Contribua para um artigo e ajude o wikitravel a crescer! Aprenda como.

Chartres

Da Wikitravel
Europa : França : Centro : Chartres
Ir para: navegação, pesquisa
Vista da cidade de Chartres com a catedral.

Chartres [1] é uma pequena cidade no Centro de França. Ponto de partida para as visitas aos Châteaux do Vale do Loire, Chartres é mundialmente conhecida pela sua Catedral, o primeiro dos 35 Patrimónios Mundiais da UNESCO na França; no entanto, se sair do roteiro turístico e explorar as ruelas do centro histórico encontrará igrejas cheias de charme e pitorescas vielas medievais. O Festival de Luz e a localização no coração do Vale da Cosmética deram a Chartres o título de "Capital da Luz e do Perfume".

Entenda[editar]

"[Quando vou a Chartres] estou de volta à Idade Média. Estou de volta ao mundo em que fui criado, na infância, o mundo com a imagem espiritual do catolicismo romano, e isto é magnífico. (...) A catedral fala-me a respeito da estrutura espiritual do mundo. É um lugar de meditação, é só caminhar ao redor, é só ficar sentado, é só olhar para todas aquelas belezas." – Joseph Campbell em O Poder do Mito


noframe

Veja o estado do tempo em Chartres nos próximos dias: msnMeteorologia.

A cidade de Chartres situa-se a sudeste de Paris e tem uma população de 42 000 habitantes, ou 100 000 se considerar as aldeias e vilas vizinhas. Nos últimos anos, coma eleição de um novo presidente da câmara, Chartes tem vindo a sofrer uma modernização do centro da cidade. Isto provocou tanto reacções positivas como negativas por parte dos locais, mas a cidade está sem dúvida a sofrer um certo rejuvenescimento.

História[editar]

Rosácea na Catedral.

Chartres era uma das principais cidades dos carnutos, e era chamada Autricum pelos romanos (palavra derivada do nome do rio Autura, o actual Eure), e mais tarde civitas Carnutum. O nome de "Chartres" deriva de "Carnutos". Foi incendiada pelos normandos em 858, e cercada (sem sucesso) por eles em 911.

Durante a Idade Média era a capital da região de Beauce, e deu o seu nome a um condado governado pelos Condes de Blois e Champagne e mais tarde pela casa de Châtillon, que em 1286 vendeu o condado à coroa. Foi elevado a ducado em 1528 por Francisco I. Após o reinado de Luís XIV o título de duque de Chartres foi entregado à família de Orleães.

Em 1417 a cidade caiu nas mãos dos ingleses, e recuperada em 1432. Durante as Guerras religiosas francesas, foi atacada pelos Protestantes em 1568 (sem sucesso), e foi tomada em 1591 por Henrique IV, que aí foi coroado três anos depois.

Na Guerra Franco-Prussiana foi tomada pelos alemães em 2 de Outubro de 1870, e continuou a ser um importante centro de operações durante o resto da guerra.

A cidade foi bombardeada e sofreu grandes danos na II Guerra Mundial, mas a catedral foi poupada.

Após missões de reconhecimento na região realizadas pelo 3º Regimento de Cavalaria Armada e por unidades do Grupo de Engenharia Militar, e após grandes batalhas dentro e nos arredores da cidade, Chartres foi libertada, em 18 de Agosto de 1944, pela 5ª Divisão de Infantaria e pela 7ª Divisão Blindada, pertencente ao Corpo XX do 3º Exército dos Estados Unidos comandado pelo General George S. Patton.

Peregrinações[editar]

Peregrinos percorrem o labirinto na Catedral de Chartres.

Chartres é local de peregrinação para os cristãos desde a Idade Média, devido à Sancta Camisa, que se crê ser a túnica que a Virgem Maria vestia enquanto estava a dar à luz. O poeta Charles Péguy (1873–1914) percorreu a rota de peregrinação entre Paris e Chartres antes da I Guerra Mundial. Após a guerra alguns alunos fizeram a peregrinação em sua memória. Desde os anos 80, a Associação de Notre-Dame de Chrétienté [2], com escritórios em Versalhes, tem vindo a organizar uma peregrinação anual de 100 km, a pé, desde a Catedral de Notre Dame de Paris à Catedral de Notre-Dame de Chartres. Cerca de 15 000 peregrinos, principalmente famílias jovens de toda a França, participam todos os anos. É uma maneira diferente e interessante de chegar a Chartres, se estiver disposto a percorrer os 100 km a pé.

Chegar[editar]

A pé[editar]

Ver a secção Peregrinações acima.

De carro[editar]

A A11 perto de Chartres.

Desde o centro de Paris, apanhe a A10, depois a A11 - uma distância de 91 km. É também possível apanhar a A13 (em direcção de Ruão) e depois no Triangle de Rocqencourt diriga-se para sul na A12 até Trappes e a RN10. A RN10 é a estrada "velha" de Paris a Chartres (e daí para outras cidades) e não há portagem. A maior parte da estrada tem duas vias, embora existam algumas secções com três. Normalmente não demora mais tempo do que pela auto-estrada.

De táxi, a viagem custa cerca de 200€ desde o Aeroporto de Charles de Gaulle (Paris).

Se quiser, é possível alugar um carro num dos aeroportos de Paris e conduzir até Chartres. Em 2010 a Hertz [3] tinha uma promoção em alugueres de 3, 6 ou 9 horas. É possível receber o carro no aeroporto e deixá-lo em Chartres. A viagem faz-se em três horas. O custo de um pequeno carro é de aproximadamente 45 euros (120 km). Se quiser fazer um desvio, um aluguer de seis horas (200 km) custa cerca de 60-70 euros.

De comboio/trem[editar]

Existem vários comboios directos de e para a Gare de Montparnasse em Paris. A viagem até Chartres demora em média uma hora para cada lado e custa €36,20 em 1ª classe ou €24,20 em 2ª classe. Os preços variam dependendo de quando comprou o seu bilhete - quando são comprados à última da hora custam mais. Tente apanhar um dos comboios de dois andares da TER se possível, porque são mais confortáveis e tem melhores vistas da encantadora paisagem rural.

A estação da SNCF de Chartres tem um bom quiosque, e algumas vezes está aberto um pequeno café. As casas-de-banho da estação nem sempre estão abertas, mas pode encontrá-las em outros locais na cidade.

Existem alguns comboios "directos", mas a maior parte destes estão normalmente a abarrotar de gente e os bilhetes tem preços altíssimos. A maior parte dos comboios vem directamente de Paris a Rambouillet e daí para em todas as estações até Chartres. Um comboio desses demora 1 hora e 15 minutos a completar a viagem. Alguns comboios param apenas em Épernon e Maintenon (o pequeno château no centro da cidade merece uma visita) e estes fazem a viagem em 1 hora. Todos os comboios de Paris a Chartres (e daí para Nogent le Rotrou e Le Mans) são TER (Transport Express Régional). O mais frequente é apanharem a linha "Paris - Chartres - Nogent le Rotrou - Le Mans". Na frente do comboio pode dizer "Chartres", "Nogent le Rotrou".

Se estiver em França durante um longo período de tempo, pode ser boa ideia comprar um Cartão de Lealdade da SNCF [4]. Para pessoas com 25 ou menos existe "La carte 12-25" que permite poupar 75% em bilhetes. Estão também disponíveis cartões para idosos e passes especiais de férias. No entanto, só vale a pena comprar estes cartões se viajar muito por França.

Circule[editar]

De autocarro/ônibus[editar]

Um dos "autocarros" da Filibus.

Vários autocarros da Filibus [5] percorrem a cidade. Pode encontrar um escritório da Filibus na Boulevard de la Résistance, 2 bis. O telefone é o 02 37 36 26 98. Pode ver mapas e horários de cada uma das doze linhas de autocarro aqui [6].

A pé e de bicicleta[editar]

A cidade não é muito grande, e é fácil circular a pé, já que todas as atracções estão próximas umas das outras. Se preferir, a cidade também é muito acessível para ciclistas. Pode ver um mapa completo das ciclovias na cidade aqui [7].

De carro[editar]

Circular na cidade é relativamente fácil, com pouco trânsito e vários parques de estacionamento.

Existem alguns locais onde pode alugar carros:

  • Opinion, Rua Charles Coulombs, 9, 0 820 05 05 05.  editar
  • Hertz France, Boulevard de Courtille, 40, 02 37 28 66 06, [8].  editar

De comboio/trem[editar]

A bordo do pequeno comboio da cidade, pode relaxar e aprender sobre a história da cidade velha. Nele faz uma viagem através das ruas pitorescas e tradicionais à beira-rio. Uma maneira relaxante de admirar as jóias arquitectónicas religiosas da cidade, como a Igreja de S. André e a Igreja de S. Pierre. Pode ver o percurso do comboio no site. +33 (0)6 80 73 10 05 (, fax: +33 (0)9 70 62 82 65), [9]. 6€ (crianças (3-14 anos): 3€).

Veja[editar]

Fachada oeste de Catedral.

Catedrais e Igrejas[editar]

Interior da Igreja de S. Aignan.
Igreja de S. André.
  • Catedral de Chartres (Cathédrale de Notre-Dame de Chartres), Cloitre Notre-Dame, 16, 06 82 28 63 61 (, fax: 02 37 36 04 63), [10]. Todos os dias 8h30-19h30 (O labirinto só está desimpedido às Sextas. Visitas à cripta só com visita guiada; não existem visitas guiadas aos Domingos e fins-de-semana. Última subida à torre às 17h30.). Com as suas torres destacando-se no horizonte, desde a sua construção que a Catedral de Chartres é um grande local de peregrinação. É sem dúvida a atracção mais popular da região e uma das mais conhecidas catedrais de França, a seguir da Notre-Dame de Paris. Teve a sua construção iniciada em 1145 e foi reconstruída após um incêndio de 1194, marcando o zénite da arte gótica na França. A sua imponente visão, grandiosa e magnífica, deslumbra todos os visitantes, mas o que realmente a torna famosa são os seus 2600 m2 (5000 figuras) de maravilhosos vitrais, um dos mais importantes conjuntos do século XIII, representando várias cenas da Bíblia. Outra grande atracção é o labirinto circular, um dos poucos labirintos medievais que permanecem até hoje, feito de calcário branco e preto. Este simboliza uma peregrinação simbólica à Terra Santa. Um pedaço da Sancta Camisa (ver secção Peregrinações) está exposto na Capela de Vendôme. A catedral tem nove portais finamente esculpidos (4000 estátuas) e é parte da Lista de Património Mundial da UNESCO. Não se esqueça de subir ao topo de uma das torres e desfrutar da maravilhosa vista da cidade e dos campos que a rodeiam. Grátis.  editar
  • Cripta da Catedral (Crypte de la Cathédrale), Catedral de Chartres. No século XII, após um fogo, o Bispo Fulbert construiu um edifício de extraordinárias dimensões para essa altura. Esta catedral, que repousa hoje em cima da cripta, possui a maior cripta da Europa a seguir das da Basílica de São Pedro (Roma) e da Catedral da Cantuária.  editar
  • Igreja de S. Aignan (Église Saint-Aignan), Place Saint Aignan (a pouca distância da Igreja de S. Pierre). Recebendo o seu nome de St. Aignan, bispo de Chartres, tem origem medieval, apesar de ter sido na sua maior parte reconstruída no século XVI. A igreja ainda tem elementos góticos, como portal principal do século XIV, mas é na sua maior parte renascentista. Tem uma torreta ligada ao edifício principal por uma arcobotante. É uma igreja muito bonita que muitas vezes os visitantes passam ao lado; fica espectacular durante o Festival Chartres en lumières. Grátis.  editar
  • Igreja de S. Pierre (Église Saint-Pierre), Place Saint-Pierre. Esta antiga abadia(séculos XI-XIII) é uma das mais belas obras góticas da região. Extremamente bem preservada, os seus vitrais do século XIV iluminam o interior e fazem deste um dos mais impressionantes edifícios da cidade. Grátis.  editar
  • Igreja de S. Brice (Église Saint-Brice), Place Saint-Brice. A antiga Igreja Monástica de Saint-Martin-au-Val (séculos XII e XII). O seu coro elevado cobre uma cripta (com quatro túmulos de bispos de Chartres que morreram no século VI). Em Novembro de 2010 a igreja estava fechada para renovação. Grátis.  editar
  • Igreja de S. André (Église Saint-André), Rue Saint-André. Datando (na sua maior parte) do século XII, esta colegiada foi convertida num centro de exposições. Acessível para pessoas em cadeira-de-rodas. Grátis.  editar
  • Igreja de São João Baptista (Église Saint-Jean-Baptiste de Rechèvres), Rue de la Paix, Rechèvres. Situada no bairro de Rechèvres a noroeste do centro, esta moderna igreja inclui vitrais modernos criados por Max Ingrand. O padre alemão Franz Stock está enterrado aqui. Escolhido capelão das prisões parisienses em 1940, em 1945 ele geria o Séminaire des Barbelés, perto de Chartres, uma casa para os prisioneiros de guerra alemães que se preparavam para tornar padres. Acessível de cadeira-de-rodas. Grátis.  editar

Museus[editar]

A Noite dos Museus no COMPA.
  • Centro Internacional do Vitral (Le Centre International du Vitrail), Rue du Cardinal Pie (a 50 metros da Catedral), +33 (0)2 37 21 65 72 (fax: +33(0)2 37 36 15 34), [11]. A apenas 50m da Catedral, este Centro único, na antiga Grange aux Dîmes - um armazém medieval - foi fundado em 1980. Aqui pode descobrir os segredos da arte do vitral, tanto contemporâneo como antigo, e oferece cursos introdutórios para crianças e adultos, palestras e um workshop aberto ao público. As complexas e fascinantes técnicas desta arte tornam-se acessíveis para todos. Todas as fases envolvidas na criação de vitrais são explicadas numa maneira compreensiva e interessante, ilustrando uma arte que ainda hoje continua muito viva em Chartres. Uma descoberta imperdível sobre os artesãos do vitral, desde a Idade Média até aos dias de hoje. Acessível para pessoas em cadeira-de-rodas. 4€ pela entrada.  editar
  • Museu Agrícola (COMPA) (Conservatoire du Machinisme et des Pratiques Agricoles), Rue de la Republique, 1, Mainvilliers, +33 (0)2 37 84 15 00 (fax: +33 2 37 36 55 58), [12]. Terça-Sexta 9h00-12h30, 13h30-18h00. Sábados, Domingos e feriados: 10h00-12h30, 13h30-19h. (Fechado às segundas e em 1 de Janeiro, 1 de Maio, 1 de Novembro e 25 de Dezembro). Este é o maior museu em França dedicado à agricultura. Neste museu, cujo nome completo em português é Conservatório de Maquinaria e Práticas Agrícolas, pode ver ferramentas e maquinaria (semeadoras, ceifeiras-debulhadoras) numa enorme sala, bem como uma exposição muito boa sobre as mudanças no mundo rural, e alguns dioramas sobre o progresso agrícola através dos séculos e dos continentes. A visita a este fascinante museu termina com uma exposição de motores de tracção. 3,80€ (Grátis para crianças com menos de 6. 1,50€ para possuidores de um Cartão de Lealdade e crianças dos 6 aos 18).  editar
  • Museu de Belas Artes (Musée des Beaux-Arts), Cloître Notre-Dame, 29, +33(0)2 37 90 45 80 (, fax: +33(0)2 37 90 45 90). Situado no antigo palácio do bispo, contém uma rica colecção de arte moderna e antiga, incluindo trabalhos de Zurbaran, Chardin, Vlaminck e Soutine, uma colecção de arte oceânica e um conjunto de cravos dos séculos XVII e XVIII. 3,10€ (+2€ pelas exposições temporárias) (Grátis para estudantes e crianças com menos de 18€. Pode comprar um bilhete combinado para o museu e a Maison Picassiette por 7€).  editar
  • Museu de História Natural e da Pré-história (Muséum de sciences naturelles et de la préhistoire), Boulevard de la Courtille, 5 bis (perto do cinema). Colecções de zoologia (mais de 200 espécimenes), botânica, geologia local, mineralogia, paleontologia, pré-história local e entomologia. Grátis.  editar

Outros[editar]

Maison du Saumon.
  • Maison du Saumon, Place de la Poissonnerie (perto da catedral). Uma das mais belas casas da cidade pode ser encontrada na Place de la Poissonnerie, a uma pequena distância da Catedral. É conhecida como Maison du Saumon (Casa do Salmão). Foi construída em inícios do século XVI e é embelezada por várias esculturas de madeira.  editar
  • Maison Picassiette, Rue du Repos, 22 (por trás do cemitério), +33(0)2 37 34 10 78 (Se estiver fechada ligue para o Museu de Belas Artes, , fax: +33(0)2 37 90 45 90). Extraordinário exemplo de arte naïf, esta casa – um estranho, colorido e cintilante mosaico – foi completamente decorada – por dentro e por fora - pelo seu dono, Raymond Isidore, com mosaicos feitos de pedaços de louça partida, porcelana e barro. Raymond Isidore tinha a alcunha de Picassiette, que pode significar "ladrão de pratos" ou "Picasso dos pratos". É difícil imaginar a gigantesca quantidade de pratos partidos, cacos e vidros que precisou para completar a sua obra prima. Raymond Isidore começou a criação desta cintilante obra de arte em 1938, trabalho que continuaria durante 25 anos, nos quais Isidore decorou não só as paredes da sua casa, mas também o chão o tecto e toda a mobília e decoração interior. Acessível para pessoas de cadeira-de-rodas. 5,10€ (Grátis para estudantes e menores de 18 anos. Pode comprar um bilhete combinado para o Museu de Belas Artes e a Maison Picassiette por 7€).  editar
  • Frescos do bairro de Bel Air. No seguimento de uma ideia da Cidade de Chartres e da Chartres habitat [13], uma sociedade cooperativa de muralistas, a Cité Création [14], iniciou a criação de quatro enormes frescos no bairro de Bel Air district. Quatro edifícios com uma superfície lateral de mais de 4000 m² perderam o seu aspecto acinzentado e estão agora cintilantes de cor, com vários “Trompe-l'œil” nas suas fachadas.  editar

Faça[editar]

Actividades[editar]

Uma corrida no hipódromo de Chartres.
  • Andar de barco no Eure, La Petite Venise, Boulevard de la Courtille, 48 ter, +33 (0)2 37 91 03 65 (fax: +33 (0)2 37 91 03 65). De Abril a Outubro: Quartas, Sábados, Domingos e Feriados 10h30-20h00. Julho e Agosto: Todos os dias 10h30-20h00. Relaxe no meio do rio Eure, passeando através de uma paisagem verdejante, perto da catedral e do centro da cidade, com um pequeno barco ou uma gaivota da La Petite Venise. Barco para três pessoas: 6,50€ por ½ hora. Gaivota (pedalinho em português brasileiro) para 3 pessoas: 7,70€ por ½ hora.  editar
  • Corridas de cavalos no Hipódromo (Hippodrome de Chartres), Rue Jean Monnet, 12, 02 37 34 93 73 (, fax: 02 37 90 80 25), [15]. Um desporto popular na região. É o maior hipódromo do Centre francês (e o único de primeira classe), uma vez que é o que tem maior número de espectadores. Muitas actividades para crianças. 5€ (Grátis para menores de 18 anos).  editar

Chartres vista do céu[editar]

  • De balão (Air Magic Montgolfières), +33 (0)6 11 48 78 43, [16]. Uma excelente maneira de ver a cidade e a região é a bordo de um balão de ar quente, uma viagem inesquecível pelo Vale do Eure, pelo aqueduto de Maintenon e pelo Château de Maintenon. Uma experiência maravilhosa se nunca andou de balão. (99€ para crianças. Tem desconto se reservar junto do Bureau de Convenções e Visitantes de Chartres (+33 (0)6 11 48 78 43), tendo que pagar apenas 130€).  editar
  • De planador, Place de la Cathédrale (Bureau de Convenções e Visitantes de Chartres), 02 37 18 26 26. Outra maneira fantástica de descobrir a cidade. Tem que ter 13 anos ou mais. 190€.  editar

Eventos[editar]

A Catedral durante o Chartres en Lumières.
  • Luzes de Chartres (Chartres en Lumières), +33(0)2 37 18 26 26, [17]. Abril-Setembro. Todos os anos e todas as noites de Abril a Setembro, o património de Chartres ganha um brilho especial: a catedral, o Hotel Montescot, a Place Marceau, a Place do Cygne, os Jardins do Palácio do Bispo, a Igreja de S. André, entre outros, aparecem em brilhantes cores e ganham renovada beleza.  editar
  • Festival de Artesanato (Artisanales de Chartres), +33 (0)2 37 91 57 00, [18]. De 8 a 11 de Outubro de 2010. Durante 4 dias, 500 artesãos apresentam o seu trabalho e os seus conhecimentos e criações. Um evento único em França com muitas demonstrações e entretimentos. €7 (Grátis para deficientes e menores de 16 anos).  editar
  • Semana Henrique IV, +33(0)2 37 18 26 26. Meados de Fevereiro. Menus de "Poule au Pot" nos restaurantes; provas de bouillon e vinho; uma visita temática à cidade - "Chartres durante o reinado de Henrique IV; actividades em memória de Henrique de Navarra, o único rei coroado em Chartres, em 1594.  editar
  • Festival de Páscoa (Festival de Pâques), +33(0)2 22 06 87 87, [19]. Concertos, teatros, cinema, livros e banda desenhada, zona de exposições.  editar
  • Festival de Cravos de Chartres (Festival des Clavecins de Chartres), +33(0)1 30 59 25 65. Meados de Março. Concertos de cravo na Igreja de S. Aignan e no Museu de Belas Artes.  editar
  • Sábados Musicais (Samedis Musicaux), 02 37 27 18 52 (para reservas ligue para o 02 37 21 39 46), [20]. Abril, Junho, Setembro, Outubro e Novembro. Concertos no centro da cidade.  editar
  • Festival de Dança (Danse au Cœur), +33(0)2 37 36 42 68, [21]. Maio. No Teatro de Chartres e no centro da cidade. Reuniões de dança nacional e europeia. Grátis.  editar
  • Festival do Perfume (Fête du Parfum), +33(0)2 37 18 26 26. Fins de Maio. Vários eventos ao longo de três dias e três noites.  editar
  • Noites de Verão de Chartres (Soirées Estivales de Chartres), +33(0)2 37 18 26 26, [22]. Meados de Agosto. Entretenimento musical e de rua, concertos de órgão na catedral, teatros e concertos de jazz. Concertos e espectáculos grátis.  editar
  • Festival Internacional do Orgão (Festival International dOrgue), +33(0)2 37 36 67 48. Junho-Agosto. Um festival expondo alguns dos mais talentosos organistas da Europoa. Concertos grátis por músicos de renome na catedral. Grátis.  editar
  • Festival da Água (Fête de lEau), +33(0)2 37 18 26 26, [23]. Meados de Junho. Parada à luz da tocha no Rio Eure e música nas pontes da cidade velha.  editar
  • Festival das Colheitas (Fête des Vendanges), +33(0)2 37 25 69 06. Meados de Setembro-Inícios de Outubro. Durante o Festival das Colheitas numerosas actividades ocorrem no centro da cidade e no bairro de Saint-Brice. As festividades começam com uma parada de pastores, ovelhas, etc. Existe um mercado com produtos locais para os visitantes.  editar
  • Festival de Música (Journées Lyriques de Chartres et dEure-et-Loir), +33(0)2 37 30 98 68, [24]. Fins de Setembro-Inícios de Outubro. O festival de música do Eure-et-Loir.  editar
  • Festival das Lendas (Festival du légendaire), +33(0)2 37 23 01 99. Outubro-Novembro. Um festival de contos e lendas: espectáculos grátis e visitas à cidade e à região com um contador de histórias.  editar
  • Rencontres Internationales de Mosaics, +33(0)2 37 88 05 34, [25]. Outubro-Novembro. Exposição de mosaicos, profissionais e amadores. Mosaicos de 15 países na Capela do Lycée Fulbert.  editar

Compre[editar]

Chartres tem muitas lojas que vendem artigos religiosos. A maior parte destas situam-se a norte da catedral, ou ao longo das ruas entre a catedral e a estação de comboios.

Para necessidades básicas, existe um Monoprix de tamanho médio na área pedestre no topo da colina. Vendem alimentos e outros produtos úteis para viajantes económicos.

Mercados[editar]

Chartres possui vários e interessantes mercados abertos todo o ano, bem como alguns sazonais. Um dos mais interessantes é o colorido mercado (alimentar) que ocorre no mercado municipal de estilo Baltard na Place Billard, perto da catedral, às Quartas e Sábados. Existe também um mercado de flores todas as Terças, Quintas e Sábados na Place du Cygne. Para além destes existe um mercado de produtores locais (todos os sábados na Place Billard), um mercado de roupas (todos os sábados, no Butte des Charbonniers) e um encantador mercado de natal (em Dezembro na Place Marceau).

Coma[editar]

Gastronomia[editar]

A região de Chartres é conhecida por vários produtos:

  • Mentchikoff - Um doce feito de praline de chocolate coberto com merengue suiço, que foi criado em 1893 na altura da aliança franco-russa. Hoje em dia, vários pasteleiros de Chartres continuam a fazê-lo, para prazer de todos os gourmets da cidade.
  • Pâté de Chartres - Famoso desde o século XVIII, o Pâté de Chartres é uma espécie de bolo com forma de tarte recheado com carne de caça. Inicialmente era feito usando borrelhos-ruivos e tarambolas que passavam em Chartres nas suas migrações. Quando estas aves desapareceram, passaram a ser usados perdizes e faisões.
  • Baguette "Rétrodor" - feita de farinha sem aditivos, resultante da subtil mistura do melhor trigo de Beauce - por dentro é leve e fofa, com uma casca dourada e estaladiça. Famosa em toda a França, esta baguette é também apreciada no estrangeiro.
  • Macaron - Inicialmente inventado em Veneza durante a Renascença, actualmente pode encontrar o macaron em toda a França. Feito de uma pasta de amêndoa, açúcar e clara de ovo, este delicioso bolo pode ser recheado de vários sabores. Os pasteleiros de Chartres desenvolveram, através de uma intensa pesquisa e testes, a receita para fazer esta sobremesa suave e macia.
  • Poule au Pot - Henrique IV é famoso por ter declatado "Se Deus me permitir viver, eu assegurarei que todos os trabalhadores do meu reino tenham meios para apreciar uma galinha cozida aos Domingos". O poule au pot, ou "galinha cozida", comida por famílias camponesas ficou associado ao reino de Henrique de Navarra, o único rei coroado na Catedral de Chartres, a 27 de Fevereiro de 1594. Em memória deste evento, alguns restaurantes de Chartres incluem galinha cozida nos seus menus, principalmente durante a "Semana Henrique IV" (27 e 28 de Fevereiro de 2010).
  • Biscoito Sablé de Beauce - Feito exclusivamente de trigo de Beauce e do Eure-et-Loir, os moinhos de de Viron seguem uma receita tradicional para a confecção dos seus biscoitos Sablé de Beauce. Feitos com manteiga e ovos frescos da região de Beauce, é 100% natural (sem aditivos).
  • Cochelin - Um bolo de massa folhada com a forma de um homem - por vezes recheado com chocolate, framboesa ou marzipã - o cochelin era originalmente preparado para a festa de Ano Novo.
  • Mel de Chartres - O mel de Chartres é produzido desde 2008 em Perriers, não muito longe do bairro de S. Brice. Existem 30 colmeias que produzem 300-600 kg de mel todos os anos. Durante o ano são feitas duas colheitas: uma em Maio e outra no Verão.

Restaurantes[editar]

Uma patisserie em Chartres.

Chartres tem muitos pequenos e bons restaurantes com preços razoáveis, principalmente se comparados aos de Paris. Os restaurantes mais perto da estação de comboio são os mais caros.

  • 017, Avenue Jehan de Beauce, 17. O antigo "Escale" foi comprado por um jovem casal e oferece boa comida a bons preços. A transição foi dramática! Existe um menu fixo com alguns pratos "avec supplément" de 1€ ou 2€. Uma decente, mas não exaustiva, selecção de vinhos. O preço de uma entrada, um prato principal e uma sobremesa é de 30€.  editar
  • Brasserie Bruneau, Rue Maréchal Delattre de Tassigny, 4 (perto do ''Hôtel de Ville'' / Câmara Municipal), 02 37 21 80 99. Decoração dos anos 30, com serviço em dois andares e um terraço. Comida ao estilo das "brasseries". O serviço é rápido, no entanto existe muito movimento para apreciar uma refeição relaxante. No entanto, o empregado foi feito para o trabalho (ao contrário de muitos empregados de mesa franceses) e toma muito bem cuidado dos seus clientes. Uma refeição com entradas, prato principal e vinho pode custar cerca de €40, mas vale à pena..  editar
  • Brasserie Henri IV, Rue du Soleil d'Or, 31, 02 37 36 87 71. Novamente comida ao estilo das "brasserie". Abriu em fins de 2005, por isso a decoração é totalmente nova. Bem localizado no centro da cidade. Os preços são razoáveis.  editar
  • Le Sully, Rue du Soleil d'Or, 20, (23) 736-9956. Um novo (2007) restaurante de peixe. Situado em frente da Brasserie Henri IV e durante o Verão partilham o mesmo pátio. Esta "coabitação" é facilitada pelos restaurantes pertencerem ao mesmo dono.  editar
  • Crep'Salads, Rue Serpente, 7 (perto da Catedral), 02 37 21 53 12. Crepes e saladas. Grandes doses a preços baicos. Evite-o às Sextas ou Sábados à noite, porque o serviço é catastrófico. Ao almoço e ao Domingo é bom.  editar
  • La Napolitaine, Rue de la Porte Morard, 27 (à beira do rio Eure), 02 37 34 30 26. Como o nome sugere, é um restaurante italiano, mas a cozinha (pizzas, massas, escalopes, ...) não é exactamente igual à da do outro lado dos Alpes. No entanto, as pizzas são enormes, tal como as saladas. Ao contrário de muitos restaurantes de Chartres, fica aberto até "tarde" (para de aceitar clientes às 10h30). Para além disso, tem muito espaço.  editar
  • Bistrot de la Cathédrale, Cloître Notre Dame, 1 (mesmo à beira da catedral), +33 (0)2 37 36 59 60 (). Gerida pelos donos do "Grand Monarque" (ver abaixo na secção Durma, é uma das mais recentes adições à lista de restaurantes de Chartres. óptima comida de "brasserie". Uma refeição com vinho passa facilmente dos 30€.  editar
  • Au Petit Chaudron, Place des Epars, 11 (perto do Grand Monarque), 02 37 21 23 72 (fax: 02 37 21 23 72). Na mesma "place" que o Grand Monarque, mas não na mesma categoria de preço. A cozinha é "soignée", o serviço é óptimo e o vinho tem preços muito bons. No entanto, o restaurante não tem ambiente nenhum. Evite o "terrace" a todo o custo, já que se encontrará no pavimento da praça mais movimentada da cidade.  editar
  • Le Saint Hilaire (Rue du Pont St Hilaire), 02 37 30 97 57 (fax: 02 37 30 97 57), [26]. Muitos consideram-o o melhor restaurante da cidade (embora os fãs do Grand Monarque possam discordar). Precisa de reservar com antecedência! Uma refeição completa custa 20-40€.  editar
  • Le Boeuf Couronné, Place du Châtelet, 15 (entre a estação de comboios e a catedral), 02 37 18 06 06 (fax: 02 37 21 72 13). Tem sempre uma boa "carte"  editar
  • La Cave aux Fromages, Rue de la Porte Morard, 24 (na parte mais baixa da cidade), 02 37 30 18 64. Um restaurante de inverno, com muito fondue e raclette. Barato.  editar
  • Le Pichet, Rue du Cheval Blanc, 19, 02 37 21 08 35. Muito turístico, mas está sempre aberto. Boa comida e fica perto da Académie de la Bière. Um encantador restaurante de família com deliciosa comida e uma decoração elegante. Experimente o menu do dia, uma refeição de três pratos.  editar
  • Le Tripot, Place Jean Moulin, 11, 02 37 36 60 11 (fax: 02 37 36 60 11). Restaurante espaçoso com decoração antiga e mesas e cadeiras sólidas. Cozinha local. Como a maior parte dos restaurantes de Chartres está vazio durante a semana e vazio durante os fins-de-semana. Preços justos, mas não é barato.  editar

Beber e sair[editar]

Quando estiver em Chartres não se esqueça de provar a cerveja local - chamada Eurélienne. Produzida no Eure-et-Loir, esta cerveja é feita e engarrafada numa quinta a menos de 9,5 km da cidade, e pode visitá-la durante o primeiro fim-de-semana de cada mês. Existem 4 variantes - branco (blanche), blonde, tinto (rousse) e brune). Infelizmente, a cerveja é difícil de encontrar. Estranhamente, pode comprá-la na "Gamme Vert" (loja de jardinagem) por trás do teatro! O bar do Grand Monarque vende as quatro variedades.

  • Académie de la Bière, Rue du Cheval Blanc, 8 (perto da catedral), 02 37 36 90 07. Um bar muito antigo, com uma fachada de madeira. Tem dezenas de marcas de cervejas de vários locais (incluindo cerveja do Taiti) e cerca de 9 marcas de cerveja de pressão (incluindo Guinness). Existe um "jardim" durante os meses de Verão.  editar


  • Bahia Café, Place de la Porte St Michel, 2. É mais visitado pelo whisky e pela vodka, mas recentemente apareceram algumas cervejas belgas. É muito popular, principalmente entre fãs de rugby. O dono é um local muito amigável e generoso (o que é sempre um bom sinal).  editar
  • Le P'tit Bar, Boulevard Chasles, 18bis (em frente do teatro). Um novo wine bar (Abril de 2010), que também oferece cerveja e café. Aberto tardes e noites até por volta das 21h00. Por agora, está fechado aos Domingos e Segundas, mas esta situação pode-se alterar. Pode pedir um pequeno (ou grande) prato de queijos para acompanhar o vinho.  editar
  • Welcome Pub, Rue des Changes, 37 (no centro da cidade, a seguir ao mercado da Place Billarrd). É supostamente um pub, mas a cerveja não é a melhor. A decoração é OK.  editar
  • Dicken's Blues, Place Châtelet, 13 (a seguir ao hotel/restaurante Le Boeuf Couronné). Muito semelhante em decoração ao Welcome Pub, mas tem uma clientela mais variada. É frequente haver um concerto de jazz aos Domingos. As bebidas e os preços são razoáveis.  editar
  • Le Jungle Café, Rue Saint Pierre, 42, 02 37 28 28 11. Espaçoso com um jardim nas traseiras. Movimentado nos fins-de-semana (quando os estudantes voltam para casa), mas um pouco vazio durante a semana. Mais um bar de cocktails que outra coisa.  editar

Durma[editar]

Chartres sofre de uma falta de hotéis, por isso vale a pena reservar com antecedência. Abaixo estão alguns hotéis no centro da cidade. Existem também alguns na circunvalação a oeste e a sul da cidade.

  • Grand Monarque, Place des Epars, 22 (no centro da cidade, a cerca de 550 metros da estação de comboios e a pouca distância da catedral), 02 37 18 15 15 (), [27]. Um clássico hotel de três estrelas no centro da cidade. Estacionamento público à beira da porta. Wi-fi e ADSL. Esta antiga estalagem, renovada por várias vezes, é hoje um hotel convidativo ao turisto, pelo seu conforto. Muito agradável e bom restaurante. Individual: 107€-132€; duplo: 127€-185€; suite: 245€.  editar
  • Jehan de Beauce, Avenue Jehan de Beauce, 19 (a cerca de 45 metros da estação de comboio, entre esta e a catedral), 02 37 21 01 41 (, fax: 02 37 21 59 10), [28]. Um hotel de dois estrelas renovado na baixa. Parque de estacionamento guardado a 100 metros do hotel. Individual: 47€-79€; duplo: 66€-79€.  editar
  • Hôtel Chatelet, Avenue Jehan de Beauce, 6 (a cerca de 90 metros da estação de comboios), 02 37 21 78 00 (, fax: 02 37 36 23 01), [29]. Um charmoso hotel situado na baixa. Com 48 quartos (30 dos quais com vista para a Catedral), 3 salas de conferências e parque de estacionamento privado, convida ao relaxamento. Animais aceites com aviso prévio. Individual: 90€-118€; duplo: 104€-139€.  editar
  • Le bœuf couronné, Place Châtelet, 15 (a cerca de 180 metros da estação de comboio), 02 37 18 06 06 (fax: 02 37 21 72 13). Hotel na baixa com vistas da catedral. Tem um bom restaurante. Individual: 51€-65€; duplo: 60€-72€.  editar
  • Hôtel Ibis Chartres Centre, Place Drouaise (a cerca de 500 m da estação de comboios e a 10 minutos de caminhada da catedral), 02 37 36 06 36 (, fax: 02 37 36 17 20), [30]. Fica na margem do rio Eure, por isso precisa de subir a colina se quiser ver o centro da cidade. O hotel tem 82 quartos com ar-condicionado, incluindo 3 quartos para deficientes, uma sala de reuniões, um parque de estacionamento privado grátis, um bar com sancks aberto 24 horas, um restaurante, o Café Pasta, e internet Wi-Fi sem-fios. De 59€ a 89€ para 1 ou 2 pessoas.  editar
  • Hôtel Mercure Chartres Cathédrale, Rue du General Koenig, 3 (a cerca de 550 m da estação de comboios; perto da biblioteca 'L'Apostrophe), 02 37 33 11 11 (, fax: 02 37 33 12 12), [31]. Parte da cadeia de hotéis "Mercure", e é do mesmo género que os outros hotéis: quartos modernos e confortáveis com ar-condicionado. Abriu recentemente, em fins de Fevereiro de 2010 e oferece 67 quartos, três dos quais para deficientes, uma sala de estar, um jardim interior e uma sala de chã. Individual: 90€-120 €; duplo: 95€-140€.  editar


Partir[editar]

Château de Maintenon.
  • Maintenon - Uma pequena cidade com um dos mais belos châteaux da região, o pequeno e pitoresco Château de Maintenon.
  • Nogent le Roi - Perto de Maintenon fica Nogent le Roi, uma pequena aldeia recheada de edifícios medievais, incluindo o seu próprio château.
  • Nogent le Rotrou - Uma bela cidade a 50 km de Chartres, dominada pelo magnífico Château Saint-Jean (século XI-XII), com fantásticas vistas da região.
  • Villebon - Uma imponente fortaleza do século XIV rodeada por um fosso e um magnífico parque com veados, lagos e canais.
  • Igreja de Saint-Lazare, Lèves - Uma igreja reconstruída após a II Guerra Mundial, excepto pela torre sineira. É notável pelos seus 228 metros quadrados de vitrais, que contam a história da aldeia.
  • Courville-sur-Eure - Uma charmosa aldeia nas margens do Eure, com uma igreja do século XVI.




Este artigo é um guia. Ele tem muita informação, incluindo listas de hotéis, restaurantes, atracções e informação sobre chegada e partida. Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!

Variantes

Ações

Docentes do destino

Noutras línguas

outros sites