Contribua para um artigo e ajude o wikitravel a crescer! Aprenda como.

Argel

Da Wikitravel
Ir para: navegação, pesquisa
Vista de Argel.
Argel é a capital e cidade mais importante da Argélia. É apelidada de Alger la Blanche ("Argel a Branca") pela admirável aparência do branco resplandecente dos edifícios que sobem a encosta, vistos do mar.

Entenda[editar]

Fica localizada no extremo norte do país, na margem Oeste da baía do mesmo nome, na costa do Mar Mediterrâneo, nas coordenadas 36°47' Norte, 3°4' Este (36.78333, 3.0667), nas encostas da cordilheira do Sahel, paralela à costa. É um dos maiores portos de África e o principal centro industrial e comercial da Argélia. Tem cerca de 3.2 milhões de habitantes.

A cidade é constituída por duas partes: a parte moderna, construída em terreno plano junto à costa, e a antiga cidade dos deys, que sobe a encosta inclinada por trás da cidade moderna, e que é coroada pela kasbah (cidadela), 120 metros acima do nível do mar.

História[editar]

Foi fundada pelos fenícios no século IV a.C. e, sob domínio romano, a pequena cidade de Icosium situava-se onde hoje se encontra o bairro marítimo de Argel, tendo-lhe sido concedido o estatuto de cidade Latina pelo imperador Vespasiano. A rue de la Marine segue o alinhamento de uma rua romana. Existiam cemitérios romanos perto de Bab-el-Oued e Bab Azoun. Os bispos de Icosium são mencionados até ao século V.

A cidade actual foi fundada em 944 por Buluggin ibn Ziri, o fundador da dinastia Zirid-Senhaja, que foi destronada por Rogério II da Sicília em 1148. Antes dessa data, já haviam perdido Argel, que em 1159 seria ocupada pelos Almoadas, tendo sido dominada pelos sultões Abd-el-Wadid de Tlemcen a partir do século 13.

Nominalmente parte do sultanato de Tlemcen, Argel gozava de considerável autonomia, sob os seus próprios emires, sendo Oran o principal porto dos Abd-el-Wahid. A ilhota em frente do porto de Argel, posteriormente conhecido como Penon, foi ocupada pelos Espanhóis em 1302. A partir daí, cresceram as trocas comerciais entre Argel e a Espanha.

Argel continou a ser uma cidade relativamente pouco importante até à expulsão dos Mouros de Espanha, quando muitos deles procuraram asilo na cidade. Em 1510, depois de ocuparem Oran e outras cidades da costa de África, os Espanhóis fortificaram o Penon. Em 1516, o emir de Argel, Selim b. Teumi, convidou os irmãos Arouj e Khair-ad-Din (Barbarossa) para expulsar os Espanhóis. Arouj veio para Argel, conseguiu fazer assassinar Selim, e apoderou-se da cidade. Khair-ad-Din, sucedendo a Arouj, expulsou os Espanhóis do Penon (1550) e foi o fundador do pashalik, depois deylik, de Argel.

A cidade foi conquistada pelos turcos e tornou-se parte do Império Otomano. O governador da cidade era virtualmente independente de Constantinopla (Istambul), tendo Argel tornado-se o principal centro dos corsários da Barbárie. Em Outubro de 1541, o imperador Carlos V tentou capturar a cidade, mas uma tempestade destruíu um grande número dos seus navios, tendo os seu exército de c. 30 000 homens, na sua maioria Espanhóis, tido sido derrotado pelos Argelinos, sob o comando do seu pasha, Hassan. A partir do século 17, Argel, livre de controlo Otomano, situada na periferia entre a economia Otomana e a Europeia, e com a sua existência dependente do Mediterrâneo, cada vez mais controlado por navios europeus, apoiados pelas marinhas europeias, virou-se para a pirataria. Várias nações europeias fizeram repetidas tentativas para subjugar os piratas que perturbavam a hegemonia europeia no Mediterrâneo ocidental, e em 1816 a cidade foi bombardeada por um esquadrão britânico comandado por Lord Exmouth, auxiliado por vasos de guerra holandeses, e a frota dos corsários foi incendiada.

A 4 de Julho de 1830, sob o pretexto de uma afronta ao seu consul (a quem o dey tinha batido com um enxota-moscas quando tinha afirmado que o Governo Francês não estava preparado para pagar as suas substanciais dívidas a dois mercadores judeus argelinos), um exército francês comandado pelo General de Bourmont atacou a cidade, que capitulou no dia seguinte. De 1830 a 1962, a história de Argel confunde-se com a história da Argélia e as suas lutas com a França.

Em 1962, após uma sangrenta luta pela independência, em que morreram centenas de milhares de Argelinos (um milhão, segundo a história oficial da Argélia) às mãos do exército francês e da Frente de Libertação Nacional (Front de Libération Nationale ou F.L.N.), a Argélia ganhou finalmente a sua independência, com Argel como a sua capital. Apesar de ter perdido a totalidade da sua população de origem europeia (Pied-Noir), a cidade sofreu uma grande expansão, tendo actualmente cerca de três milhões de habitantes (c. 10% da população da Argélia). Os seus subúrbios cobrem a maior parte da planície de Metidja.

Chegar[editar]

De avião[editar]

Alger é servida pelo Aeroporto Internacional de Houari Boumedienne, a porta de entrada para a Argélia. Há vários serviços aéreos de e para Argel. Em Julho de 2007, as seguintes companhias serviam o aeroporto:

  • Air Algérie (Abidjan, Amman, Bamako, Barcelona, Pequim, Beirute, Berlin-Schönefeld, Bordeaux, Bruxelas, Cairo, Casablanca, Dakar, Damasco, Dubai, Frankfurt, Génova, Istambul-Atatürk, Jeddah, Lille, Londres-Heathrow, Luqa, Luxemburgo, Lyon, Madrid, Marselha, Metz/Nancy, Montreal, Moscovo-Sheremetyevo, Nova York-JFK, Niamey, Nice, Nouakchott, Ouagadougou, Paris-Charles de Gaulle, Paris-Orly, Roma-Fiumicino, Toulouse, Tripoli, Tunes, Adrar, Annaba, Batna, Bechar, Biskra, Chlef, Constantine, Djanet, El Golea, El Oued, Gara Djebilet, Ghardaia, Hassi Messaoud, Illizi, In Amenas, In Salah, Jijel, Oran, Ouargla, Setif, Tamanrasset, Tebessa, Tiaret, Timimoun, Tindouf, Tlemcen, Touggourt)
  • Tassili Airlines (Djanet, El Golea, El Oued, Ghardaia, Hassi R'Mel, Hassi Messaoud, Illizi, In Amenas, In Salah, Tamanrasset, Tebessa, Touggourt)
  • Aigle Azur (Basel/Mulhouse, Lille, Lyon, Nice, Paris-Charles de Gaulle, Paris-Orly, Toulouse)
  • Air França (Marselha, Paris-Charles de Gaulle)
  • Air Mediteranne Montepellier
  • Alitalia (Milão-Malpensa, Roma-Fiumicino)
  • British Airways (Londres-Heathrow)
  • EgyptAir (Cairo)
  • Jetairfly (Bruxelas)
  • Iberia (Madrid)
  • Libyan Airlines (Tripoli)
  • Lufthansa (Frankfurt)
  • Qatar Airways (Doha)
  • Royal Air Maroc (Casablanca)
  • Saudi Arabian Airlines (Jeddah)
  • Spanair (Barcelona, Madrid)
  • Syrian Arab Airlines (Aleppo, Damasco)
  • TAP Portugal (Lisboa)
  • Tunisair (Tunes)
  • Turkish Airlines (Istambul-Atatürk)

De barco[editar]

Há serviços de ferry regulares de Argel para: Marselha, Nice, Palermo e Nápoles. Muitos destes serviços são operados pela Ferries Algerie [1].

De comboio/trem[editar]

  • Estação de Comboios de Alger - Situa-se perto do centro da cidade. Oferece serviços para muitas das grandes cidades argelianas, como Oran, Annaba, Constantina, etc.

De autocarro/ônibus[editar]

La Gare Routiere (16008 Hussein Dey; Tel.:213 21 49 71 51), o terminal de autocarros central de Argel, situado na comuna de Hussein Dey (a 7-10 minutos do centro da cidade), oferece serviços de autocarro para muitas grandes cidades argelianas. é uma maneira muito barata e eficiente de viajar a de ou para grandes cidades argelianas. A maior parte dos autocarros usados são modernos e tem ar condicionado e as viagens são confortáveis. No entanto existem ainda alguns autocarros velhos em uso, tente evitar estes.

De carro[editar]

Sendo a capital do país, todas as grandes estradas do país começam ou acabam em Argel, e, portanto, não é muito difícil chegar a Argel. No entanto, as condições das estradas fazem desta uma opção não muito desejável. Existe um número de projectos que visam melhorar a infraestructura das estradas do país, principalmente a estrada desde Annab, a este do país, até Oran, no oeste, passando por Argel.

Circular[editar]

De comboio/trem[editar]

Monument des Martyrs.

De autocarro/ônibus[editar]

De barco[editar]

De carro[editar]

Veja[editar]

  • Notre Dame d'Afrique - É uma catedral católica românica. Situa-se na parte norte de Argel, no topo de um precepício de 124 metros, com belas vistas sobre a Baía de Argel. Considera-se que foi inspirada na Catedral de Notre-Dame de la Garde, em Marselha, França.
  • Monument des Martyrs (Maquam E' chahid) - Um grande monumento de cimento, comemorando a guerra argeliana pela independência. Foi inaugurado em 1982, no 20º aniversário da independência da Argélia. Tem a forma de três folhas de uma palmeira, que abrigam a "chama eterna", por baixo. Na ponta de cada uma das "folhas" está a estátua de um soldado que representa uma das fases da guerra.
  • Praça do Emir Abdelkader - (ex-praça Bugeaud) Em memória do famoso emir Abd El-Kader, um resistente durante a conquista da Argélia.
  • La Grande Poste - Situa-se no centro de Argel. É o posto de correios principal da cidade, em estilo neo-mourisco. Foi construído em 1910.
Notre Dame d'Afrique.

Kasbah de Argel[editar]

Um Patrimônio da Humanidade, a kasbah contém as ruínas da cidadela, antigas mesquitas e palácios de estilo otomano, importantes vestígios duma antiga estrutura urbana.

  • Mesquita de El Jdid (Place des Martyrs, perto do porto)
  • Mesquita de Ketchaoua - É uma mesquita, notável pela mistura dos estilos muçulmano e bizantino. Foi construída como uma mesquita em em 1612, mas em 1845, durante a ocupação tornou-se a Catedral de Saint-Philippe até 1962, altura em que voltou a ser uma mesquita. A entrada principal, acessada por uma escada de 23 degraus, tem um pórtico suportado por colunas de mármore. O telhado da nave é de estilo mourisco. É suportado por uma série de arcadas suportadas por colunas de mármore, muitas das quais pertenceram à mesquita original. Numa das capelas estava um túmulo contendo os ossos de Santo Gerónimo.
  • Mesquita de Kebir ou Grande Mesquita de Argel (Rue de la Marine) - A mesquita mais velha do kasbah de Argel, construída em 1097 pelo Sultão Ali ibn Yusuf. É um dos poucos exemplos de arquitectura almorávida na cidade. O minarete data de 1324 e a galeria, fora da mesquita, data 1840.

Faça[editar]

Eventos[editar]

Atividades[editar]

Aprenda[editar]

  • Universidade de Argel [2]

Trabalhe[editar]

Compre[editar]

  • Riadh El-Feth

Coma[editar]

Econômico[editar]

  • Brochettes.  editar
  • Le Sindibad, 00 213 21 71 01 31.  editar
  • El Mordjane.  editar
  • La Colomba, Rue Didouch Mourad, 113, 213(0)21744618.  editar

Médio[editar]

Esbanje[editar]

Beba e saia[editar]

Durma[editar]

Econômico[editar]

  • Ibis Argel Aéroport, Route de l'universite, BAB-EZZOUAR, Argel.  editar

Médio[editar]

  • Sofitel Argel, Rue Hassiba Benbouali, 172, (+213) 21 685210, [3].  editar
  • Grand Hotel Mercure Argel Aéroport, Route de l'université BP, 12, Cité 5, Juillet 16311 Argel, (+213) 21 245970, [4].  editar

Esbanje[editar]

  • Hilton Argel, Pins Maritimes, El Mohammadia, Argel (Fora do centro, na estrada para o aeroporto, a cerca de 15 minutos), +213 21 219 696.  editar
  • Sheraton Club des Pins Resort and Towers, (Club des Pins), +213 21 377777. O único hotel à beira mar de Argel.  editar

Mantenha contato[editar]

Segurança[editar]

Saúde[editar]

  • Hospital de Ben Aknoun

Cotidiano[editar]

Ibis Argel Aéroport, Route de l'universite, BAB-EZZOUAR, Argel. checkin: 16-08; checkout: 20-08. Esta seção destina-se à inclusão de informações e soluções práticas para o dia-a-dia dos viajantes - onde encontrar e como usufruir de banheiros públicos, lavanderias, bibliotecas, consertos de equipamentos e outros serviços, como embaixadas e consulados dos países lusófonos localizados nesta cidade.  editar

Partir[editar]

  • Tipasa - Situa-se a 70 km da cidade. Tipasa era um antigo posto de comércio púnico, e foi ocupada por Roma, que ali instalou uma base estratégica para a conquista dos reinos da Mauritânia. Possui um conjunto único de vestígios fenícios, romanos, cristãos e bizantinos, ao lado de monumentos autóctones, como o Kbor er Roumia, grande mausoléu real da Mauritânia. É um Patrimônio da Humanidade.
Este artigo está delineado e precisa de mais conteúdo. Ele já segue um modelo adequado mas não contém informações suficientes. Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!


Variantes

Ações

Docentes do destino

Noutras línguas

outros sites