou dos mouros em 1139, apenas resta deste castelo a muralha, a torre de menagem e as ruínas da alcáçova.
Mosteiro de Santa Maria das Júnias.
  • Castelo de Santo Estêvão - Castelo medieval do século XIII, perto de Santo Estêvão. Sobrevive ainda a torre, de forma quadrangular e dois pisos (para além do rés-do-chão).
  • Castelo de Montalegre
  • Igreja de São Julião de Montenegro - Igreja românica nas proximidades de Chaves, em cujo interior se podem ver três marcos miliários romanos e frescos setecentistas.
  • Igreja de Santa Leocádia - Igreja românica, com pinturas extremamente antigas a fresco, por trás do altar-mor.
  • Igreja de São Nicolau - Fica em Carrazeda de Montenegro, tem uma majestosa fachada com três andares e duas torres sineiras (século XVIII).
  • Castro de Carvalhelhos - Povoado pré-romano, do qual apenas resta um conjunto de muralhas e fossos concêntricos, bem como restos de casas primitivas. Localiza-se no topo de um cabeço com 870 metros de altitude.

Termas[editar]

  • Termas de Chaves [4]
  • Termas de Carvalhelhos
  • Termas de Vidago (Parque Pedras Salgadas - Vidago; tel.: (+351) 276 990 900; fax: (+351) 276 907 359) [5]
  • Termas de Pedras Salgadas (Parque de Pedras Salgadas - Pedras Salgadas; tel.: (+351) 259 437 140; fax: (+351) 259 437 141) [6]
Este artigo é usável. Ele contém informações sobre como chegar e algumas indicações completas de restaurantes e hotéis. Uma pessoa mais corajosa poderia utilizá-lo para viajar, mas por favor mergulhe fundo e ajude-o a crescer!


Variantes

Ações

Docentes do destino

Noutras línguas

outros sites